CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

SCHIRLEY – CURITIBA-PR

Caríssimos Fubânicos Fantásticos,

Alguém tem alguma dúvida que Nacinha e eu somos bolsonaristas?

Precisamos de mais mulheres eleitoras do nosso Presidente se manifestando.

No próximo dia 7 de setembro “tentarei” estar linda sobre meu salto 15!

Uma enorme bandeira do Brasil em uma das mãos (quero ver quem vai mandar eu guardar) e na outra, um porrete caso algum esquerdista tente estragar nossa festa pela democracia e por eleições “limpas”.

(Deixo claro que sou da paz mas sei me defender se preciso for. Afinal, somos da pátria amada, fiéis soldados).

E vocês? Vão estar nas ruas maquiadas, enfeitadas de verde e amarelo?

E os homens?

“Vamu qui vamu” que a vitória, se Deus quiser (e quer), será nossa!!!

Um abraçação em todos. Chove muito em Curitiba hoje.

@sra.jaira

ENCONTRO MARCADO 07/09/22@bolsonaromessiasjair #foryoupage❤️❤️ amigostiktok 🇧🇷 #amigosdobolsonaro🇧🇷 #22ébolsonaro💛💚🇧🇷

♬ sonido original – Cristian Gómez Alvar

DEU NO TWITTER

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

DEU NO TWITTER

BERNARDO - DIRETO DO PINGO NOS Is

DEU NO TWITTER

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

OS BOLSOMINIONS NÃO ESTUDAM

Comentário feito na postagem HEITOR SCALAMBRINI COSTA – RECIFE-PE

Heitor Scalambrini:

Tentar refletir, tentar estabelecer um dialogo com negacionista, com bolsomion é uma tarefa impossivel.

Vivem e criam uma realidade virtual, que não existem.

Vão estudar.

O conhecimento é fundamental para enfrentarmos os desafios.

* * *

O símbolo dos bolsominios burrinhos que não estudam

GUSTAVO GAYER

DEU NO JORNAL

CÂMARA DOS DEPUTADOS APROVA O FIM DAS “SAIDINHAS”

Thaméa Danelon

As conhecidas “saidinhas” dos presos, que em Direito chamamos de “saídas temporárias”, estão com os dias contados. Em 3 de agosto de 2022, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6.579/13, que proíbe a concessão desse benefício a inúmeros criminosos.

As saidinhas estão previstas na Lei de Execução Penal (Lei 7.210/84) que permite que presos em regime semiaberto, com bom comportamento, e desde que já tenham cumprido parte de sua penal (¼ da pena ou 1/6 se forem primários), poderão sair da prisão – sem qualquer vigilância – para visitar sua família e participar de atividades que, segundo a lei, “favoreçam o retorno ao convívio social”. Por conta desta lei extremamente benevolente, Suzane Richtofen – que matou os próprios pais – tem direito à saída temporária no dia das mães. Alexandre Nardoni – condenado por matar sua própria filha Isabela de 5 anos – também poderia receber esse benefício.

As saídas temporárias ocorrem, geralmente, durante a Páscoa, no Dia das Mães, dos Pais, e no feriado de Finados, e um percentual considerável de presos não retorna voluntariamente à prisão após essas saídas. Em janeiro de 2020, na saidinha de Natal e Ano Novo, 1.400 presos não retornaram aos presídios; em dezembro de 2021, 1.628 presos também não retornaram à prisão, sendo necessária nova expedição de mandado de prisão pelo Judiciário, para a polícia iniciar a recaptura do criminoso. Assim, constata-se que uma lei benevolente, e extremamente garantista resulta em impactos na segurança pública e também no custo estatal, pois é despendido um valor considerável na recaptura desses criminosos.

Se o único ponto negativo resultante da saidinha fosse o não retorno dos criminosos à prisão, a situação seria menos dramática, entretanto, a saída temporária possibilita uma consequência muito mais preocupante que é o cometimento de crimes graves pelos presos que estão temporariamente livres. Crimes de furtos, roubos, estupros e homicídios são praticados durante as saidinhas, gerando um caos social e muito temor principalmente às pessoas que residem na proximidade dos presídios.

Em 2020, uma menina de 12 anos foi estuprada pelo pai, tendo engravidado; o criminoso estava em saída temporária. O serial killer Lázaro Barbosa foi beneficiado em 2016 com a saída temporária de Páscoa e nunca mais retornou ao sistema prisional. Ao longo de sua ficha pregressa, constam mais de 30 delitos em Goiás, Bahia e Distrito Federal, dentre eles homicídios, estupros, e sequestro e cárcere privado. Lázaro foi morto em confronto com a polícia em junho de 2021.

O Pacote Anticrime – apresentado pelo governo federal em 2019 – tentou proibir as saídas temporárias para os presos condenados por crimes hediondos, tortura ou terrorismo, entretanto, o Congresso Nacional apenas proibiu as saidinhas para os condenados por crimes hediondos, desde que o crime tenha resultado em morte da vítima. Ainda assim, a aplicação da lei nova seria apenas para casos futuros. Mas, felizmente, no dia 3 de agosto deste ano, a Câmara dos Deputados aprovou com modificações um projeto de lei (PL 6.579/13 da ex senadora Ana Amélia) que proíbe as saídas temporárias. O texto aprovado é o substitutivo apresentado pelo deputado Capitão Derrite, o relator do projeto. 311 deputados votaram favoravelmente ao novo texto, e 98 foram contrários.

Além da proibição das saidinhas (ou saidões), o projeto aprovado tornou obrigatório o exame criminológico para o preso obter progressão de regime; e também fixou a possibilidade de uso de tornozeleira eletrônica nos regimes aberto, semiaberto e durante o livramento condicional. O projeto de lei foi encaminhado ao Senado Federal para votação do novo texto, e espero que essa casa legislativa também avalize essa proibição das saídas temporárias.

Ocorrendo a aprovação do Senado, o PL será encaminhado ao presidente da República para sanção. Caso esse projeto se torne uma lei, a criminalidade violenta e a impunidade que assola o país será reduzida em escala considerável, e contribuirá para, de fato, para a melhoria da segurança pública em nosso país.

BERNARDO - DIRETO DO PINGO NOS Is