DEU NO JORNAL

VICE-PROCURADORA AFIRMA QUE MORAES CONTAMINOU PROVAS

Moraes está à frente de inquérito sobre vazamento de dados sigilosos da Polícia Federal

A Procuradoria-Geral da República (PGR) voltou a pedir que o Supremo Tribunal Federal (STF) arquive o inquérito que apura se o presidente Jair Bolsonaro (PL) vazou dados sigilosos de uma investigação da Polícia Federal (PF) ainda não finalizada.

O documento assinado pela vice-procuradora-geral Lindôra Araújo alega que o ministro Alexandre de Moraes violou o sistema acusatório ao determinar novas medidas na apuração. A integrante da PGR, braço direito do procurador-geral Augusto Aras, argumenta que o magistrado “adentrou nas funções precípuas e exclusivas” do Ministério Público e “contaminou” provas de uma investigação contra o presidente.

Lindôra também rebate que a atuação de Aras tenha sido irregular ao pedir o encerramento da investigação. Para a procuradora, o colega atuou de forma técnica, jurídica, isenta sem “qualquer desiderato [desejo] de prejudicar ou beneficiar determinadas pessoas”.

Em agosto de 2021, Bolsonaro expôs nas redes sociais a íntegra de um inquérito da Polícia Federal, três anos antes, que apura suposto ataque ao sistema interno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Por lei, qualquer servidor público tem obrigação de proteger informações sigilosas, independentemente de hierarquia.

À época, os ministros do TSE enviaram uma notícia-crime endereçada a Alexandre de Moraes relatando a suposta conduta criminosa do presidente. Então o ministro do STF decidiu abrir um inquérito para investigar o caso.

Neste ano, o procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou em seu parecer que, mesmo que as informações tenham sido divulgadas pelo presidente de forma ‘distorcida’, não houve crime na conduta.

Já em um relatório preliminar encaminhado pela PF ao Supremo, no começo do ano, a delegada Denisse Ribeiro afirmou que reuniu elementos sobre a ‘atuação direta, voluntária e consciente’ do presidente ao divulgar informações sigilosas de uma investigação em andamento.

A delegada também apontou o envolvimento do deputado federal Filipe Barros (PSL-PR), que participou da live com o presidente em 2021, além do ajudante de ordens da Presidência, Mauro Cid, que, segundo a investigação, foi o responsável por divulgar o inquérito na internet.

No mesmo inquérito, em janeiro deste ano, Alexandre de Moraes também havia determinado que Bolsonaro deveria prestar depoimento presencialmente. No entanto, o presidente acabou não acatando a ordem do ministro.

GUSTAVO GAYER

DEU NO TWITTER

RODRIGO CONSTANTINO

LULA “JK” QUER TRANSFORMAR BRASIL EM VENEZUELA SEM PASSAR POR ARGENTINA

“Nós vamos tentar fazer 40 anos em 4, porque o Brasil precisa de urgência para recuperar o emprego e a qualidade de vida do povo”, ameaçou, digo, prometeu Lula no Twitter. Alckmin, aquele que disse que Lula quer voltar à cena do crime, agora é seu cúmplice nessa empreitada.

Se isso acontecer, ou seja, se Lula realmente vencer este ano (toc-toc-toc), o Brasil vira a Venezuela sem sequer passar pelo purgatório, que é a Argentina. Deus nos livre desse inferno!

A produtividade no caso petista, afinal, significaria destruir o Brasil ainda mais rápido. Nos 14 anos de poder, o PT quase conseguiu isso, e olha que pegou a melhor janela internacional em décadas, com o boom das commodities promovido pelo crescimento chinês.

Basta olhar para a Argentina para se ter uma ideia do potencial estrago lulista. Lá, o presidente apoiado por Lula seguiu toda a cartilha esquerdista, e o resultado é catastrófico: a hiperinflação se aproxima, a miséria só cresce, a corrupção é endêmica e as liberdades se esvaem a cada dia.

Não por acaso a nossa imprensa simplesmente esqueceu da existência da Argentina, varreu o país vizinho do mapa, finge que ele nem mergulha no caos bem ao lado do Brasil. Saques têm sido a regra e dezenas de prisões são efetuadas para tentar conter o desespero famélico. O único veículo de comunicação que não esqueceu da Argentina foi a Gazeta do Povo, que hoje mesmo traz reportagem sobre os escândalos crescentes de corrupção no governo daquele país:

Em audiência nesta segunda-feira (01), o promotor Diego Luciani fundamenta seu parecer em relação a Cristina Kirchner, Lázaro Báez e um grupo de ex-funcionários nacionais e provinciais sobre contratos de obras públicas na Argentina, diante dos juízes do Tribunal Oral Federal.

Logo nos primeiros minutos, o promotor acusou a vice-presidente e o marido dela, Néstor Kirchner, de criarem “um autêntico sistema de corrupção”.

Luciani insistiu nos primeiros minutos de sua argumentação no papel de Lázaro Báez, empresário “criado” para assumir negócios e fraudar o Estado. “De um dia para o outro ele passou de funcionário de banco a empresário da construção civil (…). De um dia para o outro, o Estado, com os impostos que todos os cidadãos pagam, confiou-lhe 78,4% das obras rodoviárias de Santa Cruz”, apontou Luciani.

Segundo o promotor, “os principais responsáveis ​​pela organização” estavam por trás disso e uma “estrutura estatal corrupta o endossava”.

Isso pode ser perfeitamente o destino brasileiro se o PT voltar ao poder, ainda mais nesse contexto de vale-tudo promovido pelo STF. Lula nunca foi inocentado, mas tem amigos supremos que resolveram melar sua condenação. O que sua eventual volta ao poder significaria para a população? Qual recado seria transmitido?

O Brasil de Bolsonaro, apesar da torcida do contra e da sabotagem no Congresso, vai à contramão do resto do mundo, que enfrenta recordes de inflação e risco de recessão, como ocorre nos Estados Unidos. O FMI prevê cenário sombrio para a economia global, mas o Brasil é a exceção. As previsões são revistas para cima, a inflação já cede rápido. A imprensa militante parte para a tática do “mas”: impedida de esconder a melhoria, acrescenta alertas sobre riscos futuros.

Eis o fato, porém: o Brasil segue melhorando, apesar do resto do mundo em queda. Isso é mérito do governo Bolsonaro, do ministro Paulo Guedes e de sua equipe técnica e eficiente. Agora imaginem como estaria o Brasil se Fernando Haddad fosse o presidente! Não imaginem: olhem para a Argentina ao lado!

E é nesse contexto que o Lula “JK” resolve prometer 40 anos em 4. Ou seja, se isso for levado a sério, o que podemos esperar é que o Brasil pule para o terror venezuelano sem nem passar pelo caos argentino. Não custa lembrar que Lula dizia mirar no mesmo destino de Chávez, só que o companheiro dirigia uma Ferrari e ele um Fusquinha. Agora Lula promete acelerar para valer…

E a Venezuela, aliás, acaba de superar o Haiti como o país mais miserável das Américas. A renda per capita em dólares é a menor do continente. O socialismo lulista é uma arma de destruição em massa. E tem banqueiro brasileiro flertando com esse abismo, pois acredita que pode ganhar ainda mais dinheiro. No curto prazo pode até ser. Mas e se o Brasil afundar de vez? Essa turma insana não cogita essa possibilidade? Por tudo que o PT já mostrou ser capaz, deveria. Ainda mais com Lula ameaçando pisar fundo no acelerador, com seu plano de voo apontado para o nefasto socialismo…

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ROALD C. MAXIMO – POMERODE-SC

Acho que já passou da ora do Sr. Presidente lançar mão dos atributos que lhe são conferidos pela nossa Constituição.

Parece que ele prefere ir saltando por sobre as pedras, cada vez maiores, que lhe são diuturnamente postas no caminho sem se dar conta de que é um esporte perigosíssimo que irá conduzir à fratura de sua candidatura ao pleito que se aproxima e, o que é pior, com conseqüências devastadoras para a Nação.

Os autores desses percalços são fartamente conhecidos pois ocupam cargos não eletivos na Suprema Corte Judicial e nem se dão ao cuidado de ocultar as criminosas confabulações exercidas na busca por uma desculpa rasteira e medíocre, semelhante à que foi usada para soltar o maior ladrão da história do país, a fim de, por método semelhante, impedir a candidatura do atual presidente á reeleição.

O que mais nos ofende é que os despudorados autores dessas tretas são cegamente obedecidos por tíbias autoridades policiais que temerosas de perderem seus cargos se dobram diante das ordens mais estapafúrdias, i-Morais, ilegais e inconstitucionais.

DEU NO JORNAL

BOAS NOTÍCIAS

O número de brasileiros ocupados chegou ao recorde de 98,3 milhões em maio deste ano, o que representa alta de 5,3 milhões em relação a dezembro de 2018, quando esse total somava 93 milhões, segundo o IBGE.

A marca nunca antes atingida pelo Brasil foi muito comemorada pela equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro, que já dá como certo superar 100 milhões de pessoas ocupadas durante a campanha.

O salário médio na contratação também disparou 24% nesse período, passando de R$ 1.531 em 2018 para os R$ 1.898 de maio deste ano.

Se o número de brasileiros ocupados disparou, o de desempregados segue em queda e baixou para 9,3%, a menor taxa desde 2015.

Os resultados refletem melhora na economia, que fez até mesmo o FMI revisar a previsão de crescimento do PIB brasileiro de 0,8% para 1,7%.

Enquanto o Brasil surpreende repetidamente o mundo com a pujança da economia, EUA estão em recessão técnica com 2º trimestre de retração.

* * *

Excelentes notícias pra gente começar a semana em alto astral.

Ótimo!

Merece uma salva de palmas o responsável por esta magnífica virada.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JACOB FORTES – BRASÍLIA-DF

PRIVILÉGIO DE POUCOS

Ainda não releguei ao olvido o dia em que o Brasil, perplexo, tomou conhecimento, por meio da imprensa, – 7 de maio de 2019 – de uma licitação milionária autorizando a aquisição de itens de luxo para o Supremo Tribunal Federal, tais com: lagostas, vinhos especiais, whiskys, etc.

Todos sabemos, os brasileiros mais singelos sabem, que os Ministros do Supremo Tribunal Federal são merecedores de cardápios condignos às suas indiscutíveis honorabilidades e estaturas doutorais. Porém, aceder para que os suados impostos dos contribuintes se prestem a bancar cardápios régios, principescos, é insensatez que exprime deboche a um Brasil devastado por chagas sociais. Ademais, tal exagero, muito além do razoável, não faz honras à sabedoria que pauta as ações da magnânima Corte, que, aliás, não pode ignorar o sentimento de brasilidade, o sentimento de pertencimento à Pátria brasileira.

Usar o dinheiro do contribuinte para repimpar-se de iguarias nababescas o STF, ao invés de ofertar quinhão de auxílio para o Brasil soerguer-se, presta seu contributo para mantê-lo debaixo dos escombros. Se não pode remediar os males de um povo trôpego, esbofado, não o torne mais enfermiço.

Portanto, na qualidade de pagador de impostos, consigno minha reiterada discordância a esse privilégio, de poucos, em detrimento de milhões de brasileiros que, sobrevivendo do essencial, não tiveram o privilégio de conhecer o tão desejado banco de escola que faz libertar da jaula escura do analfabetismo.

Na literatura espanhola há uma expressão proverbial segundo a qual quien calla otorga. Em português equivale a “quem cala consente”, ou seja, o silêncio equivale a um assentimento, a bem dizer, quem não se manifesta contra uma atitude a ela acede; eu não acedo.

DEU NO TWITTER

ALEXANDRE GARCIA

OS OPOSITORES E A SÍNDROME DA TETA SECA

O presidente Jair Bolsonaro mencionou uma ideia de levar o desfile de 7 de Setembro, que no Rio de Janeiro é feito normalmente na Avenida Rio Branco, para a Avenida Atlântica, em Copacabana. Porque? Em primeiro lugar porque são os 200 anos da Independência. Faz dois séculos que um membro da família real portuguesa declarou que a colônia seria independente da Corte. Tanto que no grito ele fala: “Laços fora, soldados! As cortes querem mesmo escravizar o Brasil. Independência ou morte seja a nossa divisa”. Temos que comemorar isso.

E aí eu estava pensando, eu visito o centro do Rio de Janeiro aos domingos porque eu acho que é o lugar mais lindo do Rio de Janeiro. E domingo está vazio. Parece que não mora ninguém lá. Então, para assistir um desfile de 7 de Setembro a população tem que ir para o Centro. Ao passo que Copacabana, a gente vê pelo Réveillon, enche de gente; imagina num feriado pela manhã. O desfile vai onde o povo está, digamos assim.

No mais, está se falando muito de síndrome da teta seca. Aquela cantora que pisoteou a bandeira do Brasil, a filha do João Gilberto – que eu só sei quem é porque é a filha do João Gilberto – depois do ocorrido, apareceu que ela tinha um contrato de 2011, quando a tia dela era ministra da Cultura, no qual teria recebido R$ 1,9 milhão. Acabou isso.

Hoje, a cultura brasileira é a cultura mesmo, não é o show business, o entertainment. Não é o artista rico que cobra R$ 500 ou mais. É para estimular quem está começando, a raiz, a cultura brasileira do interior, a pequena orquestra do interior, a bailarina que está despontando, o teatro do interior, o museu da cidade pequena. Mas tem outra classe que assinou o manifesto da Faculdade de Direito da USP. Manifesto que a gente nota que é político, porque não diz o que deveria dizer.

Se vai defender a Justiça e a democracia, tem que defender a Justiça e a democracia, mas não defende. Pegam a crítica do presidente e dizem que é uma agressão, uma ameaça. Isso o Goebbels fazia em outros tempos. Deveria falar de todas as rasgadas à Constituição que foram feitas. E não fala.

Banqueiros assinaram pela Justiça e a democracia. Qual é o interesse? Porque banqueiro sempre tem interesse. Do governo Fernando Henrique para o governo Lula aumentou oito vezes o lucro líquido dos banqueiros. Então gostaram do período Lula: saltou de R$ 34 bi para R$ 280 bi. Agora não, agora tem o Pix que é de graça, tem Banco Central que é independente, com o neto do Roberto Campos comandando muito bem, aliás. A gente está vendo que a nossa inflação vai ficar mais favorável ao povo do que a inflação de Europa, Estados Unidos.

E aí eu vejo também de um modo geral a grande imprensa virou partido de oposição. Aí eu peguei os números: publicidade do governo federal. Governo Dilma, R$ 9 bilhões. Governo Bolsonaro, R$ 258 milhões. Governo Lula, mais de R$ 7 bilhões. Então parece que é isso. Síndrome da teta seca.

DEU NO JORNAL