CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURÍCIO ASSUERO – RECIFE-PE

Nobre Editodos,

nesta quinta 22/10, das 19h30 às 20h30, teremos mais um sessão de fuxicos.

Dessa vez Renata Duarte vai nos brindar com um papo sobre “As urtimas do purtugueis”.

O cabaré vai se inflamar com essa presepada.

Para participar, basta clicar aqui e pronto.

Abraços

R. Tudo certo, meu caro.

A partir das sete e meia da noite de hoje começa o furdunço.

Toda a patota fubânica está convocada para aparecer, ao vivo e a cores, na tela da nossa magnífica assembleia.

Hoje nós contaremos com a presença de dois observadores da ONU e de um representante da OMS na reunião.

Eles informaram à Editoria do JBF que irão participar com a finalidade de aprender como é que se faz um debate do mais baixo nível.

Vai ser pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MENDONÇA FILHO – RECIFE-PE

* * *

Senhor candidato Mendonça Filho, use e abuse deste espaço pra fazer divulgação de sua campanha.

Não só o senhor, mas os candidatos de todos os partidos podem mandar pra cá seus reclames que serão publicados do jeito que chegar aqui.

Sucesso, em sua campanha!

E, pra fechar esta postagem com chave de ouro, um vídeo sobre o seu adversário, o xexelento luleiro que concorre com senhor na eleição do mês que vem.

Aquele que pretende continuar com a safadeza zisquerdalha na administração da nossa capital.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RODRIGO DE LÉON – PELOTAS-RS

Berto,

Tem uma questão para fazeres uma pesquisa no Databesta.

“Se Deus fez a mulher a partir de uma costela de Adão, o que o Diabo fez ou fará com o dedo do Lula?

( ) o PT
( ) o Bolivarianismo
( ) o Politicamente Correto
( ) o MST, o MTST e os Sindicatos
( ) Enfiou o dedo no furico dos esquerdistas
( ) Todas as opções acima

R. Pronto: não precisa nem apelar pro Databesta.

A sua pesquisa já está no ar.

E os leitores já podem dar seus pitacos na área de comentários.

Abraços, seu cabra doido!!!!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

DESAFIO “ENIGMA SCRAMBLEX” 15

O desafio chamado “ENIGMA SCRAMBLEX “ foi criado com o objetivo de melhorar o QI dos seus usuários.

É simples , atrativo, desafiante e seu maior benefício é divertir com educação. Enfatizo que a concentração utilizada na sua prática diária, vai nos distanciar da doença de Alzheimer.

Veja como é o enigma :

Uma palavra lhe é apresentada com as letras embaralhadas e o desafio consiste em descobrir qual é a palavra.

O desafio de hoje está abaixo e a resposta você conhecerá em mais alguns dias.

1 – O , O , I , Ç , T , P , S

2 – S , S , I , O , U , C , R , D

3 – B , R , A , A , N , T , E

4 – E , Ã , P , R , O , E , L

5 – O , C , H , A , D , R , L

 E aqui estão as respostas para o último desafio, postado no dia 14 de outubro, quarta-feira passada, o de número 14:

1 – R , E , T , S , A , L – LETRAS

2 – E , L , T , I , R , B , O – LIBERTO

3 – T , M , S , C , U , E , O – COSTUME

4 – A , A , I , C , R , P , L – PARCIAL

5 – G , Í , R , A , O , F – FÍGARO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ROQUE NUNES – CAMPO GRANDE-MS

22/10, amanhã, quinta-feira.

Às 19 e 30….

Renata Duarte e a “Úrtima do Purtugueis” no Cabaré do Berto.

R. É de lascar…

Esses cabras escrotos inventam essa zorra e batizam com o meu nome:

Cabaré do Berto.

Isto é uma ofensa aos cabarés de todo o mundo!!!

Pois é, gente: amanhã tem mais desmantelo.

Começa às sete e meia da noite.

Renata Duarte vai comandar o evento e fazer uma excelente palestra com o tema “Úrtima do Purtugueis”

E depois a conferencista vai aguentar o interrogatório desse bando de cabras safados.

Até amanhã!!!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JACOB FORTES – BRASÍLIA-DF

PÃO SOVADO FAZ MAL

Teodósio, camponês de mãos calosas, residia na localidade denominada Riacho Grande. Se notabilizara por ser detentor de um rancho de filhos sem par, fábrica própria. Isso não encerrava cumprimento de promessa aos santos, era a praxe no sertão das parideiras.

Certa feita Teodósio acometeu-se de febre sobrenatural, que lhe incendia o corpo, consorciada a delírios, calafrios e dores nas articulações, particularidades que delatavam a presença da temida e extravagante moléstia: a malária. A sulfa redentora estava longe, lá na povoação: rala, grandemente descalça, nove léguas a cavalo.

Às pressas, abriu-se um processo seletivo para identificar que membro da prole se faria emissário em busca de fármaco, de soberana virtude, contra a enfermidade de Teodósio. Eliminados os incapazes, as moçoilas em penugem de franga, os de braços alugados a outras roças e os que se haviam desertados para “Son Paulo”, sobrestou, aprovado, apenas um, oito anos; atendia pelo apelido de Ferrugem.

A vigília tomou conta daquela noite e quando a barra do dia se insinuava:

– Acorda Ferrugem, Acorda Ferrugem, lava a cara e toma uma xícara de café.

Era Luiza, de bilhete à mão, ultimando os preparativos da partida do emissário.

– Eu já selei o Rabo-de-Cuia. Vaia à povoação e entrega este bilhete ao Dr. Mormaço, na botica São Camilo. Com este broche vou apresilhar o bolso da tua camisa para evitar que percas o bilhete. Devidamente apetrechado, estribo regulado ao tamanho das pernas, Ferrugem partiu, pressuroso como exigia a circunstância, no cumprimento da missão, em companhia de dois amigos singulares: Deus e o pangaré, de doma, de estimação.

O pino do sol se avizinhava quando Ferrugem chegou ao seu destino. A custo apeou-se e entregou o bilhete ao reputado boticário. Com o auxílio de um pincenê, visivelmente embaciado, o Dr. procedeu à decifração do manuscrito de Luiza; prontamente aviou a medicação, que fora posta no alforje, este já devidamente preso ao arção da sela.

À azáfama, Ferrugem se pôs de regresso e quando a povoação praticamente havia ficado para trás pode ver, à direita, no derradeiro quiosque do arruamento, sobre um balcão acanhado, uma travessa, de pequizeiro, repleta de pães sovados, desses de lombo adocicado.

Àquela hora, ao calor do meio dia, sem dinheiro, o bucho colado ao espinhaço, sedento, Ferrugem dirigiu-se à vendeira, aliás, bem nutrida conforme denunciavam suas papadas pletóricas, e perguntou, cheio de pejo:

– Dona, a senhora me dá um pão?

– Você tem dinheiro, redarguiu a mulher com ar de pouco apreço.

– Eu não tenho dinheiro, respondeu Ferrugem engolindo a voz reprimida.

– Pois saiba que aqui não doamos pão, vendemos pão; pão de graça faz mal à saúde, disse a vendeira em tom de reprimenda, e sem incômodo de consciência.

A negação, imperativamente acidulada, fez Ferrugem sentir-se escorraçado, mais que isso, açoitado. Meneou a rédea do Rabo-de-Cuia e partiu, à ligeira, triplamente derrotado: pela fome, por uma sede, agora aplacada pelo susto, pelo desamparo. Mas isso era irrelevante se comparado ao quadro de Teodósio.

Cessadas as lágrimas vertidas, Ferrugem, ao som da canção do plac plac do cavalo, ia encurtando o caminho de casa e se refazendo do amargo sabor da malsucedida imprudência cometida; coisas pueris, típicas de bezerro em terra alheia. Sob o torpor de mágoas fundas, sequer percebera que já havia transposto o minideserto da Vaca-Morta, trecho deveras enfadonho. Ruminando o acontecido, dizia para si, em magoada e surda voz: não é o pão que faz mal, mas a fome.

Enquanto isso Luiza, sob a tortura da preocupação, mantinha-se ao terreiro, de olhos afundados na estrada.

Pronto, dissipou-se a inquietação de Luiza, ao longe repontava, visivelmente esfalfado, o Rabo-de-Cuia e seu condutor. Dando graças a Deus, os dois corações de Luiza que batiam (um por Teodósio, outro por Ferrugem) transfundiram-se num só.

Tempos depois Teodósio comprou para Ferrugem os tais pães de espinhaço doce que tanto desejou.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

NACINHA – CUIABÁ-MT

Amigos e amigas:

Este Bolsonaro me enganou completamente.

Votei nele pensando que era uma coisa e ele é outra.

Ele é bem melhor do que eu pensava!!!

Fui traída!!!!!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ADAIL AUGUSTO AGOSTINI – ALEGRETE-RS

Dom Luiz Berto:

Peço-lhe que veja os 2 vídeos abaixo e, se possível, publique-os no JBF.

O primeiro é um vídeo, com um trecho do Claudio Lessa – retirado do CL News de 17 Outubro 2020 – que mostra, sucintamente, o trabalho do “Comitê Investigativo Corona”, na Alemanha, do qual o renomado advogado Reiner Fuellmich faz parte e que coordena advogados de todos os países na maior ação contra a empulhação da pandemia de matéria plástica.

Para quem não sabe, entre outras coisas, o Dr. Reiner é, mundialmente, conhecido por – entre outras famosas atuações – ter processado (e ganhado as causas!!!) contra a Volkswagen – no escândalo do motor a diesel e o Deutsche Bank – pelas fraudes no mercado financeiro dos EUA.

Nesse vídeo, “O Fim da Fraude da Peste Chinesa”, Claudio Lessa fala sobre como ele (Dr. Reiner) vai desmontar a fraude da peste xingling, que se revelou o maior dos crimes contra a humanidade jamais cometido.

Também, há, nele, uma referência ao link do 2º vídeo – gravado, no dia 7 de outubro, pelo próprio Reiner Fuellmich (em inglês e com legendas em português).

Lamentavelmente, o YouTube – criminosamente, escondendo a verdade – o deletou, sobre o pretexto de ser FAKE.

Aí começou um jogo de gato e rato:

O YouTube o deleta, porém alguém – que o gravou – o repõe…

Por isso, não dá para confiar – até quando da sua existência – no link referido.

Então, enojado e furioso com esse fato, teimosamente, entrei noite a dentro, queimando as pestanas, e o redescobri em um novo link.

Peço aos/as colegas fubânicos que repassem (ambos vídeos) para o maior número possível de pessoas.

Todos merecem saber a verdade, que, criminosamente, está sendo oculta.

Quem puder gravá-los o faça – para, tantas e quantas vezes forem necessárias, repô-los na Web, pois não pode-se garantir por quanto tempo este novo link (do vídeo do Dr. Reiner) estará a disposição.

Eis, pois, os 2 vídeos:

1º – O Fim da Fraude da Peste Chinesa (Claudio Lessa):

2º – Crimes against Humanity (Dr. Reiner Fuellmich, em Inglês – legendado em português)

Clique aqui para ver o vídeo na íntegra.

E se alguém duvidar das argumentativas afirmações e citações do Dr. Reiner, fixe-se no fato que um (tão conhecido e renomado, mundialmente) advogado como ele, não iria jogar a sua imensa reputação fora, por alguma – por menor que seja – incorreção e/ou mentira.

Um baita abração,

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RÔMULO SIMÕES ANGÉLICA – SANTA MARIA DE BELÉM DO GRÃO PARÁ

“Não são as utopias que falharam – ou que saíram de moda. Foram os seus artífices que as assassinaram. São eles os responsáveis pelo desencantamento do mundo – e pela morte da esperança”. Alex Fiúza de Mello

Queridos amigos do JBF,

A frase que inicia este texto é apenas uma amostra grátis do imperdível artigo “Crise Civilizatória”, do Prof. Alex Fiuza de Melo, ex-Reitor da Universidade Federal do Pará, e que eu já tive a oportunidade de divulgar aqui no JBF.

Você podem acessá-lo clicando aqui

Vou reproduzir o comentário que já escrevi ao prof. Alex:

Ainda de luto pelos acontecimentos recentes na nossa UFPA, não tive como deixar de associar, cada linha escrita do seu artigo, com essa gente canalha e hipócrita que ainda vai permanecer à frente da moribunda universidade.

Essa gente maldita, que precisa gritar a todo instante que é democrata, mas que, no comportamento inverso, como o senhor tão bem descreveu, são justamente os assassinos da democracia. Manipularam a lista tríplice do último processo eleitoral para reitor, da UFPA, enfiando laranjas que não participaram da consulta eleitoral prévia à comunidade, ao mais completo arrepio da lei federal. E mentem para a sociedade, descaradamente, soltando notas pagas nos jornais e outros veículos de comunicação.

Essa gente ordinária que só conseguiu se manter no poder graças a acordos espúrios nos subterrâneos imundos de Brasília, e justamente com quem eles dizem tanto combater.

Sinto muito Prof. Alex – e amigos aqui do JBF – por aproveitar esse espaço para um desabafo:

Não acredito mais na universidade pública brasileira e lamento muito pelo seu futuro, incerto, cuja culpa pelo seu estado atual, de podridão moral e intelectual é única e exclusivamente dessa corja esquerdista-sindicalista maldita que se apoderou dela.