DEU NO JORNAL

BOSTA FALANDO MERDA

O petista Humberto Costa comemorou a pesquisa do Jota, segundo a qual 50,8% dos brasileiros não votariam em Jair Bolsonaro “de jeito nenhum”.

Ele preferiu ignorar que, de acordo com a mesma pesquisa, a parcela de eleitores que não votaria de jeito nenhum em Lula é ainda maior: 54,6%.

* * *

Não é por acaso que Ceguinho Teimoso admira Humcerto Bosta.

A cegueira crônica é um fenômeno comum em todos os níveis das zisquerdas banânicas.

DEU NO JORNAL

DEU NO JORNAL

NÃO HOUVE NADA DE ESCANDALOSO

O ministro do TCU Bruno Dantas disse que financiamentos no exterior concedidos pelo BNDES entre 2006 e 2013, durante gestões petistas, estão na mira do tribunal.

“Nós temos uma auditoria em aberto sobre os gastos do BNDES com garantias frágeis em países no exterior. Isso talvez seja, não estou dizendo que vai ser um escândalo do tamanho do Petrolão, mas os levantamentos preliminares que nós temos identificado são motivo de grande preocupação”, afirmou.

* * *

O Ministro Bruno Dantas pode ficar tranquilo.

O que ele chama de “um escândalo do tamanho do Petrolão” será devidamente explicado e esclarecido.

O fubânico lulo-petista Ceguinho Teimoso já está se armando de links, estatísticas, dados e argumentos pra provar que o BNDES dos tempos do PT foi o mais certinho  que já houve na história deste país.

Estes tais “levantamentos preliminares” a que o ministro se refere estão todos furados.

Aguarde, Ministro.

Ceguinho vai botar pra lascar.

Fique o senhor ministro do TCU sabendo que esta é uma parelha exemplar de administração ética, de grande envergadura (êpa!) moral e da mais alta competência que pode existir no mundo

DEU NO JORNAL

HIGIENIZAÇÃO

A Defensoria Pública obteve na Justiça ordem de banho quente para presos de São Paulo, alegando que água fria é “tortura”.

Palhaçada, dirão com razão famílias de bem que não têm banho quente em casa.

* * *

De minha parte, eu acho que o banho dos presos deveria ser com água fervente.

Higieniza com muita rapidez.

DEU NO JORNAL

DEU NO JORNAL

TAXA DE ASSASSINATOS

Em 2019, primeiro ano do governo Bolsonaro, o Brasil registrou o menor número de assassinatos desde o início da série histórica, em 2007, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

* * *

Eu acho que tem uma taxa de assassinatos que deveria crescer.

Aquela que registra cancelamentos de CPF entre os próprios bandidos.

As famosas guerras de quadrilha.

Matai-vos uns aos outros!!!

DEU NO JORNAL

DEU LADRÃO NO VATICANO

Guilherme Fiuza

Querido diário, você não vai acreditar. Sabe de onde eu tô saindo? Do Vaticano, camarada! Abençoado pelo Papa! Quer dizer: muito mais que isso. Abençoar, ele abençoa uma porrada de gente. Eu tô saindo de uma REUNIÃO com o Papa, querido diário. Reunião contra as injustiças sociais! Não é lindo?

Porra, fala sério: quem tinha razão era o Obama. Eu sou o cara! Vou te confessar: até hoje eu ainda tinha um pouquinho de dúvida. Mas agora acabou: roubei um país inteiro, enchi de grana os meus filhos, os meus amigos, os meus correligionários e os meus donos (e os meus bolsos, que não sou otário) e tô aqui, no Vaticano, abençoado pelo Papa! Sou ou não sou o cara?

E esse Papa, que tem até filme dizendo que ele é bonzinho mesmo, tá rindo do meu lado na foto que o mundo todo tá vendo agora. Chupa, Moro! Tu achou que eu só tinha o STF, a OAB, a MPB e a PQP? Perdeu, fascista! O Papa é meu! Ahahaha. Vou ligar agora pro Marcelo Odebrecht e avisar que vocês vão tudo pro inferno. De repente arrumo até uma obra pra Odebrecht aqui no Vaticano. Vou falar pro companheiro Francisco botar um estádio que nem o do Corinthians ali naquela praça, que não tem porra nenhuma lá. O Papa é argentino, mas é gente boa. Se eu mandar fazer um Itaquerão aqui ele vai querer me canonizar na hora.

Mas eu não quero isso, não. Canonizar pra quê? Eu já sou santo na Folha, na ONU, no Oscar… Tá mais que bom. Prefiro que ele bote o meu nome no estádio. O Monumental do Lula. Basta isso, não quero muita coisa, não. Quer dizer: vou falar pro Marcelo botar uma estátua minha na entrada. É o mínimo. Talvez eu nem precise pedir. Lá no sítio foi assim, um dia eu cheguei e tava lá os pedalinhos com o meu nome. Você vê o que é a sensibilidade de um empreiteiro sério.

O problema aqui é que o Francisco é orgulhoso pra cacete e vai querer estátua também. Vou ter que falar pro Marcelo aumentar o orçamento. Estátua de Papa é caro. Quero ver os menudos lá do Moro reclamarem. Mando logo excomungar. Agora o papo é outro, fascistada. Fica aí com as leizinhas de vocês que agora eu tô com a lei divina. Ajoelha pra falar comigo, seus ratos. Para de graça pro meu lado que eu arrumo ingresso pra vocês quando o Corinthians vier jogar aqui no Vaticano. Se vocês arquivarem meus dez processos arranjo passagem e hotel também.

Mas vou logo avisando que aqui é tradição, não é essa zona daí, não. Quando passar pela minha estátua tem que parar, juntar as mãos e agradecer. Logo depois da minha vai ter a do Papa. Pode agradecer também. Se se distrair não tem problema, porque quem mandou fazer o estádio fui eu. O Marcelo ajudou, mas tu acha que ele ia arrumar essa obra se eu não fosse abençoado pelo homem?

Acho até que vou voltar lá agora e falar logo com o companheiro Francisco sobre o Itaquerão da Santa Sé. A gente perdeu muito tempo falando de injustiça social, fome, ódio… Vou te falar que pra mim, aqui na minha maneira de ver, foi até uma pauta meio equivocada pra um momento de tanta felicidade. Aqui é tudo assim meio pra baixo, com todo o respeito.

Sua Santidade tinha que ver como era o Palácio do Planalto na minha época. Tá aí, vou trazer um pouco dessa alegria pra cá. Dilma, Gleisi, Erenice, Rosemary… Vou dar uma sacudida nisso aqui. Na minha opinião o Francisco tá de saco cheio. Não viu ele distribuindo tabefe por aí? Conheço o ser humano, tá precisando de uma tumultuada. Vou botar logo Maria do Rosário na comissão de frente. Aí vem MST, CUT, aquele fanfarrão do PSOL que não é ex-BBB mas tem muito mais presença que o Wyllys, que só cuspia. Enfim, uma rapaziada alegre pra fazer o esquenta, depois vai todo mundo encher a cara no Itaquerão. Duvido que depois disso o Francisco não pare de dar tapa nos outros.

Vou quebrar essa pra ele porque esse cara também sempre me ajudou. Foi ele que começou com aquela história de que o impeachment da Dilma era golpe. Foi emocionante ver um Papa cancelando a visita ao Brasil pra reclamar da perseguição que tirou a nossa quadrilha do palácio. Na época ele declarou que tava “triste”! Ahaha. É gênio.

Ah, não posso esquecer de falar pro Marcelo construir uma passarela direto do palácio do Papa pro Monumental do Lula. Já pensou? Eu e o Francisco andando por cima da multidão toda espremida – ele acenando para os fiéis e eu acenando para a Fiel? Dois Papas! Aí sim a gente leva a estatueta. Vou ligar pra Petra.

DEU NO JORNAL

NOVO FRONT

Jose Mauricio de Barcellos

Transitam pelo território livre da rede mundial dos computadores dois vídeos emblemáticos, que bem definem as pessoas do bem e do mal em nossa sociedade deixando claro aquelas nas quais o Brasil dos novos tempos pode confiar e com as quais pode contar. Demonstram também o quanto é imperativo que nos livremos da canalha vermelha, de qualquer forma. Vou falar do primeiro, no qual um esquerdopata, militante de um partido defensor das Organizações Criminosas, o PCCSOL, destila todo seu ódio contra o governo atual e, criminosamente, prega sua destruição. Aqui o crime contra a ordem pública está bem tipificado.

Confiram no vídeo abaixo:

A pregação possessa do patife da esquerda, o tal de Marcelo Freixo, em virtude da má fama do imbecil nem teria tanta importância uma vez que esse político – vagabundo defensor de facínoras – há muito que é considerada uma figura desprezível nesta Terra de Santa Cruz. Todavia a despeito de sua burrice (tem mesmo cara de asno), de seu despreparo e de sua incapacidade, Freixo revelou toda sua psicose doentia de se transformar em líder da esquerda delinquente e acabou confessando publicamente a natureza criminosa de sua gente. Tal confissão serve de alerta para que os cidadãos honrados se conscientizem da premente necessidade de se vigiar de perto e de neutralizar aquela corja. Continuar comentando tanta iniquidade é pura perda de tempo. Nosso País já pagou um preço muito alto por ter transigido com aquela escória. Não vale a pena gastar latim com gente deste jaez. Eles vão nos desafiar e desafiar o Brasil do bem até a “excomungada da beira”. Vamos continuar aturando até quando os homens de honra desta terra quiserem e nada além.

No segundo vídeo, se veem os comentários firmes e serenos do grande jornalista Alexandre Garcia acerca do retumbante sucesso do atual governo em relação à nova forma de administração da máquina pública, mais propriamente das estatais que, no ano de 2015, fecharam com um prejuízo de 35 bilhões de reais e agora em 2019 apresentaram um lucro de 75 bilhões. Bastou desaparelhar um pouco a máquina governamental e retirar aquelas instituições das mãos da classe política abjeta que mais de 105 bilhões foram recuperados para nossa gente sofrida.

A única coisa com a qual ainda não consigo me conformar é que os responsáveis por todo aquele descalabro não foram punidos com rigor, continuam soltos vivendo nababescamente do muito que nos roubaram. Quando será que tudo isso vai ter fim? Quando será que aquela gente vai pagar pela desgraceira que promoveram?

Muito do que foi alcançado pode se multiplicar geometricamente se o Congresso vier a aprovar a Reforma Administrativa proposta pelo Professor Paulo Guedes, inobstante os muitos obstáculos que serão contrapostos, a começar pela sempre solerte oposição do presidente da Câmara, Rodrigo-Nhônhô-Botafogo-Jatinho-Maia, corrupto de sete costados que, ao que se sabe, por debaixo dos panos já acionou a corja dos vermelhos sindicais.

Realmente, os bandidos sindicais estão mobilizados e a chance de fazer a gritaria de sempre apareceu guando o Professor Paulo Guedes, em palestra na Fundação Getúlio Vargas, afirmou que a relação entre servidores públicos e estados era como a de um parasita e um hospedeiro. Guedes se referia aos gastos exorbitantes que os estados possuem com a folha de pagamento de servidores, a exemplo do que se paga aos Mandarins do STF.

A metáfora objetivava criticar o reajuste automático do funcionalismo público e os elevados ganhos dos príncipes e dos nababos da máquina pública e tinha endereço certo. A extrema imprensa caiu de pau e em virtude da distorcida narrativa que daí decorreu, Guedes divulgou uma mensagem se explicando didaticamente. “Eu me expressei muito mal, e peço desculpas […] Eu não falava de pessoas e sim do risco de termos um Estado parasitário, aparelhado politicamente, financeiramente inviável.”

O petulante presidente do sindicato dos funcionários do BC se manifestou sobre o pedido de desculpas de Guedes. “Não tem desculpas, ele é reincidente.”. Quem esses vagabundos pensam que são? O tempo da petralhada acabou. Com iguais objetivos o Sindicato dos Servidores Públicos Federais no DF (Sindsep-DF) anunciou que iria mobilizar suas bases e chamar uma greve geral “contra o desmonte, em defesa dos serviços públicos, contra as privatizações e por soberania nacional”. Todo esse conflito artificial visa realmente a manter o código de vantagens e de regalias dos parasitas. Guedes não é idiota nem do nível daquela gentalha de Lula e Dilma, enxerga longe e bem sabe o que quer o debiloide presidente da Câmara. Como de costume, para Maia, tudo é motivo para “atrapalhar” as reformas, para criar dificuldades e para vender facilidades.

Surge um novo front. Uma nova batalha se avizinha para aprovar as reformas estruturantes das quais o Brasil tanto carece. Pena que vamos gramar um bom bocado. Todavia essa situação sempre me traz a esperança de que um dia os patriotas se rebelem e ponham fim ao sofrimento de nossa gente. O líder para tanto já surgiu, ele tem a legitimidade de quase sessenta milhões de nacionais, tem a oportunidade criada por uma equipe de colaboradores que há décadas jamais se viu e tem a força dos militares, sempre a postos para livrar o Brasil do fantasma da esquerdalha nefanda e nefasta.

DEU NO JORNAL

O SORRISO DE BERGOGLIO

Leonardo Coutinho

O argentino Jorge Bergoglio, que no dia 13 de março – uma sexta-feira, por sinal – completará sete anos de pontificado, é uma das pessoas mais carismáticas do planeta. Um papa verdadeiramente pop. Mas Francisco, nome pelo qual responde desde que fora eleito no conclave convocado após a renúncia de Bento XVI, está longe de ser uma unanimidade até mesmo entre os católicos. Uma das razões disso é que ele escolheu acolher apenas um lado do rebanho, o da esquerda.

Não há que cair na tentação de chamar o papa de comunista. É muito simplista reduzir o comportamento de representante de Jesus na terra em uma opção política que, justamente, tinha entre suas premissas varrer a crença em Cristo. Mas Bergoglio não se contém. Literalmente, está na cara dele o termômetro de suas opções. No mais singelo dos gestos: o sorriso.

Em 2015, Francisco foi a Cuba e se derreteu diante do caquético Fidel Castro, que viria morrer no ano seguinte. Seus dois antecessores – João Paulo II (1998) e Bento XVI (2012) – também se encontraram com o ditador. Ambos criticaram abertamente a falta de liberdade na ilha e trataram da questão de presos e perseguidos políticos. Francisco foi subjetivo. Entregou ao ditador um livro escrito por um sacerdote que havia sido vítima do regime socialista, como forma de Fidel buscar uma reconciliação.

Pastoralmente louvável, pois, tal como ensinou Jesus Cristo, o papa mostrou para o ditador cubano que Deus está sempre com as portas abertas para os arrependidos. O exemplo mais extraordinário, narrado nos Evangelhos foi dado no Calvário. Pendurado na cruz, Jesus interagiu com dois criminosos que cumpriam a pena capital, cada qual ao seu lado. Um deles aproveitou a chance derradeira e se penitenciou. O outro preferiu desdenhar do filho de Deus à redenção. Segundo a tradição, o primeiro, que estava à direita, recebeu a promessa do paraíso. O outro, que estava à esquerda do Jesus, morreu sem o benefício. Não porque Deus o negara, mas simplesmente porque ele não quis.

O papa Francisco deu a Fidel mais uma chance de não repetir o erro do mau ladrão. Como pastor, ele estava coberto de razão. Mas e as demais ovelhas? Aquelas que jazem em prisões por pensarem diferente ou as várias outras que foram fuziladas no atacado acusadas de serem contrarrevolucionárias? Eu tendo a crer que elas estão nas orações de Francisco, mas passam bem longe de sua boca, de onde sempre sai um sorriso amigo para os bolivarianos. Que são aqueles com quem ele inegavelmente mais se identifica.

Naquele mesmo 2015, Francisco protagonizou uma cena bizarra ao lado do cocaleiro Evo Morales. O então presidente da Bolívia presenteou-lhe com uma escultura na qual Jesus está em crucifixo em forma de foice e martelo. A expressão petrificada do Papa em receber das mãos de Morales o símbolo de uma das maiores máquinas de perseguição de cristãos da história moderna se desmanchou no ar horas depois. No voo de volta para Roma, ele, tolerantemente, definiu o artefato como sendo um tipo de “arte de protesto”. Vá entender.

O papa Francisco trocou afagos com Nicolás Maduro e o chefe do Cartel dos Sóis, Diosdado Cabello. Maduro é líder do mais catastrófico processo de destruição política, social, institucional e econômica já registrado no Ocidente. Cabello, o seu amigão, é um traficante que transformou a Venezuela em uma espécie de Estado-Cartel. Eles não são os únicos, mas são os maiores responsáveis pela massa de mais 4 milhões de refugiados, pela fome, violência e total desesperança que assola os venezuelanos. Mas para eles, o Francisco foi só sorrisos.

O contraste se tornou absoluto quando Mauricio Macri foi ao Vaticano logo depois de eleito. O papa recebeu o seu conterrâneo com a mesma temperatura dos ventos que em julho chegam desde a Antártida. A carranca papal não passou desapercebida pelos argentinos que sempre a compararam com o sorriso genuíno com o qual ele sempre recebeu Cristina Kirchner.

Nesta semana, foi a vez do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Depois de manter correspondências com Lula no período em que ele passou preso em uma sala da sede da Polícia Federal em Curitiba, o papa o recebeu para uma audiência. Como Lula é do seu tipo de ovelha preferida, não faltaram sorrisos e demonstrações explícitas de satisfação. Lula, que não é bobo, deu uma de Fidel. Apareceu diante do papa pop, para buscar absolvição na terra.

Para Lula, um conselho: o sorriso de Bergoglio é bom para fazer política, mas não é sinônimo de redenção divina e muito menos de absolvição terrena. Ele pode ajudar a lembrar que, assim como no momento da crucificação, Jesus segue de braços abertos para oferecer o perdão. Mas para obtê-lo, é preciso querer. Volto a recorrer ao exemplo dos dois criminosos. Um só abraçou a oportunidade. Mas nem por isso deixou de ser ladrão.

DEU NO JORNAL

SE RENDERAM-SE À REALIDADE

A avaliação do governo Jair Bolsonaro aumentou em fevereiro deste ano na comparação com dezembro de 2019 em todos os quatro pontos levantados pela pesquisa VEJA/FSB: a gestão propriamente dita, a forma como o presidente governa, o que foi realizado até agora em comparação com o que se esperava antes do início do mandato e a expectativa sobre como estará o país até o final da administração, em dezembro de 2022.

Segundo o levantamento, 36% avaliam o governo como ótimo ou bom contra 31% em dezembro – o aumento foi além da margem de erro, que é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

A taxa dos que consideram a gestão ruim ou péssima, por outro lado, caiu de 35% em dezembro para 31% em fevereiro.

* * *

Isso aí deu na página da Veja de hoje, sábado.

Bom, se deu na Veja, expoente da grande mídia oposicionista zisquerdal, então é sinal de que não tem mais jeito de tapar o sol gigantesco que inunda o Brasil com uma minúscula peneira.

Na verdade, só tem um cabra neste mundo, além de Lula, que vai desmentir esta pesquisa da revistona.

Este cabra é o Ceguinho Teimoso.

E ele já está convocado pra exercer sua árdua tarefa aqui no JBF.

Aguardemos.