DEU NO JORNAL

E LÁ NOS ZISTADOS ZUNIDOS…

O ex-cadete de polícia Kyle Rittenhouse, 18 anos, foi absolvido nesta sexta-feira (19) de todas as acusações em julgamento em Kenosha, no estado americano de Wisconsin. Ele era acusado de cinco crimes: homicídio doloso, homicídio culposo, tentativa de homicídio e duas acusações de colocar a segurança de terceiros em risco. O júri, formado por cinco homens e sete mulheres, deliberou durante quatro dias.

Em agosto de 2020, Rittenhouse matou dois homens e feriu um terceiro em Kenosha, durante protestos contra o caso de um homem negro, Jacob Blake, que ficou paralítico após ser baleado por um policial.

Durante as manifestações de indignação contra a violência sofrida por Blake, tumultos, vandalismo e saques ocorreram em Kenosha, e publicações em redes sociais convocaram “patriotas” armados para irem à cidade para proteger vidas e propriedades.

Rittenhouse, que tinha 17 anos à época e morava em Illinois, foi a Kenosha armado com um rifle semiautomático, o que levou a promotoria a alegar que ele provocou a violência. A defesa sustentou durante o julgamento que o jovem agiu em legítima defesa, ao reagir para salvar a própria vida após ser chutado, atingido na cabeça com um skate e ter uma arma apontada para sua cabeça. Os dois homens que foram mortos eram brancos, assim como o que foi ferido e o próprio Rittenhouse.

Elie Honig, analista jurídico da CNN, disse logo após a divulgação do resultado que a promotoria não pode recorrer da decisão. “Acabou. A acusação não pode recorrer. Um veredicto de inocente é definitivo. Portanto, é o fim da acusação do Estado contra Kyle Rittenhouse”, explicou.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MÍRIAM S. VALVERDE – NATAL-RN

Sr. Berto,

Segue o comprovante do depósito.

Feito com muito gosto e satisfação para o nosso jornal.

Boa sorte.

R. Com muito gosto e satisfação fico eu, cara leitora, pela força que vocês nos dão.

A patota fubânica é que mantém essa gazeta escrota avuando pelos ares.

Chupicleide está aqui de dentes arreganhados, se rindo-se de tanta felicidade.

Aproveito a oportunidade para também agradecer as doações feitas esta semana pelos leitores José Claudino, Reynaldo Abreu, Arthur Henrique e Vital S.R.

Vai voltar tudo em dobro pra vocês na forma de muita saúde, paz, tranquilidade e longa vida.

E pra alegrar a nossa tarde de sexta-feira, um sacolejado bem gostoso na voz do saudoso Genival Lacerda, interpretando a composição Corrupio.

Um excelente final de semana para todos nós!!!

GUSTAVO GAYER

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

QUEIMANDO A NOSSA BANDEIRA

Comentário sobre a postagem AMALIA LEÃO – SÃO PAULO-SP

Gonzaga:

Minha emoção em ver o respeito pela bandeira brasileira de gente de bem é inversamente proporcional às imagens dos esquerdistas queimando nossa bandeira.

Foto com certeza que nosso nobre editor tem em seus arquivos.

* * *

PEDRO MALTA - REPENTES, MOTES E GLOSAS

19 DE NOVEMBRO – DIA DO CORDELISTA

Leandro Gomes de Barros (1865-1918)

No dia de hoje, 19 de Novembro, é comemorado o Dia do Cordelista.

Uma homenagem ao grande poeta Leandro Gomes de Barros, nascido no dia de hoje, em Pombal-PB, no ano de 1865.

É o maior nome da poesia popular e do cordel nordestino.

* * *

A ALMA DE UMA SOGRA – Um cordel de Leandro Gomes de Barros

Em dias do mez passado
Vi n´uma reunião,
Um trocador de cavallos,
Um velho tabellião,
Um criado de um vigário
E a avó de um sachristão.

Veio uma dessas ciganas
Que lê a mão da pessoa,
Leu a mão de um velho e disse:
Vossa mercê anda atôa,
De cinco sogras que teve
Não obteve uma boa.

É muito exacto cigana
Disse o velho a suspirar,
A melhor de todas cinco,
Essa obrigou-me a chorar,
Depois de morta tres mezes,
Quase me faz expirar.

Disse o velho, minha vida,
Dá muito bem uma scena,
Dá um romance e um drama,
E a obra não é pequena,
O velho tabelião
Quase que chora com pena.

O velho ali descreveu
Todas scenas que deram
Alguns daquelles ali,
Foram escutar não puderam
Foi um serviço de gancho
O que essas sogras fizeram.

Então a primeira sogra,
Foi uma tal Marianna,
Tinha os dentes arqueados
Como a cobra caninana
Elle casou-se na quarta
Brigou no fim da semana.

A segunda era uma typa
Alta, magra e corcovada,
Damnada para passeios,
Enredadeira exaltada
Cavilosa e feiticeira,
Intrigante e depravada.

Por felicidade dele
Chegou-lhe a fortuna um dia,
Deu a munganga na velha
Chegou-lhe a hydrophobia,
Foi morta a tiro no campo
Graças ao povo que havia.

Continue lendo

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURÍCIO ASSUERO – RECIFE-PE

Magnânimo Editodos,

o Cabaré do Berto abrirá suas portas para a receber o Prof. Francisco Guedes de Melo, carinhosamente chamado de Có.

Pois bem, esse querido amigo também é um dos poetas da APPTA – Associação dos Poetas e Prosadores de Tabira que pariu talentos incríveis como Neide Nascimento, Gonga Monteiro, Andreia Miron, Genildo Santana (cuja dissertação de mestrado defendida no dia 27/09/2021 vai ser apresentada num evento na Grécia), Dayanne Rocha e todos com o DNA poético de Dedé Monteiro, Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco!

Có lançou recentemente um livro de poesias intitulado CAMINHOS DO SERTÃO e aceitou participar do furdunço de hoje, que começa às 19h30 e se finda às 20h30 porque depois desse horário o cabaré está aberto somente para maiores de 90 anos (a zona é grande) ou para experts como nossa querida Terezinha Araújo.

E já vou parodiando Moacir Franco cantando “A nossa vida é um cabaré, é uma zona sem nenhum pudor….”

Então, por favor, coloque na garupa da Besta o convite para os desmiolados de da vez “se achegarem” sem medo ou “patim”.

Para participar basta clicar aqui.

Pode contar que às 19h25 já estarei distribuindo os ingressos.

R. O recado está dado, nobre gerente cabarezeiro.

Às sete e meia da noite estaremos todos lá, pra participar de mais um agradável encontro semanal da comunidade fubânica.

Será uma alegria enorme recebermos neste nosso antro o ilustre Prof. Francisco Guedes de Melo, um talentoso poeta.

Até mais tarde!!!!

DEU NO JORNAL

RÉU CONFESSO

Luís Ernesto Lacombe

Presidente do STF, Dias Toffoli, se rendeu à tese do ministro Alexandre de Moraes sobre o compartilhamento de dados financeiros para fins de investigação.

O que não é crime passa a ser. Inventam-se crimes aos montes. São atribuídos a algumas pessoas, conforme interesses escusos e nem tão escusos assim. Procuram-se provas. Não há? Quem se importa com provas? “A Justiça pode ser cega, mas não é tola”, já disse Alexandre de Moraes. E a verdade é propriedade exclusiva dos nossos juízes supremos. Eles sabem de tudo, sabem bem o que aconteceu, o que tem acontecido, o que acontecerá… Isso basta. Abolirão, pois, as provas. Vai na canetada. São eles que definem o que é crime e quem são os criminosos.

Eles estão acima de tudo e de todos, acima do bem e do mal. Não erram, não cometem equívocos, não se deixam levar… Por nada. E, assim, também o que é crime, se eles decidirem, deixa de ser. Até crimes que, porventura, eles próprios tenham cometido. Mesmo que um dos juízes tenha abertamente, num clima “cara de pau”, confessado…

Claro que não houve tortura, que nenhum tipo de violência foi empregado. Dias Toffoli simplesmente disse: “Nós já temos um semipresidencialismo com um controle de poder moderador, que hoje é exercido pelo Supremo Tribunal Federal”. Pronto, falou. Não sei se era para ser assim. A dissimulação já estava no automático, era o cinismo no poder. E alguém pensou que declaração assim daria um barulho danado? Não deu em nada.

Há uma Constituição em frangalhos, agora diante de uma suprema corte que admite ter usurpado o poder presidencial e passado a exercer funções que não estão sequer previstas na nossa lei máxima. Do crime a gente já sabia. Agora, que seria admitido dessa forma… Poder Executivo atropelado, Legislativo quieto, acovardado. E lá de Lisboa lançam a campanha “Viva o semipresidencialismo”!

Falam o presidente da Câmara, Arthur Lira, o ministro Gilmar Mendes, organizador do fórum jurídico na capital portuguesa… Mas peraí, ele não deveria se pronunciar apenas nos autos? Não é o recomendável? Ele não deveria negar com veemência que o sistema que ele e Lira defendem já está em vigor no Brasil, que o Dias Toffoli cometeu um lapso apenas, que não é bem assim?

É importante entender que a prioridade agora não é discutir o sistema de governo no Brasil, o enorme número de partidos que temos, quase sempre sem orientação ideológica clara. Não é hora de discutir o presidencialismo de coalizão, a ideia de um poder compartilhado… A questão agora, neste momento, é entender que já temos um semipresidencialismo imposto, na maior cara dura, e que temos um réu confesso, que arrasta consigo um tribunal inteiro.

No coro que vem de Lisboa, a ditadura do Judiciário ganha outro nome: “poder moderador”, e de um sistema que a nossa Constituição não prevê, não admite. Enquanto isso, Lula, “descondenado”, também passeia pelo continente europeu, falando as besteiras e atrocidades de sempre, como se fosse um chefe de Estado, um chefe de governo, um primeiro-ministro. Mas o pedido de extradição enviado ao exterior é contra o jornalista Allan dos Santos…

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

AMALIA LEÃO – SÃO PAULO-SP

Sr. Editor:

Hoje, 19 de Novembro, é o Dia da Bandeira.

Solicito que publique no nosso jornal o hino a ela dedicado.

Ofereço ao meu querido pai, coronel da reserva do Exército Brasileiro e que me ensinou a cantá-lo desde menina.

Letra de Olavo Bilac e música de Francisco Braga.

Despeço-me agradecendo sua acolhida ao meu pedido.

DEU NO TWITTER

AUGUSTO NUNES