ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

FRASES BEM-HUMORADAS DE MÁRIO QUINTANA

“Um poeta satisfeito não satisfaz. Dizem que sou tímido. Nada disso! Sou é caladão, introspectivo. Não sei porque sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos como os outros?”

“Buscas a perfeição? Não sejas vulgar. A autenticidade é muito mais difícil.”

“O futuro é uma espécie de banco ao qual vamos remetendo, um a um, os cheques de nossas esperanças. Ora, não é possível que todos os cheques sejam sem fundos.”

“Eu moro em mim mesmo. Não faz mal que o quarto seja pequeno. É bom, assim tenho menos lugares para perder as minhas coisas.”

“Nos foram dadas duas pernas para andar, as duas mãos para segurar, dois ouvidos para ouvir, dois olhos para ver… mas por que só um coração? Porque o outro foi dado a alguém para nos encontrar.”

“Se um poeta consegue expressar a sua infelicidade com toda a felicidade, como é que poderá ser infeliz?”

“Quando guri, eu tinha de me calar à mesa: só as pessoas grandes falavam. Agora, depois de adulto, tenho de ficar calado para as crianças falarem.”

“Se eu amo o meu semelhante? Sim. Mas onde encontrar o meu semelhante?”

“O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente… E assim é com a vida, você mata os sonhos que finge não ver.”

“Há uma cor que não vem nos dicionários. É essa indefinível cor que têm todos os retratos, os figurinos da última estação… a cor do tempo.”

“O maior chato é o chato perguntativo. Prefiro o chato discursivo ou narrativo, que se pode ouvir pensando noutra coisa…”

“A gente pensa uma coisa, acaba escrevendo outra e o leitor entende uma terceira coisa… e, enquanto se passa tudo isso, a coisa propriamente dita começa a desconfiar que não foi propriamente dita.”

“Se alguém acha que estás escrevendo muito bem, desconfia… O crime perfeito não deixa vestígios.”

“Há noites que eu não posso dormi de remorso por tudo o que eu deixei de cometer.”

“Quando completei quinze anos, meu compenetrado padrinho me escreveu uma carta muito, muito séria: tinha até ponto-e-vírgula! Nunca fiquei tão impressionado na minha vida.”

“A indiferença é a maneira mais polida de desprezar alguém.”

“Naquele dia, fazia um azul tão límpido, meu Deus, que eu me sentia perdoado para sempre. Nem sei de quê.”

“Era um grande nome – ora que dúvida! Uma verdadeira glória. Um dia adoeceu, morreu, virou rua… E continuaram a pisar em cima dele.”

“Minha vida é uma colcha de retalhos. Todos da mesma cor.”

“O leitor que mais admiro é aquele que não chegou até a presente linha. Neste momento já interrompeu a leitura e está continuando a viagem por conta própria.”

Mário Quintana (1906 – 1994) foi um poeta, tradutor e jornalista brasileiro. Mestre da palavra, do humor e da síntese poética, em 1980 recebeu o prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras (ABL) pela obra total. Em 1981, foi agraciado com o Prêmio Jabuti de Personalidade Literária do Ano. Sua biografia é tão singela quanto seus poemas: não casou, não teve filhos, viveu boa parte da vida em quartos de hotéis, passeava pelas ruas de Porto Alegre como qualquer anônimo e da cidade foi figura lendária. Faleceu na capital gaúcha no dia 05 de maio de de 1994, aos 87 anos, em decorrência de problemas cardíacos e respiratórios, deixando uma inestimável e singular contribuição para a literatura brasileira. 

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

TROVAS DE GERALDO AMÂNCIO

As trovas todas que traço
Quando começo escrever,
Por mais que faça, não faço
Como desejo fazer.

Com elaboradas frases
E o dom divino e profundo,
Os poetas são capazes
De interpretar o mundo.

Se tenho de andar sozinho
Vou em frente, sigo assim…
Se eu não fizer meu caminho
Ninguém vai fazer por mim.

Com o meu rio valente
Eu, às vezes, me pareço
Ele ronca com a enchente
E eu ronco quando adormeço.

A saudade é como um porre
Cuja ressaca não finda
Sinal de um amor que morre
Mas teima em viver ainda.

Eu trouxe em minha lembrança
Da minha província inculta.
Uma saudade criança
Que depois tornou-se adulta.

Se queres a vida cheia
De paz, a divina chama
Esquece de quem te odeia
Lembra-te de quem te ama.

Quis a vida me ensinar
Me esforcei para aprender
Aplaudir sem bajular
Criticar sem ofender.

Geraldo Amâncio Pereira é poeta, repentista, trovador, cordelista e contador de causos. Nascido no sítio Malhada da Areia, município do Cedro, Ceará, em 29 de abril de 1946. Cursou faculdade de História em Fortaleza. Começou com acompanhamento de viola em 1966. Participou de centenas de festivais em todo o país, e classificou-se mais de 150 vezes em primeiro lugar. Organizou festivais internacionais de repentistas e trovadores, além do festival Patativa do Assaré. É autor das três antologias sobre cantoria em parceria com o poeta Vanderley Pereira. Gravou 15 CDs ao longo da carreira, além de ter publicado cordéis em livros. Apresentou o programa dominical “Ao Som da Viola”, na TV Diário em Fortaleza.

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

FILOSOFIA DE PARA-CHOQUE

“O passado não volta, o presente não fica e o futuro virá, acelera porque tem muito chão pra rodar.”

“A pior das sextas-feiras ainda é melhor do que a melhor das segundas-feiras.”

“Aos que falam de mim pelas costas, obrigado. É sinal que estamos sempre na frente.”

“Dinheiro é como eletricidade, beneficia os prudentes e fulmina os insensatos.”

“Até as flores dependem da sorte. Umas enfeitam a vida, outras, a morte.”

“Dizem que Deus dá as batalhas mais difíceis aos seus melhores soldados. Acredito que ele tenha me confundido com o Rambo…”

“A vida é uma estrada livre para quem quiser conhecer e só depende de você caminhar, correr ou parar.”

“Nunca troque o que mais quer na vida, por o que mais quer no momento.”

“Encontrar a felicidade em nós mesmos não é fácil, e é impossível encontrá-la em outro lugar.”

“Se liberdade fosse só vento na cara, você comprava um ventilador.”

“Somos quase deuses num reino de quase morte e que quase tudo podemos.”

“Dizem que o dinheiro é coisa do diabo; mas se quiser ver o diabo, ande sem dinheiro.”

“Se procuras uma mão disposta a te ajudar, tu a encontrarás no final do teu braço.”

“O verdadeiro mérito é como o fogo vivo: ainda que o abafem, rebenta.”

“O casamento é feito carro novo: leva tempo para AMACIAR e, quando isso acontece, começa a apresentar DEFEITOS.”

“A melhor coisa da juventude é que, se você pudesse fazer tudo outra vez, ainda teria tempo.”

“O NÃO é uma palavra curta capaz de resolver muitos problemas compridos.”

“Quando você passar na rua e ficarem te olhando, não se sinta o máximo… O feio e o ridículo também chamam a atenção.”

“Existem dois tipos de mulheres: as que me amam, e as que não me conhecem.”

“O primeiro a se desculpar é o mais corajoso. O primeiro a perdoar é o mais forte. O primeiro a esquecer é o mais feliz.”

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

FRASES ANÔNIMAS BEM-HUMORADAS

“Tudo na vida é temporário. Por isso, se as coisas correrem bem, desfrute-as, porque não duram para sempre e, se as coisas correrem mal, não se preocupe, também não durarão para sempre.”

“A crise está está tão feia que agora as pessoas voltaram a se relacionar por amor porque ninguém mais tem dinheiro.”

“Eu nunca cometo o mesmo erro duas vezes… Cometo umas cinco vezes só para ter certeza que é errado mesmo!”

“Não posso ver alguém com o mesmo sobrenome que o meu na internet, que já mando convite de amizade. Vai que é parente rico.”

“Brasileiro não gosta de frio, nem de calor e nem de chuva. Brasileiro gosta de encher o saco e reclamar de tudo.”

“Na China, irão construir um hospital em 6 dias. No Brasil, em 6 dias não entregam nem o resultado do exame de fezes.”

“Gosto de ler o meu horóscopo porque é o único lugar onde eu tenho amor, saúde, amigos e trabalho.”

“Antes. meu mico era quando a corrente da minha bicicleta caía. Hoje em dia, meu mico é quando acaba a gasolina da minha moto no meio do trânsito.”

“O amor é como quando você perde o controle remoto. Você procura por toda a casa, mas quando você se cansa e deixa de olhar, aparece magicamente.”

“Se até o príncipe Harry está querendo distância da família, imagina nós, com os nossos parentes que nem da realeza são.”

“Sempre que possível, converse com um saco de cimento. Nessa vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto.”

“Não há lugar para onde correr: as mudanças, quando precisam acontecer, sabem como nos encontrar.”

“Se quem ama cuida, muita gente deve me amar. Porque o que tem de pessoas cuidando da minha vida, não é brincadeira!”

“Alguém sabe um bom site de compras que o pagamento possa ser feito com energia positiva e boas vibrações?”

“Não se preocupe com o que as pessoas falam por trás de você. Há uma boa razão para elas estarem atrás.”

“Quando você estiver desmotivado para trabalhar, lembre-se que o boleto sempre vai chegar. Espero ter ajudado.”

“Saudade de certos contatos físicos, que eu já nem sei mais como são. Tipo, eu encostando em uma nota de 100 reais.”

“Pobre quando viaja na volta traz queijo, pinga, uma lembrancinha… Rico quando viaja na volta traz vírus.”

“Se você não é nem de direita nem de esquerda, venha para minha cidade, porque aqui ninguém dá seta.”

“Ninguém morre de saudades, nem de amor, nem de tédio. Mas é melhor você arrumar um emprego, porque de forme sim, você morre.”

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

A MULHER NOS VERSOS DOS REPENTISTAS

Salomão pediu a Deus,
Inteligência sem fim.
Saber pedir foi Adão
Esse soube pedir, sim.
Soube pedir, sim senhor,
Quando disse ao criador:
Faça uma mulher pra mim.

Geraldo Amâncio

Eu não falo de mulher
Pois toda mulher é boa
Honesta ou desonesta
Pois mesmo a mulher à toa
Se não prestar pro marido
Presta pra outra pessoa.

Severino Bezerra

Quando a mulher é jogada
Na mais detestável lama,
Recebendo humilhações
Da pessoa que mais ama,
A terra bebe chorando
As lágrimas que ela derrama…

Rogério Menezes

Toda mulher simboliza
Nosso ponto de partida
Pela luz do amor divino
A sua alma é nutrida
E assim seu ventre fecunda
A luz que dá brilho à vida.

Rubens do Valle

Maria, quando eu morrer,
Talvez encontre um rapaz
Que possa tirar-te o luto
Pelos meus restos mortais,
Mas poeta como eu
Talvez não encontre mais.

Josué da Cruz (1904 – 1968)

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

A CURIOSIDADE PROMOVE DESCOBERTAS

Conta a lenda que um imenso cardume vivia num lago, onde a água era turva, com algas escuras, de uma aparente abundância, porque o alimento era adquirido sem esforço. Cada indivíduo daquela espécie não tinha nenhuma inquietação, estava saciado e lento em seus movimentos. Aos mais jovens era ensinado que não deveriam sair dali, pois uma corrente próxima desembocava num oceano misterioso e cheio de perigo. Mas, um peixe curioso tentou quebrar a tradição. Aventurou-se a pular, com grande coragem, para alcançar as águas desconhecidas. Quando mergulhou na nova corrente de águas luminosas, sua visão foi renovada. Percebeu alimentos saborosos, outras plantas aquáticas e seres de uma beleza nunca vista.

Este audacioso peixe foi considerado um desertor, um subversivo da ordem de não atravessar os limites determinados. Pessoas curiosas estão dispostas a explorar o desconhecido antes de julgá-lo. Assim, os curiosos não se acomodam à incerteza ou às velhas ideias. Diante do inesperado e do desconhecido, os curiosos sentem-se estimulados a procurar, a desvendar, a conhecer. Estas pessoas tendem a ter mais receptividade às experiências do mundo que as cercam e apresentam mais flexibilidade em relação a tudo o que é novo, diferente, incomum.

A novidade e a curiosidade são atributos humanos – e também animais – que estão relacionados ao processo de busca. O que é novo provoca nossos sistemas de atenção e o ato de ser curioso nos motiva a procurar respostas, a resolver problemas e a aprender a necessidade constante de darmos conta dos diversos desafios, cujos os estímulos ambientais e nossa ávida mente nos apresentam a todo instante. A narrativa demonstra que o ato de ser curioso motiva o aprendizado no sentido de investigarmos o nosso mundo para descobertas e para o desconhecido.

Fonte: Este texto foi encontrado na internet com autoria desconhecida. As pessoas começaram a enviar para os e-mails dos amigos, então, pela importância do assunto resolvi publicar no JBF.

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

FRASES BEM-HUMORADAS SOBRE O CASAMENTO

“Os homens se casam, imaginando que a mulher nunca vai mudar. Já as mulheres, se casam na esperança de mudar o marido. Invariavelmente, os dois se decepcionam.”

“Quando um homem segura a mão de uma mulher antes do casamento, é amor, depois do casamento, é autodefesa.”

“Para ter um casamento feliz é simples: Basta que os dois desejem ter um casamento feliz. O casamento só acaba quando um deles deixa de querer isso.”

“Muitos abandonam o casamento alegando que o amor acabou. Quando acaba a gasolina do seu carro, você abandona ou abastece novamente?”

“Preciso de um advogado, tem um pra me indicar? Eu não, mas minha ex-mulher conhece um ótimo!”

“Se a pessoa mal chegou na sua vida e já está controlando até as suas curtidas, imagine então se você casar com ela.”

“Angelina Jolie entenda que por mais que você agora esteja solteira, eu continuo casado, por gentileza não me procure, pois minha mulher é ciumenta. Obrigado!”

“No casamento você tem que mostrar quem é o chefe. Por isso olhe bem no fundo dos olhos dela e diga: Você é o chefe!”

“Tirou o fone de ouvido para conversar comigo, eu já vou preparar tudo para o casamento, porque essa é a pessoa da minha vida.”

“O mais legal de ver álbuns de casamentos no Facebook é que tem sempre aquela madrinha que usa um vestido cor azul Carrefour.”

“Rico quando faz aniversário de casamento comemora fazendo outro casamento, pobre comemora indo na lanchonete comer burgão.”

“Casamento é, basicamente, ter alguém pra te ajudar a resolver problemas que você não teria se fosse solteiro.”

“Quando eu era criança minha mãe me mandava desligar a televisão e ir dormir. Agora já sou adulto… e minha esposa é quem manda!”

“Eu e minha noiva nunca brigamos com esse negócio de data de casamento. Já está decidido. Ela escolhe o dia e o mês… e eu escolho o ano!”

“Não adianta perder tempo arrumando uma desculpa por chegar tarde. Se sua mulher estiver acordada não vai querer escutar, se estiver dormindo, você não precisará de desculpa.”

“Minha mulher deve estar planejando uma viagem surpresa. Ela deixou um bilhete na cama dizendo que eu tenho atá amanhã para fazer minhas malas.”

“Hoje de noite um amigo de antigamente me perguntou se ele podia dormi no sofá da minha casa. Tive de explicar que agora sou casado, portanto lá é onde eu durmo.”

“Falei pro meu chefe que quero no trabalho a mesma autonomia que tenho em casa. Amanhã minha mulher começa como nossa gerente.”

“Disse o padre: Quem tiver alguma coisa contra este casamento, que fale agora ou se cale para sempre! Você não meu filho… você é o noivo.”

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

O MACACO E O HOMEM SEGUNDO GERALDO AMÂNCIO

Nesta deliciosa técnica literária que ridiculariza um determinado tema, o repentista e poeta Geraldo Amâncio põe em dúvida a teoria da evolução humana, de Charles Darwin. Ele interfere pela visão criacionista da Bíblia, respeitando, entretanto, o direito das pessoas, que acreditam ser o homem descendente do macaco, cultuar seus ancestrais.

Este poema foi inspirado pelos argumentos do grande escritor Ariano Suassuna (1927 – 2014) que não acreditava na teoria da evolução, ora comentada, defensora da explicação biológica para o surgimento das espécies.

O MACACO E O HOMEM

Aprendi com minha mãe
Desde o tempo de menino,
Que o homem conforme a Bíblia
É criação do Divino.
Disse um cientista fraco
Que o homem veio do macaco
Eu não creio e nem combino.

Eu ser filho de macaco?
Isso não me satisfaz.
Bicho é bicho, gente é gente,
Não misture os animais.
Por que só antigamente
Macaca paria gente
E agora não pare mais?

Se o macaco é pai do homem
O filho não puxa aos pais
Porque nos procedimentos
São bastante desiguais.
Não tem macaco roubando,
Matando nem assaltando
Do jeito que o homem faz.

O porco com uma porca
Só geram porco e mais nada.
Rato não vira preá
Não tem raça misturada.
É bom que a pergunta eu faça,
Por que só a nossa raça
De outra raça foi gerada?

Se o macaco é pai do homem
O que foi que aconteceu?
Se o pai é que ensina o filho
A falar do jeito seu.
Nisso a ciência se cala,
Se o macaco não fala
Com quem o homem aprendeu..

Quando eu souber que um carneiro
Transformou-se em boi valente,
Um gato virar cachorro,
Minhoca virar serpente,
E mosca virar mosquito,
Aí sim eu acredito
Que o macaco é pai da gente.

Eu não sou contra o macaco
Nem contra os costumes seus.
Macaco ser pai do homem
Isso é coisa dos ateus.
Cada um com seu capricho,
Se é de eu ser filho de bicho,
Quero ser filho de Deus.

Mas quem acredita nisso,
Quem nessas coisas tem fé
Assim que avista um macaco
Já sabe o seu pai quem é.
Estire o braço e a mão
E diga com educação:
Como vai pai chimpanzé?

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

FRASES POÉTICAS DE RUBEM ALVES

“Somos as coisas que moram dentro de nós. Por isso, há pessoas tão bonitas, não pela cara, mas pela exuberância de seu mundo interior.”

“Todas as palavras tomadas literalmente são falsas. A verdade mora no silêncio que existe em volta das palavras. Prestar atenção ao que não foi dito, ler as entrelinhas. A atenção flutua: toca as palavras sem ser por ela enfeitiçada. Cuidado com a sedução da clareza! Cuidado com o engano do óbvio!”

“A gente fica esperando que a alegria deverá chegar depois da formatura, do casamento, do nascimento, da viagem, da promoção, da loteria, da eleição, da casa nova, da separação, da aposentadoria… E ela não chega porque a alegria não mora no futuro, mas só no agora.”

“Nietzsche disse que só existe uma pergunta a ser feita quando se pretende casar: – continuarei a ter prazer em conversar com esta pessoa daqui a 30 anos?”.

“Continuaram a acariciar-se sem desejo e atormentando-se com as súplicas e as recordações. Saborearam a amargura de uma despedida que pressentiam, mas que ainda podiam confundir com uma reconciliação.”

“Um pássaro voando é um pássaro livre. Não serve para nada. Impossível manipulá-lo, usá-lo, controlá-lo. E esse é, precisamente, o seu segredo: a inutilidade. Ele está além das maquinações do homem.”

“A vida tem sua própria sabedoria. Quem tenta ajudar uma borboleta a sair do casulo a mata. Quem tenta ajudar o broto a sair da semente o destrói. Há certas coisas que têm de sair de dentro para fora.”

“O ato de ouvir exige humildade de quem ouve. E a humildade está nisso: saber, não com a cabeça, mas com o coração, que é possível que o outro veja mundos que nós não vemos.”

“Não havíamos marcado hora, não havíamos marcado lugar. E, na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos, nossos tempos e nossos lugares coincidiram. E, deu-se o encontro.”

“A morte e a vida não são contrárias. São irmãs. A reverência pela vida exige que sejamos sábios para permitir que a morte chegue quando a vida deseja ir.”

“Será possível, então, um triunfo no amor? Sim. Mas ele não se encontra no final do caminho: não na partida, não na chegada, mas na travessia.”

“O nascimento do pensamento é igual nascimento de uma criança: tudo começa com um ato de amor. Uma semente há de ser depositada no ventre vazio. E a semente do pensamento é o sonho. Por isso educadores, antes de serem especialistas em ferramentas do saber, deveriam ser especialistas em amor: intérpretes de sonhos.”

“Sim, quero viver muitos anos mais. Mas não a qualquer preço. Quero viver enquanto estiver aceso, em mim, a capacidade de me comover diante da beleza.”

“A saudade é o bolso onde a alma guarda aquilo que ela provou e aprovou. Aprovadas foram as experiências que deram alegria. O que valeu a pena está destinado à eternidade. A saudade é o rosto da eternidade refletido no rio do tempo.”

“Levou tempo para que eu percebesse que quem presta muita atenção no que é dito não consegue escutar o essencial. O essencial se encontra fora das palavras…”

“Quero viver enquanto estiver acesa, em mim, a capacidade de me comover diante da beleza.Essa capacidade de sentir alegria é a essência da vida.”

“Somos como os moluscos. Frágeis diante de um mundo imenso e assustador. Tratamos, então, de nos defender: construímos conchas duras de palavras.”

“O desejo de liberdade é mais forte que a paixão. Pássaro, eu não amaria quem me cortasse as asas. Barco, eu não amaria quem me amarrasse no cais.”

“Não basta o silêncio de fora. É preciso o silêncio dentro. Ausência de pensamentos. E ai, quando se faz o silêncio dentro, a gente começa a ouvir as coisas que não ouvia. (…) Talvez, essa seja a essência da experiência religiosa – quando ficamos mudos, sem fala.”

“Conhecimento é coisa erótica, que engravida. Mas é preciso que o desejo faça o corpo se mover para o amor. Caso contrário, permanecem os olhos impotentes e inúteis. Para conhecer é preciso primeiro amar!”

Rubem Azevedo Alves (1933 – 2014) foi psicanalista, educador, teólogo, escritor e ex-pastor presbiteriano brasileiro. Foi autor de livros religiosos, educacionais, existenciais e infantis. É considerado um dos maiores pedagogos brasileiros de todos os tempos, um dos fundadores da Teologia da Libertação e intelectual polivalente nos debates sociais no Brasil. Foi professor da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

A MORTE DE TANCREDO NEVES

Tancredo Neves venceu o candidato Paulo Maluf no colégio eleitoral em 15 de janeiro de 1985. Assumiria o cargo de presidente da República em 15 de março, porém foi internado na véspera da posse.

Teve o diagnóstico de diverticulite. A doença se manifesta quando os divertículos – saliências gastrointestinais que retêm pequenas quantidades de fezes – se inflamam ou contraem infecções. O problema pode causar complicações no peritônio – membrana serosa que reveste a cavidade abdominal e, também, algumas vísceras.

O tratamento do mineiro Tancredo Neves teria sido adiado por questão política pela possibilidade da transição do regime militar para o civil vir a ser abortada. Vaidade e erros médicos contribuíram para sua morte após trinta e sete dias de dor, cirurgias e um sentimento de frustração. Coube a José Sarney, o vice-presidente, concluir a transição democrática, que completará 35 anos no dia 15 de março de 2020.

No admirável mundo do repente, a visão da morte do referido político assume uma conotação e vocabulário riquíssimo de termos regionais. Certa vez, durante um festival de de violas em João Pessoa/PB, uma dupla de repentistas foi sorteada para cantar sobre a vida e a morte de Tancredo Neves. Um deles com mais esclarecimento sobre o assunto, terminou uma sextilha com os versos:

A morte do presidente
O país todo sentiu.

A informação do seu colega de cantoria era muito pouca a respeito da doença que levou a óbito o famoso político mineiro. Seu conhecimento se restringia ao doutor Walter Pinnoti que cuidou do presidente. O repentista lançou a mão da maior criatividade possível dentro de suas limitações a propósito de um tema tão complicado:

Meia-noite, ele pediu
Um copo d’água a Pinote
Pinote deu-lhe um caneco
D’água barrenta do pote:
Bateu dentro, ele caiu
Ciscando como um caçote.