ENCANTOU-SE UMA LENDA DO REPENTE

O poeta repentista João Batista Bernado, mais conhecido por João Furiba, que faria 101 anos em julho, morreu de causas naturais, no dia 31 de janeiro do corrente ano, em Cajazeiras/PB, onde estava internado em hospital da cidade.

João Furiba

João Furiba nasceu em Taquaritinga do Norte/PE e viveu boa parte de sua existência em Sumé, no Cariri Paraibano. Recentemente residia com a terceira esposa na cidade de Triunfo/PB.

Foi discípulo de Pinto do Monteiro, com quem viajou por mais de 15 anos e pertence à galeria dos maiores repentistas do Brasil, brilhando na mesma constelação de Geraldo Amâncio, Ivanildo Vila Nova, Os Batistas, Os Bandeiras, Moacir Laurentino, Valdir Teles, Oliveira de Panelas, João Paraibano e Sebastião Dias.

Vamos homenagear João Furiba descrevendo episódio de sua longa, profícua e exitosa vida profissional no admirável mundo do repente. Em Campina Grande, no 149° aniversário da Independência do Brasil , ele cantava com os repentistas Antônio Barbosa e João Marinho, no auditório da Borborema. O animador pediu um mote alusivo à data. Orlando Tejo escreveu num papel de cigarro:

Já faz cento e quarenta e nove anos
Que o Brasil se tornou independente

Furiba glosou com seu talento de mestre do improviso:

O Brasil já viveu no cativeiro
Suportando o regime imperial
Mas, depois, se tornou colonial
Não quis mais sujeitar-se ao estrangeiro
Veio um rei que se tornou brasileiro
Dedicou seu amor à nossa gente
Depois veio a trindade consciente
Deodoro Fonseca com seu manos
Já faz cento e quarenta e nove anos
Que o Brasil se tornou independente.

7 Cometários!

A TECNOLOGIA DO ABRAÇO POR UM MATUTO MINEIRO

O matuto falava tão calmamente, que parecia medir, analisar e meditar sobre cada palavra que dizia…

– É… Das invenções dos homens, a que mais tem sentido é o abraço. O abraço não tem jeito de um só aproveitar! Tudo quanto é gente, no abraço, participa uma beradinha…

Quando você tá danado de saudade, o abraço de alguém te alivia…

Quando você tá com muita raiva, vem um, te abraça e você fica até sem graça de continuar com raiva…

Se você tá feliz e abraça alguém, esse alguém pega um pouquinho da sua alegria…

Se alguém tá doente, quando você abraça ele, ele começa a melhorar, e você melhora junto também…

Muita gente importante já tentou dar um jeito de saber por que é que o abraço tem tanta tecnologia…

Mas eu sei!

O abraço é bom por causa do coração…

Quando você abraça alguém, faz massagem no coração!…

O coração do outro é massageado também! Mas não é só isso, não…

Aqui tá a chave do maior segredo de tudo:

É que, quando abraçamos alguém, nós ficamos com dois corações no peito!… Juntos… Dá até pra ouvir o coração do outro.

INTONCE… UM ABRAÇO PRÔ CÊ!!!

PS.: Não fique triste se alguém lhe virar as costas…

Isso significa, apenas, que essa pessoa não pode aguentar a firmeza de seu olhar.

O destino decide quem entra em nossas vidas…

As atitudes decidem quem permanece.

Fonte: Este texto foi encontrado na internet com autoria desconhecida. As pessoas começaram a enviar para os e-mails dos amigos, então, pelo bom humor do assunto resolvi publicar no JBF.

7 Cometários!

O BOM HUMOR NOS VERSOS DOS REPENTISTAS

Oliveira de Panelas, grande cantador repentista nordestino

* * *

Cristo foi crucificado
Em meio mil agressões
Porém por sorte morreu
Somente entre dois ladrões,
Se fosse hoje, na certa,
Seriam muitos milhões.

Oliveira de Panelas

O que eu tenho é esta casa
Que eu herdei do meu pai
É a chuva vem não vem,
É a casa vai não vai;
Todo dia eu boto barro,
Toda noite o barro cai!

Luiz de Campos (1939 – 2013)

Eu sou feliz porque vivo
Cantar verso sem quebranto
Sou feliz por ser poeta
Isso aí eu lhe garanto
Sílvio Santos tem dinheiro
E não canta o tanto que eu canto.

Geraldo Amâncio

Coisa ruim de fazer
É dirigir sem para-brisa
Entrar no xote com os filhos
Levando a carteira lisa
Amansar mulher valente
Que achou batom na camisa.

Rogério Menezes

Eu sou tão analfabeto,
Que nem sei dizer o tanto;
Vendo um lápis, tenho medo;
Vendo um caderno, me espanto,
Mas, quando um jumento rincha,
Eu penso um poema e canto.

Onésimo Maia (1951 – 2001)

6 Cometários!

FRASES DE MÁRIO QUINTANA

Aristeu Bezerra

“A saudade que dói mais fundo e irremediavelmente é a saudade que temos de nós.”

“Confesso que até hoje só conheci dois sinônimos perfeitos: ‘nunca e sempre’.”

“O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente. E assim é com a vida, você mata os sonhos que finge não ver. “

“No fundo, não há bons nem maus. Há apenas os que sentem prazer em fazer o bem e os que sentem prazer em fazer o mal. Tudo é volúpia.”

“Dizes que a beleza não é nada? Imagina um hipopótamo com alma de anjo… Sim, ele poderá convencer os outros de sua angelitude – mas que trabalheira!”

“A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda.”

“Há 2 espécies de chato: os chatos propriamente ditos e os amigos, que são os nossos chatos prediletos .”

“Não tem porque interpretar um poema. O poema já é uma interpretação. “

“Só se deve beber por gosto: beber por desgosto é uma cretinice.”

“A resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.”

“Quero sempre poder ter um sorriso estampado em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre. E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.”

“O amor é isso. Não prende, não aperta, não sufoca. Porque quando vira nó, já deixou de ser laço. “

“A arte de viver é simplesmente a arte de conviver.. simplesmente, disse eu? Mas como é difícil!”

“O tempo não para! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo.”

“Maravilhas nunca faltaram ao mundo; o que sempre falta é a capacidade de senti-las e admirá-las”

“Viver é acalentar sonhos e esperanças, fazendo da fé a nossa inspiração maior. É buscar nas pequenas coisas, um grande motivo de ser feliz!”

“Se eu acredito em Deus? Mas que valor poderia ter minha resposta, afirmativa ou não? O que importa é saber se Deus acredita em mim.”

“A indulgência é a maneira mais polida de desprezar alguém.”

“O passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente…”

“Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente… e não a gente a ele!”

Mário Quintana (1906 – 1994) nasceu na cidade de Alegrete, no Rio Grande do Sul. Ele foi poeta, tradutor e jornalista. É considerado um dos maiores poetas do século XX. Mestre da palavra, do humor e da síntese poética, em 1980 recebeu o Prêmio Machado de Assis da ABL e em 1981 foi agraciado com o prêmio Jabuti. Mário Quintana não se casou nem teve filhos. Viveu de 1968 até 1980 no Hotel Majestic, no centro histórico de Porto Alegre. Nesta cidade, veio a falecer no no dia 5 de maio de 1994.

9 Cometários!