DEU NO TWITTER

DEU NO TWITTER

RODRIGO CONSTANTINO

CHEGARAM AO RIDÍCULO DE ATACAR A VITAMINA D

Se Bolsonaro disser que beber água e tomar sol faz bem a saúde, amanhã tem uma matéria de 8 minutos no Fantástico sobre câncer de pele e vão encontrar alguém que morreu porque bebeu muita água. Eu fiz esse comentário um tempo atrás, e eis que hoje me deparo com essa reportagem em destaque na Folha de S. Paulo:

Vitamina D não é um medicamento, para começo de conversa. Todos sabem da importância de vitamina D com sol para o sistema imunológico. Como a imprensa conseguiu “problematizar” algo tão banal? Essa turma acha que o povo fora da bolha não percebe o truque?

Já o Estadão escreveu um editorial contra o presidente, mais um, alegando que Bolsonaro não é nem liberal nem conservador, mas reacionário. Eis um trecho:

Poucas vezes na história brasileira as instituições foram tão vilipendiadas por um presidente da República. Poucas vezes um chefe de Estado foi tão indiferente às leis e à Constituição, considerando-se frequentemente acima delas. Poucas vezes um governante desprezou tanto o diálogo político, demonizando a oposição e menosprezando partidos. E poucas vezes um presidente transgrediu de forma tão desabrida os valores morais comuns da sociedade, especialmente ao rejeitar a responsabilidade por seus atos e omissões e ao ofender e ameaçar quem o contesta.

Poucas vezes na história brasileira um presidente foi tão vilipendiado pela imprensa. O STF rasga a Constituição, mas a mídia passa pano e prefere atacar Bolsonaro? O presidente que hoje é acusado de estar com o centrão é ao mesmo tempo acusado de ignorar o diálogo político, a articulação com o Congresso? Bolsonaro é chamado de genocida, mas é ele que demoniza a oposição? Temos até deputado bolsonarista preso, mas é o presidente que ameaça quem o contesta? O Estadão não é liberal nem conservador. É só antibolsonarista.

Como quase toda a imprensa, vale notar. O papelão dos militantes disfarçados de jornalistas durante esse governo não será esquecido, e é o que faz com que a credibilidade da mídia vá para o limbo de vez. A cobertura dessa CPI circense, que transformou até Renan Calheiros em bastião da ética, é a maior prova disso: virou puro palanque eleitoral contra Bolsonaro.

Essa semana será a vez do ex-ministro Ernesto Araújo depor como testemunha. A ala ideológica da imprensa quer ver ele sendo “fritado” pois mira em Filipe G. Martins e Eduardo Bolsonaro, e queria que o então chanceler fosse um capacho da ditadura comunista chinesa. Esses militantes comunistas não suportam quem não se mostra subserviente ao regime chinês. Ou não é ideologia, e sim grana.

Aliás, passou da hora de seguir o dinheiro para encontrar quem emite opinião com claro conflito de interesse quando o assunto envolve a China. Não é razoável tanta subserviência que mais parece assessoria de imprensa do regime ditatorial comunista chinês, que lá na China persegue jornalistas independentes!

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

RIO SEM FIM – Fernando Pessoa

Entre o sono e sonho,
Entre mim e o que em mim
É o quem eu me suponho
Corre um rio sem fim.

Passou por outras margens,
Diversas mais além,
Naquelas várias viagens
Que todo o rio tem.

Chegou onde hoje habito
A casa que hoje sou.
Passa, se eu me medito;
Se desperto, passou.

E quem me sinto e morre
No que me liga a mim
Dorme onde o rio corre –
Esse rio sem fim.

Fernando António Nogueira Pessoa, Lisboa, Portugal (1888-1935)

 

DEU NO TWITTER

COLUNA DO BERNARDO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURÍCIO ASSUERO – RECIFE-PE

Prezado Papa,

a reunião do Cabaré do Berto de ontem, 19/05, foi pra lá de interessante.

Flávia Arruda, poetisa, escritora, pedagoga, etc… deu um show de bola com suas experiências, com sua poesia, com o seu carisma. Olhava para tela do computador e via a baba dos machos véios caindo, parecia neve se derretendo.

Teve um momento que eu pedi para que os homens presentes apresentassem as mãos diante da câmara para não acontecer “imprevistos”.

Flavinha, arrasou, encantou, contou, declamou e, acredito, provocou uma noite tranquila de sonhos calmos.

Entre váriso outros, deram as caras por lá Adélia Costa, Ozany Gomes, Hélio Fontes, Terezinha Araújo, Gladston Filho, Violante Pimentel, José Ramos, Carlos Domingues, Ângela Gurgel, Gonçalves Júnior, Magnovaldo Santos, Carlito Lima, Ivon Sacramento, Jairo Juruna, meus conterrâneos e amigos de infância, Aristeu Teixeira e Expedito Brito, além de uma tuia de gente que deu uma rapidinha (uma passada rápida, diga-se).

Abraço grande para Flávia Arruda (plantaram um pé de Arruda e veio um monumento), uma beleza que engana bem, que fez “tar quá” Júlio César: “Cheguei, vi e venci”.

Maurino Júnior quase se mija de rir e nosso bom e competente Neto Feitosa, gravou tudinho e disponibilizou no “iutubo”, quem quiser ver o que perdeu é só clicar na imagem abaixo:

R. De fato, meu caro colunista e gerente deste movimentado cabaré, a reunião de ontem foi fantástica, antológica.

Muita descontração, muito riso, muita alegria e a participação intensa de todos os carabelistas fubânicos que por lá apareceram.

Ao vivo e a cores.

Parabéns para a fantástica poeta potiguar Flávia Arruda, por sua apresentação descontraída e encantadora.

Quem não veio, não sabe o que perdeu!!!

Semana que vem tem mais.

JESSIER QUIRINO - DE CUMPADE PRA CUMPADE

DEU NO JORNAL

JÁ PASSAMOS DOS 60 MILHÕES

Depois de ultrapassar o Reino Unido e se tornar o quarto país que mais vacina contra covid-19 no mundo, o Brasil superou nesta quarta, a marca de 60 milhões de doses aplicadas pelo País.

O número equivale a cerca de 28,5% da população brasileira, mas seria suficiente para ter vacinado com pelo menos uma dose todos os habitantes da Itália, um dos países mais afetados pela pandemia, ou todos os adultos de Argentina e Chile.

São 40,5 milhões de pessoas vacinadas com ao menos uma dose e cerca de 20 milhões delas foram imunizadas com a segunda dose.

* * *

Não vai dar no Jornal Nacional.

Nem nem grande mídia oposicionista e funerária.

Mas dá aqui nesta gazeta escrota.

Uma excelente quinta-feira para toda a comunidade fubânica!

COLUNA DO BERNARDO