CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Prezado Papa,

a reunião do Cabaré do Berto de ontem, 19/05, foi pra lá de interessante.

Flávia Arruda, poetisa, escritora, pedagoga, etc… deu um show de bola com suas experiências, com sua poesia, com o seu carisma. Olhava para tela do computador e via a baba dos machos véios caindo, parecia neve se derretendo.

Teve um momento que eu pedi para que os homens presentes apresentassem as mãos diante da câmara para não acontecer “imprevistos”.

Flavinha, arrasou, encantou, contou, declamou e, acredito, provocou uma noite tranquila de sonhos calmos.

Entre váriso outros, deram as caras por lá Adélia Costa, Ozany Gomes, Hélio Fontes, Terezinha Araújo, Gladston Filho, Violante Pimentel, José Ramos, Carlos Domingues, Ângela Gurgel, Gonçalves Júnior, Magnovaldo Santos, Carlito Lima, Ivon Sacramento, Jairo Juruna, meus conterrâneos e amigos de infância, Aristeu Teixeira e Expedito Brito, além de uma tuia de gente que deu uma rapidinha (uma passada rápida, diga-se).

Abraço grande para Flávia Arruda (plantaram um pé de Arruda e veio um monumento), uma beleza que engana bem, que fez “tar quá” Júlio César: “Cheguei, vi e venci”.

Maurino Júnior quase se mija de rir e nosso bom e competente Neto Feitosa, gravou tudinho e disponibilizou no “iutubo”, quem quiser ver o que perdeu é só clicar na imagem abaixo:

R. De fato, meu caro colunista e gerente deste movimentado cabaré, a reunião de ontem foi fantástica, antológica.

Muita descontração, muito riso, muita alegria e a participação intensa de todos os carabelistas fubânicos que por lá apareceram.

Ao vivo e a cores.

Parabéns para a fantástica poeta potiguar Flávia Arruda, por sua apresentação descontraída e encantadora.

Quem não veio, não sabe o que perdeu!!!

Semana que vem tem mais.

2 pensou em “MAURÍCIO ASSUERO – RECIFE-PE

  1. Mergulho no fundo do mar, vez por outro, e acho pérolas, joias raras transportadas em naus desbravadoras que levavam sonhos embalados por ondas provocadas pela força da lua que, com sua face oculta, me permite enxergar deusas que vagueiam o imaginário. A sabedoria de Atena, não me livra da influencia de Afrodite. Achei Nemesis, mas ela ainda não tem agenda disponível pra falar de justiça. Flávia era, ou melhor Hera, dominou o Olimpo na quarta e continuo catando outras belezas brejeiras, simples, sensuais, sinceras, singles, seguras, simpáticas… Garimpando se encontra ouro…..

Deixe uma resposta