A PALAVRA DO EDITOR

ENFIM, UM MINISTRO DECENTE

O Ministro Luís Roberto Barroso, um caso raríssimo de ficha limpa,  em palestra na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, quinta-feira passada, 25, fez algumas considerações sobre o STF, o órgão no qual ele ocupa uma cadeira.

Algumas considerações que merecem destaque e devem ser divulgadas.

Vejam só: 

“A pergunta que me faço frequentemente é por que o STF está sob ataque, por que está sofrendo este momento de descrédito. Bem, o que acho que está acontecendo é que há uma percepção em grande parte da sociedade e da imprensa brasileira de que o STF é um obstáculo na luta contra a corrupção no Brasil. Eles sentem que o Supremo protege a elite corrupta”

“Alguns ministros mostram mais raiva de procuradores e juízes que estão fazendo um bom trabalho do que de criminosos que saquearam o país”

“Tudo que o STF pode retirar da Vara Federal de Curitiba, onde o combate à corrupção está funcionando bem, o Supremo o fez”

Arretado!!!

Acertou no alvo.

Parabéns, senhor Ministro!

De fato, um tribunal que é presidido por um militante petista do calibre de Toffoli – um sujeito sórdido, parcial e incompetente que foi reprovado em concursos pra juiz de primeira instância -, e que conta com gente imunda como Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, não pode ter crédito ou respeito por parte da banda decente do país.

Um trinca como só mesmo numa republiqueta banânica poderia existir

O ignóbil Gilmar Mendes, soltador de corruptos e bandidos, já sentiu o peso de uma cacetada de Barroso:

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

PRIMAVERA – Augusto dos Anjos

Primavera gentil dos meus amores,
Arca cerúlea de ilusões etéreas,
Chova-te o Céu cintilações sidéreas
E a terra chova no teu seio flores!

Esplende, Primavera, os teus fulgores,
Na auréola azul, dos dias teus risonhos,
Tu que sorveste o fel das minhas dores
E me trouxeste o néctar dos teus sonhos!

Cedo virá, porém, o triste outono,
Os dias voltarão a ser tristonhos
E tu hás de dormir o eterno sono,

Num sepulcro de rosas e de flores,
Arca sagrada de cerúleos sonhos,
Primavera gentil dos meus amores!

Colaboração de Pedro Malta

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

PATATIVA E A PATATIVA

Comentário sobre a postagem SONIA REGINA – SANTOS-SP

Kristina:

Lembrei de uma estória antiga do Patativa do Assaré, o poeta nordestino.

Estando preso numa delegacia por ter feito e cantado uma musica criticando o prefeito, viu um canário, preso numa gaiola, de propriedade do delegado.

Então escreveu essa jóia:

“Eu preso por cantar e o canário preso para cantar”

* * *

Nota da Editoria:

O passarinho a que se refere a leitora não era um canário. Era uma patativa.

Abaixo estão os dois poemas.

O primeiro é a crítica feita por Patativa do Assaré ao prefeito da sua cidade, Assaré, que o levou à prisão.

E o segundo foi feito quando ele viu uma patativa numa gaiola na sala do delegado.

Nesta vida atroz e dura
Tudo pode acontecer,
Muito breve há de se ver
Prefeito sem prefeitura.
Vejo que alguém me censura
E não fica satisfeito,
Porém eu ando sem jeito,
Sem esperança e sem fé
Por ver no meu “Assaré”
Prefeitura sem prefeito.

Por não ter literatura
Nunca pude discernir
Se poderá existir
Prefeito sem prefeitura.
Porém mesmo sem leitura,
Sem nenhum curso ter feito,
Eu conheço do direito
E sem lição de ninguém
Descobri onde é que tem
Prefeitura sem prefeito.

Ainda que alguém me diga
Que viu um mudo falando
E um elefante dançando
No lombo de uma formiga
Não me causará intriga,
Escutarei com respeito,
Não mentiu esse sujeito,
Muito mais barbaridade
É haver numa cidade
Prefeitura sem prefeito.

Não vou teimar com quem diz
Que viu ferro dar azeite,
Um avestruz dando leite
E pedra criar raiz
E um rio fora do leito,
Um aleijão sem defeito,
Um morto declarar guerra,
Porque vejo em minha terra
Prefeitura sem prefeito.

* * *

Patativa descontente,
Nessa gaiola cativa,
Embora bem diferente,
Eu também sou patativa.

Linda avezinha pequena,
Temos o mesmo desgosto,
Sofremos a mesma pena,
Embora em sentido oposto.

Meu sofrer e teu penar
Clamam a divina lei.
Tu, presa para cantar,
Eu, preso porque cantei

Patativa do Assaré (1909-2002)

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

SEVERINO SOUTO - SE SOU SERTÃO

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURINO JÚNIOR – PAULO AFONSO-BA

Papa Berto!!!

Meu prezado, receba as minhas sinceras saudações!!!

Um forte abraço a você e à sua bela família!!

Papão, olha só, já que Toffolinho não quer que o chamem de amigo do amigo do meu pai, só nos resta chamá-lo de Imperador de Bananalândia!!!

Vai vendo só que coisa mais meiga!!!

Num é fofo e cândido??

R. De uma coisa você fique certo, meu caro.

Esta montagem ofende profundamente a realeza britânica.

Comparar uma figura honrada, honesta e íntegra como Elizabeth II com um petista canalha feito Toffoli vai deixar a rainha indignada.

Ela vai ficar arretada em cima do trono!

CHARGE DO SPONHOLZ

DEU NO JORNAL

É #LULALIVRE NO STF: MARCO AURÉLIO E SUA “DÚVIDA SERÍSSIMA”

Caio Coppolla

“Eu tenho uma dúvida seríssima quanto aos dois crimes” – eis o que disse o Ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, sobre a condenação do ex-Presidente Lula por corrupção e por lavagem de dinheiro. Como de costume, tão importante quanto o dito, é o não dito, a real intenção, a razão ulterior, o recado nas entrelinhas. Analisemos o caso tríplex.

Cronologia da condenação:

– Ainda em 2017, Lula é condenado em 1ª instância pelo então Juiz Sergio Moro da Justiça Federal do Paraná, no âmbito da Operação Lava Jato;

– O réu apela da decisão, mas em 2018 a condenação é confirmada em 2ª instância pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região;

– Para evitar ser preso com base no entendimento de 2016 do colegiado do STF (à época favorável à prisão após julgamento em 2ª instância, por 6 votos a 5), a defesa de Lula impetra habeas corpus preventivo, que é negado tanto pelo STJ quanto pelo STF;

– Lula é detido em abril de 2018, não sem antes promover um comício vitimista de autocomiseração e se encastelar no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, descumprindo ordem judicial referente a seu mandado de prisão;

– Nesta semana, após novo recurso, Lula sofre nova derrota: sua condenação é confirmada pelo Superior Tribunal de Justiça em sentença unânime.

Fatos do processo:

O caso tríplex foi analisado e julgado por 20 juízes naturais: o Juiz Sergio Moro (1º grau), 3 desembargadores do TRF-4 (2º grau), 5 Ministros do STJ (Tribunal recursal) e 11 Ministros do STF (Tribunal constitucional). Um detalhe importante: dos 5 Ministros do STJ, 4 foram nomeados pelo Governo Lulopetista; dos 11 Ministros do STF, 8 são nomeações de Lula ou Dilma.

A pena fixada por esta última condenação no STJ é de 8 anos e 10 meses. E, apesar da variação na dosimetria das penas, nenhuma das 3 sentenças condenatórias questionou a autoria e a materialidade dos crimes. Ou seja, a Justiça entendeu em 3 julgamentos distintos que houve corrupção e lavagem de dinheiro, e que essas foram praticadas por Lula. Como este não é um país sério, ao invés de encarcerado numa cela comum num presídio federal, ele está hospedado numa suíte gourmet da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Homenagem à Constituição:

O Ministro Marco Aurélio Mello é contra a execução provisória da pena. E, assim que a questão for submetida ao Plenário do Supremo, votará (e torcerá) pela inconstitucionalidade da prisão após julgamento em 2ª instância: “A maioria vai se formar no sentido, sob a minha ótica, de homenagear a Constituição Federal”. No país da inversão de valores, soltar corrupto é homenagear a Constituição. Se dependêssemos do Ministro, Lula já estaria livre.

A Lei e suas interpretações criativas

Voltemos à “dúvida seríssima” do Min. Marco Aurélio: “Houve apenas a corrupção, ou houve corrupção e lavagem?”

O artigo 1º da Lei n. 9.613/98 tipifica o crime de lavagem de dinheiro: “ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de infração penal”. Portanto um crime acessório, derivado de outro (como corrupção, no caso de Lula), que pressupõe dar uma aparência legítima a uma vantagem ilegítima. Ora, ao aceitar propina na forma de benfeitorias a um imóvel de uso pessoal, mas formalmente registrado em nome de terceiros, o que fez o ex-presidente? É preciso uma interpretação muito criativa da lei para não enquadrar o caso concreto como crime lavagem de dinheiro.

Consequências práticas: #LulaLivre

Se a “dúvida seríssima” do Ministro Marco Aurélio se manifestar como uma “certeza cômica” no voto da maioria da corte, Lula não será mais hóspede da suíte master da PF em tempo integral.

A pena fixada por corrupção pelo STJ foi de 5 anos, 6 meses e 20 dias de prisão; por lavagem de dinheiro, 3 anos e 4 meses. Se o STF inventar que não houve este último crime, a pena será reduzida consideravelmente, bem como o tempo para progressão de regime (pelo cumprimento de um sexto da pena). Para Lula fazer jus ao regime semiaberto neste novo cenário hipotético, bastariam 11 meses de regime fechado (ainda que gourmet) – e o ex-presidente já cumpriu 13 meses.

É desalentador, mas parece que, de um jeito ou de outro, Marco Aurélio colocará mais um corrupto nas ruas. Enquanto isso, assistimos estupefacientes à doutrina laxativa do STF (que solta tudo e todos) se consolidar como mecanismo de perpetuação da impunidade, num país que tem sinalizado seu desapreço à bandidolatria.

Não à toa, Ministro, eu, os leitores e o Brasil temos “uma dúvida seríssima” em relação à Vossa Excelência.

PROMOÇÕES E EVENTOS

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RAIMUNDO FLORIANO – BRASÍLIA-DF

Sobre a matéria NO OLHO DO FURICO DA GRANDE MÍDIA OPOSICIONISTA

No Domingo de Páscoa, o filho e uma prima minha, digamos, um sobrinho meu, vindo de Fortaleza, estava lá com sua caçula, de 10 anos, ansiosa para conhecer o Presidente.

Para posicioná-la melhor, colocou-a no colo.

O Capitão, ao passar por eles, perguntou:

– Tá pesada?

– Tá sim! – Respondeu meu sobrinho.

– Pois me dê ela aqui!

E o resultado pode-se ver nesta foto: