DEU NO JORNAL

CADA UM NA SUA

O presidente da República, Jair Bolsonaro, fará pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV às 20h desta quarta-feira (24).

O ponto principal do discurso deve ser a Reforma da Previdência.

* * *

Bolsonaro em cadeia nacional de TV.

E Lula em cadeia de Curitiba.

Cada um na sua cadeia.

A PALAVRA DO EDITOR

NOS ZOIOS

Dra. Luciana, minha competente e querida oftalmologista (que aqui em Recife o povo chama de “oculista”), passou a manhã futucando no meu olho.

Foi no olho da cara, não custa nada ressaltar.

O do furico continua preservado.

Tô com as vistas ainda meio embaçadas, assim feito as vistas de um eleitor de Lula, sem enxergar direito.

De modo que as atualizações desta gazeta escrota serão feitas mais tarde, quando tudo estiver normalizado.

Sejam sensatos,  tenham paciência e não tomem qualquer medida extrema.

Garanto que ainda hoje sairão novas postagens.

CHARGE DO SPONHOLZ

DEU NO JORNAL

LEITOR VORAZ

Avesso a leitura e trabalho, Lula perdeu a chance de ganhar liberdade com a decisão de ontem do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que reduziu sua pena para 8 anos e 10 meses de prisão.

Se tivesse trabalhado desde que foi preso, em abril de 2018, Lula já teria abatido ao menos quatro meses da pena.

Outras opções seriam submeter-se a cursos ou leitura de livros, tudo que o ilustre presidiário mais odeia.

A pena de prisão é reduzida a cada três dias de trabalho, 12 horas de curso realizado ou por cada livro lido, com resumo apresentado.

O ex-braço-direito José Dirceu reduziu a pena em cerca de seis meses trabalhando e fazendo cursos no cárcere.

* * *

A grande imprensa sempre caluniando e mentindo sobre o nosso ex-presidente, que é um leitor voraz e um grande intelectual.

A Editoria do JBF conseguiu até um flagrante de Lula mergulhado em profunda leitura no cárcere.

Vejam:

Segundo fomos informados, Lula leu até mesmo o livro “Assassinato de Reputações“, de cabo a rabo, do começo ao fim.

E está redigindo, ele próprio, a petição com que vai entrar na justiça pra processar Romeu Tuma Júnior por conta das calúnias e difamação que colocou neste livro.

Como o livro foi lançado recentemente, há apenas três anos, Lula ainda não teve tempo de tomar as devidas providências.

A ideia é processar o autor do livro antes de terminar pena de 12 anos que  está cumprindo. Fora as outras que ainda virão.

DEU NO JORNAL

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PAULO LEAL – BRASÍLIA-DF

Meu amigo Berto,

Informo-lhe que transferi a pequena quantia de 50 reais, para ajudar a pagar o salario atrasado de Chupicleide.

A valorosa secretaria de redação do jornal mais escroto do brasil.

Do Brasil, não. Do mundo.

Abraço,

R. Não existe “pequena quantia” em termos de doações para esta gazeta escrota, meu caro.

Todas são grandes e valiosas.

Ajudam a pagar as despesas com hospedagem e, sobretudo, a pagar os salários sempre atrasados de Chupicleide, nossa incansável secretária de redação.

Que ainda não recebeu o 13º de 2018…

Ela está aqui rezando e torcendo pra que seu exemplo seja seguido pelas pirangueiros e abrande o coração dos sovinas.

Vocês são a força que mantém o JBF avuando nos ares!

Brigadão mesmo!

“Muito obrigada a todos: Carlos Alberto, Hélio Araújo, José Claudino, Fernando Gehr, Luis Antonio, Glaucio Teofilo, Arael Costa, Dirceu Mattos, Violante Pimentel, Paulo Ferreira… Felicidades, paz e saúde!”

CHARGE DO SPONHOLZ

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MARCO MESQUITA – RIO DE JANEIRO-RJ

Caro Berto,

Segue vídeo em anexo.

Um governo que tem um ministro de alta qualidade como Paulo Guedes está muito bem servido.

Veja o que ele falou durante discurso na XXII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, 9 de abril de 2019.

De improviso.

Vale a pena ouvir até o final.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CARLOS HENRIQUE BELLO – PIRASSUNUNGA-SP

Caro Editor Berto:

Votei nele e votaria de novo.

Mas confesso uma coisa:

Tem horas que me dá vontade de meter o pau em Bolsonaro…

R. E quem não meteria???

Hein???!!!

Só não meteria o pau nesse Bolsonaro um cabra que não gostasse da fruta.

CARLOS IVAN - ENQUANTO ISSO

NOTAS

Pelo tamanho e aspecto de ferocidade do bicho homem, descobre-se a intenção da fera. Se é brado de verdade ou quer apenas amedrontar. No mundo animal, o bicho mata presas diferentes para variar de paladar. Saborear um jantar diferente. Da mesma forma, pela quantidade de cartuchos deixados no chão, pode-se avaliar o grau de violência na cidade.

É dureza, mas é verdade. O Brasil está na 13ª colocação no ranking mundial de assassinatos. O incrível é que mais de 70% dos homicídios registrados, são cometidos por armas de fogo e somente 23% das munições disparadas são vendidas dentro das normas legais nas lojas. Não foram compradas na clandestinidade. Não possuem a marcação que possa permitir o rastreamento.

Das 171 milhões de munições vendidas no Brasil, em 2017, 76% não registravam o código de identificação, item recomendado pela ONU com a finalidade de indicar a procedência. A liberdade para comprar munição no Brasil é enorme. Tal facilidade coloca o país como o 5º maior exportador mundial de munição. No continente americano, só perde para os EUA. Por isso, o Brasil se destaca como exportador de munição. Aliás, entre 2010 e 2018, o Brasil comercializou 1,4 bilhão de munições. Todavia, somente 30% das vendas tinham marcação para rastreamento, conforme determina a Lei de Desarmamento, de 2003. O resto era vendido por debaixo do pano. Na base do contrabano.

*
Existem fontes da longevidade pelo mundo. Quem beber de sua água cristalina e comer alimentos sadios colhidos em suas terras, com certeza chega aos 90 anos, exibindo vitalidade. Garante as fontes. O Sul do Japão, então, é um paraíso. O Oceano Pacífico banha as 169 ilhas, onde numa delas se localiza a província de Okinawa, com 1.222.500 habitantes.

Depois da Segunda Guerra, Okinawa passou três décadas sob o domínio americano. Mas, por volta de 1970, a província foi devolvida ao Japão. Por tradição, o Japão é tradicionalmente uma fonte da longevidade. Graças à gastronomia, puxada por vegetais e pescado, atividades físicas e muito relax, a população de Okinawa chega aos cem anos. Somente aos 114 anos, um ancião de Okinawa resolveu parar de fumar. Nunca enfretou problemas de saúde por causa do cigarro.

Outro paraíso de longevidade fica na Ilha de Icária, na Grécia, no mar Egeu. Na cidade de Christos, Ioanna Proiou, de 105 anos, para fugir da ociosidade ainda trabalha. No tear. Como não pensa em se aposentar tão cedo, produz, bolsas e roupas para vender na sua lojinha. O curioso é que um terço da população da Ilha de Icária, passa dos 90 anos de idade, proseando e tomando café. Tipo de atitude imitada pelos velhinhos da Sardenha, Itália, e Loma Linda, na Califórnia, EUA que abusando de bons hábitos alimentares e muita disposição social, também se tornam longevos.

*
Justamente no marco zero de Paris, na Ile de la Cité, ficava a Catedral de Notre Dame, consumida por um incêndio. Graças à visão de prosperidade do parisiense que vislumbrava em 1163 a possibilidade de transformar o belo local em polo religioso, cultural e intelectual, começaram a levantar, em estilo gótico, a famosa igreja. A construção, verdadeira obra de arte, com belos vitrais, quadros e esculturas, levou duzentos anos para ser inaugurada.

Em virtude de ser ter sido palco de cultos religiosos dos celtas, ser local escolhido para a coroação de Napoleão, como Imperador, em 1804, honrar a beatificação de Joana D’Arc, em 1909, e servir para guardar em seu relicário a suposta coroa de espinhos de Jesus Cristo, a Catedral de Notre Dame caiu na graça do turismo mundial. A tendência, era o turismo crescer, ano a ano. Gradativamente.

Ora, se Paris encanta, a Catedral de Notre Dame fascinava, alucinava muito mais. Por isso, nos seus 850 anos de história, a Notre Dame foi curtição para 13 milhões de turistas por ano. Por causa de valioso acervo, a Catedral recebia um contingente de turistas bem maior do que a Torre Eiffel, outro ícone do turismo parisiense. A invejável marca registra que basta um monumento ter valor para superar muitos países, inclusive o Brasil, na conquista de visitantes estrangeiros. Comprovando extraordinário feito.

*
Para dar fim ao tradicional esquema do “toma-lá-dá-cá”, método bastante utilizado pelos governos anteriores para se manter na crista da onda, vencendo adversários políticos. Por ser um sistema pouco frutífero em virtude de possibilitar a prática da corrupção e dos escândalos que resultaram no fim das contas na Operação Lava Jato, Jair Bolsonaro iniciou um novo processo.

Prometeu sepultar a composição da base com partidos políticos, enterrando o fisiologismo, base para a troca de favores, método bastante usado nos Estados Unidos até 1950, e passou a adotar a regra de bancadas temáticas, de modo a facilitar o diálogo. As conversas de bastidores. Dessa forma sugiram as bancadas evangélicas, da agropecuária e da segurança pública com o propósito de abrir caminho para garantir a votação dos pleitos do presidente.

Porém, como o ciclo de coalizão parece não dar mais certo, as atenções se voltam para novos métodos, especialmente depois da Câmara ter aprovado, na maior urgência, a Proposta de Emenda à Constituição-PEC que limita o poder de gastos o governo. Agora, a equipe de Bolsonaro tem de mudar a trajetória na articulação política, procurando dialogar e conversar, caso queira engatar a reforma da Previdência, segundo sua ótica de propostas. Senão, a vaca pode ir pro brejo. Cedo. E, se for, a porca torce o rabo.