CHARGE DO SPONHOLZ

DEU NO JORNAL

J.R.GUZZO

DUAS NULIDADES

É fato sabido que o Supremo Tribunal Federal, pelo comportamento pessoal de parte dos seus membros, se transformou há tempos no principal causador da instabilidade jurídica no Brasil. É uma aberração. O STF é justamente o órgão que deveria garantir o principal atributo da aplicação da justiça numa sociedade civilizada ─ a previsibilidade das decisões judiciais, elemento indispensável para dar aos cidadãos a segurança de saber que os magistrados vão proceder sempre da mesma forma na aplicação das leis. Sem isso não há justiça de verdade; há apenas os caprichos, as neuroses e os interesses materiais de quem está com o martelinho de juiz na mão. Não é apenas a estabilidade jurídica que está indo para o saco. A conduta degenerada de diversos membros do STF acaba sendo, também, uma ameaça constante à própria estabilidade política do país, com a produção irresponsável, incompreensível ou inútil de crises com os poderes Executivo e Legislativo, conflitos com porções diversas da sociedade e agressões à lógica comum. Tudo isso, nos últimos dias, ficou ainda pior. Dois ministros, o presidente Antônio Toffoli e Alexandre Moraes, mergulharam num surto de decisões extravagantes, totalitárias e denunciadas como puramente ilegais por muitos dos juristas mais respeitados do país. Resultado: tornaram-se uma ameaça direta às instituições brasileiras. São eles, mais que quaisquer outros indivíduos, quem mais se esforçam hoje para destruir um dos três pilares da democracia que existe por aqui ─ o Poder Judiciário.

Toffoli e Moraes são duas nulidades; não irão a lugar nenhum com seus acessos de furor ditatorial e não vão, no fim, conseguir o que querem. Na verdade, já não conseguiram. Sua história, como todo o Brasil ficou sabendo, é rasa, escura e miserável. A revista digital Crusoé, parte da organização jornalística O Antagonista, publicou um trecho da delação do empreiteiro Marcelo Odebrecht, réu confesso de corrupção maciça no governo Lula, condenado e cumprindo hoje pena de prisão domiciliar. Nessas declarações, que integram um documento oficial da Justiça como parte inseparável do seu longo processo de delação, Odebrecht se refere a Toffoli ─ descrito por ele como “o amigo do amigo do meu pai”, ou seja, como amigo de Lula ─ numa sombria conversa envolvendo construção de usinas e a Advocacia-Geral da União, à época dirigida pelo atual presidente do STF. Pronto. Toffoli entrou imediatamente em modo de Rei da Babilônia e mandou o colega Moraes se lançar à expedição de uma bateria de ordens dementes ─ suspensão da publicação da revista, multas diárias de 100.000 reais, censura, ameaça a outros meios digitais e por aí afora.

O resultado foi um desastre integral. O STF conseguiu, ao mesmo tempo, violar a liberdade de imprensa, aplicar punições sem a conclusão de processo legal e sem a produção de uma única prova, ignorar a decisão da Procuradoria-Geral da República de arquivar o caso (cabe à PGR, legalmente, investigar os supostos delitos cometidos pela revista), exercer abuso de poder e incorrer na suspeita de praticar outros crimes ─ um horror, quando essa série de ações é cometida não por criminosos do PCC, mas por ministros do Supremo Tribunal Federal deste país. Pior que tudo, a dupla conseguiu exatamente o oposto do que pretendia com a sua blitz proibitória e punitiva: a reportagem da Crusoé, que ambos quiseram deletar do mundo real, foi reproduzida de forma massiva e incontrolável por centenas de órgãos de comunicação, de todos os tamanhos e plataformas, espalhados pelo Brasil e mesmo no exterior. Toffoli, que já carrega na testa a marca de repetente (por duas vezes), no concurso para juiz de direito, passou a carregar agora, também, o lamentável apelido de “amigo do pai do meu pai”. Não vai se livrar disso.

Os dois serão detidos dentro do próprio STF, que não os deixará obter o que queriam. Sua tela está mostrando: “You lost“. Mas conseguiram, sim, cometer um atentado de primeira grandeza contra as instituições.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

SONIA REGINA – SANTOS-SP

Prezado Editor,

gostaria de saber se o JBF vai enviar um representante para participar da coletiva do presidiário.

Caso tenha essa intenção, peço por favor fazer a seguinte pergunta:

– O senhor poderia explicar melhor qual o real motivo de Rose Noronha participar de várias viagens no Aerolula?

R. Minha cara colunista fubânica, esta gazeta é escrota e de baixo nível, como todo mundo sabe.

Mas participar de entrevista com Lula é levar o JBF ao fundo do poço.

É sujar o nosso jornal com o esgoto fedorento que o proprietário do PT exala quando abre a boca e se põe a cagar tolôtes orais.

É preferível entrevistar Marcola e Fernandinho Beira-Mar, que são bandidos comuns bem mais ético que o bandido político que está enjaulado em Curitiba.

Quanto à pergunta que você sugeriu ser feita, sobre as viagens de Rose Noronha no Aerolula, eu desconfio que isto se deve a um fenômeno que os estudiosos chamam de Premonição.

Esta parelha de amantes, Lula e Rose, já estava adivinhando que um dia ele seria enjaulado por conta da roubalheira que era praticada no governo de Lapa de Corrupto.

E os dois resolveram resolveram antecipar as visitas íntimas.

De modo que Rose Noronha botava chifres no marido, e Lula em Dona Marisa, furunfando com seu macho no avião da Presidência da República.

Às custas do dinheiro público.

Isto é o que se pode chamar de fudelança orçamentária federal.

AUGUSTO NUNES

CAIU A FICHA

Lula enxergou a derrota que seus devotos tentam transformar em triunfo

“Fui preso politicamente e serei libertado politicamente pela luta do povo brasileiro. Não tem o que comemorar. A pena tinha que ser zero. A pena não tinha que existir. Vou lutar até o fim pela minha inocência”.

Lula, explicando a seus devotos que não vê motivos para festejar a sessão do STJ que o transformou num condenado em 3ª instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem dinheiro.

* * *

AMANTE ILUDIDA

Gleisi considerou uma quase absolvição a confirmação pelo STJ da condenação de Lula por corrupção e lavagem de dinheiro

“O STJ se ateve a meras formalidades para não examinar o mérito e absolver Lula. Por isso vamos recorrer até ser reconhecida sua inocência. Mas pela primeira vez uma corte superior apontou os abusos de Moro e do TRF4 com a redução das penas em mais de um terço. A luta continua!”.

Gleisi Hoffmann, deputada federal e presidente do PT, conhecida pelo codinome Amante no Departamento de Propinas da Odebrecht, concluindo, sem explicar como, que os quatro ministros da Quinta Turma do STJ que confirmaram por unanimidade a condenação de Lula por corrupção e lavagem de dinheiro quase absolveram Lula dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

A PALAVRA DO EDITOR

NO OLHO DO FURICO DA GRANDE MÍDIA OPOSICIONISTA

Domingo passado, 21, esta gazeta escrota fez postagem sobre uma incrível história inventada pelo Estadão, um dos expoentes da extrema mídia oposicionista brasileira.

O jornaleco publicou a mentirosa notícia de uma criança que havia se recusado a cumprimentar o presidente da república numa cerimônia realizada na última quarta-feira no Palácio do Planalto.

Publicou e, em seguida, foi obrigado a se desmentir.

Na verdade, Bolsonaro perguntou se a criança era do Palmares e ela, que é flamenguista, respondeu que não, balançando a cabeça.

Quem quiser rever a postagem, é só clicar aqui .

Um descaramento da porra, uma estupidez sem limites desse tal de Estadão.

Tá conseguindo mentir mais do que o Jornal da Besta!!!

Desde que o PT foi extinto e sepultado nas últimas eleições, a grande imprensa deste país simplesmente deixou a isenção de lado e passou, descaradamente, a fazer oposição ao novo governo.

Veja,  Estadão, Globo e Folha lideram o time dos furiosos.

E aí, quando foi ontem, eu vi no Twitter do homi esta postagem que está abaixo reproduzida:

Pois é: a menina Yasmim e seus pais foram recebidos em palácio ontem, quinta-feira, pra compensar o aperreio que tiveram depois que a mentira foi publicada.

Mereceram a mordomia!

Mais uma pajaraca de grosso calibre foi devidamente enfiada bem no meio do olho do furico da grande mídia oposicionista petralha.

Sem pena, sem cuspe e sem vaselina.

A PALAVRA DO EDITOR

GRANDE MÍDIA, GRANDE MERDA

A revista Veja, porta-voz oficial do extinto PT e baluarte da grande merda oposicionista brasileira, publicou esta importante, inédita e bombástica notícia na seção Radar On Line:

Fiquei encucado e procurei me informar sobre o assunto.

E a melhor análise que encontrei sobre este relevante fato foi feita por Danilo Gentili:

Vejam

É isto mesmo: a notícia da revistona não significa merda nenhuma.

Mas a Veja, que é assessora de imprensa do derrotado poste petista Haddad, consegue sempre se superar.

Melhor do que esta notícia aí de cima, só mesmo este furo espetacular publicado ontem:

A patota vermêio-istrelada que compõe a redação da Veja vai muito além das raias do ridículo.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

CHARGE DO SPONHOLZ

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

DEU NO JORNAL

BOTOU NO FURICO DA MACONHEIRADA