DEU NO TWITTER

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

TEU LENÇO – Guimarães Passos

Esse teu lenço, que possuo e aperto
de encontro ao peito, quando durmo, creio
que hei-de, um dia, mandar-to, pois roubei-o
e foi meu crime, em breve, descoberto.

Luto, contudo, a procurar quem certo
possa nisto servir-me de correio;
tu nem calculas qual o meu receio
se, em caminho, te fosse o lenço aberto…

Porém, ó minha vivida quimera,
fita as bandas que habito; fita e espera,
que, enfim, verás, em trêmulos adejos,

em cada ponta um beija-flor pegando,
ir o teu lenço pelo espaço voando,
pando, enfunado, côncavo de beijos!

Sebastião Cícero dos Guimarães Passos, Maceió-AL (1867-1909)

COLUNA DO BERNARDO

DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

GLOSAS

Mote desta colunista:

Pra comer Maria Izabel
Ele largou meu cuscuz.

Já cansei de repetir
Essa história que hoje conto
Não aumento nem um ponto
Isso posso garantir
Se você quiser ouvir
A Deus peço muita luz
E nos versos que compus
Repito o que diz Raquel:
Pra comer Maria Izabel
Ele largou meu cuscuz.

Esse caso aconteceu
Pras bandas do Ceará
Com Raquel que é de lá
E um sujeito conheceu
Do cuscuz dela comeu
E já gritou: Ai Jesus!
Da comida que seduz
Virou um freguês fiel:
Pra comer Maria Izabel
Ele largou meu cuscuz.

Aqui na minha pensão
Ele vinha todo dia
E demonstrando alegria
Fazia sua refeição
E fez a propagação
Do jeito que lhe propus
Botou foto no capuz
Do seu antigo corcel:
Pra comer Maria Izabel
Ele largou meu cuscuz.

O negócio foi crescendo
Eu ganhava, ele ganhava
A freguesia aumentava
E a propaganda comendo
Porém eu fui percebendo
E não apenas supus
Com ele já me indispus
Após provar do seu fel:
Pra comer Maria Izabel
Ele largou meu cuscuz.

Traída covardemente
Eu fui e ele nem negou
Disse que se apaixonou
Por um menu diferente
Arroz com carne presente
Que a cozinheira introduz
A minha raiva eu expus
Diante do seu papel:
Pra comer Maria Izabel
Ele largou meu cuscuz.

Quem comeu na minha mão
Sabe que sei cozinhar
Pois tenho bom paladar
E sou boa de fogão
Agora preste atenção
No peso da minha cruz
Foi pior do que supus
A minha saga cruel:
Pra comer Maria Izabel
Ele largou meu cuscuz.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MARCOS MAIRTON – BRASÍLIA-DF

PASSANDO O DEDO

Caros leitores do Jornal da Besta Fubana, temos um novo clipe no ar.

A música vocês já conhecem.

Acontece que juntamos à nossa interpretação os personagens da história, interpretados pelo ator Rodolfo Cordón, da Companhia de Comédia G7, e a atriz Kelly Costty, do Grupo de Teatro Celeiro das Antas.

O próprio Rodolfo Cordón fez o roteiro. Mariano Jr. do Hertz Studio, que já havia feito a produção musical, entrou com a produção e a direção do clipe.

A mim só resta agradecer a essa turma, que fez da minha canção um verdadeiro curta metragem de comédia.

Espero que vocês gostem.

DEU NO JORNAL

RECLAMAÇÃO QUE NÃO ATINGE O JBF

A safra 2019/20 superou 257,8 milhões de toneladas, recorde histórico, liderada por soja, milho e algodão.

Foram 11 milhões de toneladas a mais que a safra anterior.

* * *

Apenas 11 milhões de toneladas a mais???!!!

Só isso? Apenas isso?

Notícia horrível, notícia péssima.

A safra 2019/2020 poderia ter sido bem melhor que esta, segundo afirmou Gleisi Hoffmann em declaração feita ao Jornal da Besta Fubana.

O culpado por este aumento insignificante e inexpressivo precisa ser encontrado e punido com rigor, acrescentou Lula em telefonema pra Chupicleide, nossa secretária de redação.

Aliás, em falando de Gleisi, reproduzo a seguir postagem que ela fez no Twitter esta semana.

Ela reclamou que não foi dada a merecida divulgação ao mais recente cagatório do seu ídolo, perpetrado por ocasião da celebração do Dia de Independência. 

Muito justa e cabível a reclamação da Amante.

Reclamação que não atinge esta gazeta escrota, pois aqui nós botamos no ar um trecho da bostosidade que o ex-presidiário escreveu no Twitter.

Foi numa publicação feita no último dia 8 e que está reproduzida a seguir, para fecharmos com chave de ouro esta postagem.

Vejam:

COLUNA DO BERNARDO

CHARGE DO SPONHOLZ

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

BOAVENTURA BONFIM – FORTALEZA-CE

Meu caro amigo Berto,

No vídeo abaixo, o grande poeta cearense, Luiz Ademar Lopes Muniz, da Academia de Letras do Brasil – Ceará (ALB-CE), declama uns versos de autoria dele.

Versos nos quais ele refuta a fala equivocada, preconceituosa e generalizada de uma vereadora, de uma cidade gaúcha, contra os nordestinos.

Um forte abraço.

R. Meu estimado leitor, todos sabem que aqui neste espaço aberto e democrático cabem cidadãos e cidadãs de todos os recantos deste país, sem qualquer restrição ou preconceito.

Temos leitores em todos os estados do Brasil, de norte a sul, de leste a oeste.

De maneira que, como Editor, não aprovo, de modo algum, qualquer restrição ou preconceito relativamente à origem, ao lugar de nascença de qualquer brasileiro.

Somos todos irmãos e habitamos o mesmo chão.

Eu mesmo tenho grandes amigos do peito com sotaques totalmente diferentes.

Isto posto, quero dizer que, antes de botar no ar o vídeo que você nos mandou, o de Luiz Ademar Lopes Muniz, vou postar um outro vídeo, contendo o pronunciamento da vereadora gaúcha que motivou a resposta daquele poeta cearense.

Um pronunciamento feito há mais de três anos, em maio de 2017, pela vereadora Eleonora Broilo, da cidade de Farroupilhas, do Rio Grande do Sul.

Depois da repercussão do caso, a vereadora se defendeu alegando que sua fala foi descontextualizada e que falava sobre políticos nordestinos, “não sobre o povo nordestino”.

Quero deixar bem claro que a intenção não é provocar brigas entre regiões nesta nossa gazeta escrota que, como já disse, tem gente de todos os brasis.

É apenas para que os nossos leitores se situem e entendam direitinho a situação.

Já sabemos que  políticos ladrões, safados e canalhas existem em todos os níveis – municipal, estadual e federal -, e também em todos os cantos deste nosso país continental.

E vamos lá:

FALA, BÁRBARA!