DEU NO TWITTER

SEVERINO SOUTO - SE SOU SERTÃO

DEU NO TWITTER

CHARGE DO SPONHOLZ

PERCIVAL PUGGINA

QUANDO O REMÉDIO VIRA VENENO

Dois fatores somam-se como principais para produzir uma representação parlamentar que, uma vez empossada e atuante, não representa, objetivamente, ninguém. Refiro-me às equivocadas razões de voto de tantos eleitores e ao sistema feito sob medida para que eleitos e eleitores pouco ou nada interajam. A eleição parlamentar é proporcional, há número excessivo de partidos e candidatos, e a circunscrição eleitoral é o estado inteiro. Tudo irracional, oneroso e ineficiente.

É visível e bem motivada a frustração dos cidadãos em relação às duas Casas do Congresso. A frustração leva ao arrependimento quanto ao voto dado, o arrependimento à revolta e esta a um novo equívoco. “Larguei!”, dizem tantos. Rasgam a carteirinha, desistem de votar.

Até onde a memória alcança, resolvi listar os parlamentares em quem votei, iniciando pela eleição de meu saudoso pai como deputado estadual em 1962. Dela constam vereadores, deputados estaduais, federais e senadores. Raras frustrações. Fui encontrar o motivo numa conversa de décadas atrás com o querido amigo e mestre, prof. Cézar Saldanha Souza Júnior. Ensinara-me ele que parlamentares devem ser escolhidos como representantes de opinião e não de interesses. Eleitores deveriam, portanto, regalar seu voto a alguém com cujos princípios, valores, ideias e ideais sintonizassem.

Trata-se, como se percebe, de um critério muito exigente: o eleitor precisa conhecer o candidato para assegurar-se de que, na rua esburacada da política, ele não resvalará para a sarjeta. Políticos eleitos assim cuidam do particular sem perder de vista o geral. Pela firmeza de seus princípios e valores, não se omitirão, não abrandarão a lei penal, não deixarão a construção de novos presídios sem verbas, não aprovarão novas gambiarras no Código de Processo Penal, não admitirão mais verbas para partidos e seus gastos eleitorais; se empenharão pela possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, alterarão a forma de provimento das vagas no STF, combaterão a corrupção, e assim por diante, atentos aos anseios nacionais.

Em infelicitada contramão, porém, o mais frequente motivo de voto, é a ligação do candidato a um grupo de interesse. Estribada em tal critério, a maior parte dos eleitores escolhe alguém para cuidar de si. É sua montaria da vez, o parelheiro escolhido para a eleição. “Vou eleger um deputado para chamar de meu!”, festeja. Na vida real, o parlamentar selecionado vai deliberar apenas ocasionalmente sobre essas específicas pautas de interesse de seu eleitor “corporativo”, mas decidirá sobre tudo mais o tempo todo! E é aí que o remédio vira veneno.

Na vida real, parlamentares eleitos assim, passam a maior parte do tempo cuidando de seus próprios interesses sem se importar se eles conflitam (e sempre conflitam) com os do eleitor. A frustração de muitos com os temas que os congressistas não votam, ou nos quais deliberam divergindo do interesse nacional e do desejo do eleitor, tem tudo a ver com isso. Quem assim for eleito passará o inteiro mandato a votar sobre formas de tomar dinheiro de seu eleitor para atender regalias de outros grupos de interesse e ampliar sua base eleitoral. O que lhe dá com uma das mãos, tira em dobro com a outra.

É um paradoxo que não deveria surpreender. Pergunto: o sujeito que elege um parlamentar para cuidar de si, pode se aborrecer se o eleito fizer o mesmo e tratar de seu próprio interesse, de seus negócios, mordomias, parentes, verbas individuais e partidárias? Quem já acompanhou o que acontece nos plenários quando as galerias estão lotadas ululando reivindicações sabe o quanto é raro que ali se reivindique a favor do interesse público. No entanto, os maus deputados estão deliberando e votando, contra esse interesse, graças a mandatos que eleitores interesseiros lhe concederam.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

NACINHA – CUIABÁ-MT

Amigo Berto!!!

Sou música, toco violão, e aprecio muito esta atividade artística.

Por favor, publique aí uma colega desta nobre arte fazendo dupla com um eleitor do PT.

Muito obrigada.

R. Pronto, cara leitora: seu pedido foi atendido.

O vídeo que você nos mandou está publicado.

Agora, fique sabendo que o nosso mascote, o jumento Polodoro, ficou muito chateado.

Ele mandou dizer que é burro mas não é eleitor do PT.

Sua condição burreira jamais descerá a este nível.

Saiba que Polodoro ficou profundamente ofendido com sua piada.

DEU NO TWITTER

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

DOAÇÃO DE POBREZA

Ninguém, na verdade, é tão pobre
Que sua pobreza não lhe sobre
Para doar pobreza para outro alguém

E se o reino dos céus é dos pobres
Ajude a salvar outro alguém
Doe um pouco da pobreza que tem

Seja um doador voluntário.

DEU NO JORNAL

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

EDNA COSTA – RECIFE-PE

Olá, Berto!

Agora a nossa candidatura é realidade!

Após encontro na convenção do PCdoB, oficializamos a minha caminhada rumo ao cargo de vereadora em Recife.

Acredito que um mandato é uma tribuna do povo e estou disposta a enfrentar os desafios em prol de uma cidade mais humana e prazerosa de viver!

Venha participar e construir coletivamente um Recife melhor para todos!

Comente e compartilhe essa mensagem.

Conheça minhas redes sociais clicando aqui

Acesse o link para ficar por dento da minha campanha via Whatsapp clicando aqui

Edna Costa, uma guerreira do povo!

R. Dona moça, aqui nesta gazeta escrota cabe de tudo: desde falas de Lula e sentenças de Gilmar, até propaganda de candidatos do bravo PCdoB.

Use e abuse deste espaço aberto e democrático, editado por um cabra reacionário.

Sua colega de militância e de partido, a comunista Cida Pedrosa – que deve ter repassado meu zap pra você -, é uma amiga muito querida e que já veio aqui em casa pra gravar um vídeo meu fazendo propaganda pra ela na última eleição.

Acho que fui o único reacionário safado que votou nela.

Como você foi a primeira a aparecer por aqui, também vai ter o meu voto.

Só espero que eu não dê a você o mesmo azar que dei pra Cida: ela não conseguiu ser eleita…

Mas, felizmente, ganhou uma boquinha de Secretária de Meio Ambiente da Prefeitura do Recife.

Veja ela toda sorridente na foto abaixo, ao lado do Prefeito Geraldo Júlio, durante uma visita que ele fez ao Jardim Botânico:

Candidata Edna Costa: vou torcer pra que você volte a ter uma cadeira na impoluta edilidade recifense, onde já sentou os quartos por três mandatos, conforme diz no vídeo que fecha esta postagem.

E espero que, na condição de vereadora, consiga arranjar uma verbinha municipal pra ajudar a manter nos ares esta gazeta escrota.

Estamos numa pindaíba danada, os salários da redação tudo atrasados.

Chupicleide, nossa secretária, tá até passando fome, coitadinha….

Pode usar e abusar deste espaço durante sua campanha, candidata Edna.

E vamos ao vídeo que você nos deu a honra de enviar pra esse jornal fuleiro, a fim de ser divulgado entre os milhares de leitores que temos aqui no Recife.

Fecho a postagem com a mesma frase que você usou pra fechar sua mensagem:

Edna Costa, uma guerreira do povo!

(Quase que eu digitava ” guerreira do povo besta”. Acho que é por conta do nome do nosso jornal… Vôte!)