CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PASSANDO O DEDO

Caros leitores do Jornal da Besta Fubana, temos um novo clipe no ar.

A música vocês já conhecem.

Acontece que juntamos à nossa interpretação os personagens da história, interpretados pelo ator Rodolfo Cordón, da Companhia de Comédia G7, e a atriz Kelly Costty, do Grupo de Teatro Celeiro das Antas.

O próprio Rodolfo Cordón fez o roteiro. Mariano Jr. do Hertz Studio, que já havia feito a produção musical, entrou com a produção e a direção do clipe.

A mim só resta agradecer a essa turma, que fez da minha canção um verdadeiro curta metragem de comédia.

Espero que vocês gostem.

20 pensou em “MARCOS MAIRTON – BRASÍLIA-DF

    • Maravilha, Sancho!
      A ideia é essa mesmo: divertir.
      Mas ao mesmo tempo alertar. Porque eu tenho certeza que tem muita gente que tá pior que esse rapaz do clipe.

  1. Parabéns ao eclético, talentoso e joga nas onze posições. Excelentíssimo Sr. Juiz Marcos Mairton.

    O Senhor ficou muito bem de voz da consciência, ou seria, cantor e violonista da consciência, ou ainda, cupido invertido de casal normal.

    Pois, as histórias são sempre assim: a mulher querendo e o homem rejeitando.
    Esse pelo menos tava passando o dedo. Mas, no lugar errado.

    Com todo respeito. Bem que o senhor poderia cantar essa música naquele local superior de divindades olímpicas.

    Além de passar o dedo. Poderia passar um pito. Uma peia. Um cipó. Uma chibata. Um óbice. Um látego. Um relho. Um vergalho. Um rebenque. Um travão. Uma tabica. Um açoite…

    Bem, palavras e corretivos é que não faltam.
    O certo é que nunca mais veríamos nossa mulher, que aqui vou chamá-la de Liberdade. Saindo porta à fora.

    “Data Venia” rogo meu preito e reverência ao senhor, aos participantes e criadores do vídeo. O Nordestino esbanja habidade, atributo, aptidão, dom e capacidade infinitas.
    O mais importante: somos todos Brasileiros.

  2. Caro Marcos,

    Clipes como este, cultura pura, deveriam ser apresentados em nossas Assembleias, a fim de levantar o astral dos temas.

    Abri a tela e o som para minha família ver e acabei dançando com a esposa.

    Certamente à noite irei também passar o dedo, mas no negócio dela…

    Parabéns!

  3. Eita! O cabra passando o dedo e a mulher passando “fome”. Deu no que deu!

    Parabéns pelo clip, ao senhor é aos atores, muito divertido.

  4. Caro coestaduano Marcos Mairton, gostei da ideia de explicitar essa sua balançante música, de duplo sentido, por meio desse excelente clipe.
    Confesso que eu tinha cisma, embora infundada, com essa sua música, justamente porque eu não havia captado a tênue duplicidade de sentido. Esse mesmo fenômeno ocorreu comigo em relação à música “Isso não é hora de pedir papa em bar”, do nosso talentoso e saudoso coestaduano, Guajará Cialdini, comandante do programa “Guajará no Varandão”.
    O clipe está irreprochável.
    Felicito todos os impecáveis participantes pela excelência do trabalho: Marcos Mairton: protagonista/violonista/cantor, a atriz Kelly Costty, o ator Rodolfo Cordón, também roterista, e o produtor e diretor, Mariano Jr., do Hertz Studio. Parabéns!

    • Muito obrigado, Boaventura.
      A propósito do Guajará, fui ouvinte assíduo do programa Guajará na Varandão.
      Acho que era ele quem dizia que o casamento é como uma Salve Rainha, começa com “luz de vida e esperança nossa” e termina com “gemendo e chorando nesse vale de lágrimas”.

Deixe uma resposta