DEU NO TWITTER

GUSTAVO GAYER

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SONETO DO PAU DECIFRADO – Bocage

É pau, e rei dos paus, não marmeleiro,
Bem que duas gamboas lhe lobrigo;
Dá leite, sem ser árvore de figo,
Da glande o fruto tem, sem ser sobreiro:

Verga, e não quebra, como zambujeiro;
Oco, qual sabugueiro tem o umbigo;
Brando às vezes, qual vime, está consigo;
Outras vezes mais rijo que um pinheiro:

À roda da raiz produz carqueja:
Todo o resto do tronco é calvo e nu;
Nem cedro, nem pau-santo mais negreja!

Para carValho ser falta-lhe um U;
Adivinhem agora que pau seja,
E quem adivinhar meta-o no cu.

Manuel Maria Barbosa du Bocage, Setubal, Portugal (1765-1805)

BERNARDO - DIRETO DO PINGO NOS Is

DEU NO TWITTER

DEU NO JORNAL

VOCÊ PAGOU A CONTA

Lúcio Vaz

Lula é recebido com honrarias de chefe de Estado  pelo presidente francês

A prestação de contas da viagem do ex-presidente Lula da Silva pela Europa em novembro revela despesas de R$ 223 mil com diárias e passagens aéreas. Em pré-campanha presidencial, Lula esteve na Alemanha, Bélgica, Espanha e França, onde foi recebido com honras de chefe de Estado pelo presidente Emmanuel Macron. Após as visitas, Lula lidera o ranking de gastos dos ex-presidentes, com R$ 976 mil – num total de R$ 5,2 milhões. Paga pelo contribuinte, a gastança dos ex-presidentes já soma R$ 75 milhões.

Considerando as viagens de Lula pelo país e mundo afora, as despesas chegam a R$ 362 mil. A equipe de seguranças, motoristas e assessores que prestam serviços ao ex-presidente já receberam R$ 595 mil neste ano, sem contar o mês de dezembro. Lula ainda gastou R$ 14,5 mil com combustível e R$ 1,3 mil com a manutenção de veículos. Cada ex-presidente conta com dois carros oficiais, comprados em 2019 e pagos durante a pandemia da Covid-19, no valor total de R$ 1,3 milhão.

A ex-presidente Dilma Rousseff está em segundo lugar no ranking de gastos, com R$ 963 mil, sendo R$ 99 mil com diárias e passagens. As viagens para o exterior custaram R$ 60 mil. Seus servidores custaram R$ 828 mil. Mas ela já gastou bem mais. Em 2019, antes da pandemia, Dilma torrou R$ 544 mil em visitas a 13 países. Na viagem de férias de 42 dias a Nova York e Sevilha, só a despesa com 96 diárias para assessores chegou a R$ 136 mil.

Gastos em dose dupla

O terceiro do ranking é o atual senador Fernando Collor (PROS-AL), com R$ 962 mil. A sua equipe de apoio já custou R$ 706 mil neste ano. O curioso é que ele conta com mais 52 assessores do Senado Federal. No ano passado, esses servidores custaram mais R$ 6 milhões aos cofres públicos. Como ex-presidente, Collor viaja mais pelo país – foram gastos R$ 208 mil com passagens e diárias.

Michel Temer já gastou 835 mil neste ano, sendo 736 com servidores. As despesas com viagens somaram 73 mil, com R$ 57 mil em deslocamentos para o exterior. Como viaja muito de carro oficial pelo interior paulista, gastou R$ 24 mil com combustível.

Fernando Henrique Cardoso não viajou neste ano. Quase a totalidade das suas despesas como ex-presidente – R$ 707 mil – foram com a sua equipe de apoio, R$ 706 mil. José Sarney gastou um total de R$ 747 mil, sendo R$ 683 com servidores. Suas viagens custaram R$ 45 mil. Ele gastou mais R$ 15 mil com o SiafWeb, sistema que permite acompanhar os gastos do governo.

Críticas duras a Bolsonaro

A viagem de novembro à Europa ofereceu a Lula um palanque que ele não tem no Brasil. Falou da sua “absolvição”, fez críticas duras ao presidente Jair Bolsonaro e falou dos seus planos para um possível governo. Em discurso no Parlamento Europeu, afirmou: “Aonde quer que eu vá, faço questão de dizer: o Brasil tem jeito, porque ele é muito maior do que qualquer um que tente destruí-lo”.

Lula citou erros do governo na condução da pandemia, afirmando que Bolsonaro ironizou a gravidade da doença, zombou dos mortos, atrasou a compra das vacinas, fez propaganda enganosa, distribuiu medicamentos ineficazes contra o vírus, deixou faltar oxigênio em hospitais, incentivou aglomerações e ajudou a espalhar fake news contra as vacinas.

Na palestra que fez no Instituto de Estudos Políticos de Paris, Lula falou da decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a sua condenação. “Foram cinco anos de luta pela verdade e pela justiça até que o Supremo viesse a estabelecer, afinal, a suspeição e a parcialidade do juiz que me condenou sem provas e sem causa”.

DEU NO TWITTER

ALEXANDRE GARCIA

A FACADA CONTINUA

A facada sofrida pelo presidente Jair Bolsonaro durante a campanha de 2018

E o presidente Bolsonaro está no Vila Nova Star. Ele sentiu problemas intestinais, uma obstrução ou semi-obstrução. Foi internado às pressas, às 3 da madrugada de segunda. Deve ter ido de helicóptero ao Aeroporto de Navegantes, e de lá, com um avião presidencial, para São Paulo. O doutor Luiz Antonio Macedo, que fez as outras cirurgias nele, disse que – mais uma vez, todo mundo sabe que a clínica é soberana – não vai ser tomografia nem PCR que apura infecção, ou hemograma. Vai ser a clínica, o exame clínico que vai decidir se vai ter uma cirurgia ou não. Minha mulher é cirurgiã e ela me disse que ele deve estar com muita aderência na cavidade intestinal por causa dessas constantes cirurgias motivadas pela facada.

Um médico amigo dela, que é cirurgião geral, disse que ele não pode ficar comendo coisa que provoca fermentação ou gases, que é problema. Como esse pastel em qualquer lugar, pizza, refrigerante. Não pode, tem que parar com isso. Porque o intestino dele está delicado depois da facada. Eu fico pensando naquela decisão, naquela tese do ministro Alexandre de Moraes sobre o flagrante continuado do deputado Daniel Silveira – ele botou algo na internet, e enquanto estiver girando na internet é flagrante, por isso foi preso em casa às 23h, o que a Constituição proíbe, assim como proíbe prender deputado. Deputado é civil e criminalmente inimputável pelas suas palavras. Quaisquer palavras, diz a Constituição.

O Adélio Bispo, que deu a facada, continua a facada. Continuam as consequências da facada. O Adélio Bispo e o mandante dele, se é que existe; mas quem o estimulou, esse existe. Quem autorizou a entrada dele na Câmara, fictícia, para formar um álibi. Mas registrou como se estivesse presente na Câmara. Se ele não tivesse sido pego em Juiz de Fora, ele teria esse álibi. E foi o gabinete de algum deputado que autorizou. Será que não se descobriu isso até hoje? Será que não fica um mínimo registro? Fica registro de tudo… enfim, tudo isso faz a gente lembrar desse flagrante continuado. A facada continua.

* * *

Navios em dificuldades

Três navios que estavam com todo mundo vacinado, todo mundo feito teste na costa brasileira, cheios de brasileiros, já estão nos portos. Muita gente reclamando porque famílias foram separadas. Sai o pai, ficam os filhos, isolados no navio. E a Anvisa agora diz que não pode ter cruzeiro; nesse momento, não. Eu não sei se a Anvisa vai dizer alguma coisa sobre o carnaval. Porque a Bahia não vai ter carnaval; mas em Rio de Janeiro, Recife, São Paulo, está todo mundo, os governantes e prefeitos, animados para o carnaval.

Por falar em carnaval, um navio com esse nome, Carnival Freedom, teve esse problema, num cruzeiro no Caribe. Saiu de Miami no Natal – era para passar por Aruba, por Bonaire, e nenhum porto recebeu. Porque teve um surto de Covid-19 à bordo. Ninguém diz quantos. Voltou para Miami e está todo mundo reclamando, pelo que vi em um jornal de lá. Os tripulantes reclamando do tratamento e dizendo que cumpriram todas as exigências de declaração de vacina, de exame prévio, etc.

* * *

Vacinas e consequências

Eu duvido que o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) não tenha sido vacinado na vacinação completa. Mas ele está com Covid-19. Ele está de plantão, o ministro Humberto Martins, porque o tribunal está em recesso. Ele é um dos 33 juízes do STJ. Está fazendo plantão em casa, diz a nota do tribunal. Ele testou positivo para Covid-19 e está “devidamente medicado”. É assim que diz a nota. Fico curiosíssimo. Ele é pessoa pública, bem que poderia dizer: medicado com o quê? Está passando muito bem.

Já não sei como está o apresentador da TV Alterosa, que estava apresentando ontem de manhã ao vivo, o Rafael Silva, e caiu. Teve cinco paradas cardíacas. De uma hora para outra. Assim como a campeã brasileira de muay thai, 32 aninhos. Estava em casa, descansando em Santa Catarina, a Monique Piske, e morreu. Assim, de repente. É o que eu digo: a Anvisa, o Ministério da Saúde, estão precisando dar uma satisfação para a população brasileira desses casos que todo mundo fica sabendo. Tem que deixar essas coisas muito claras.

DEU NO TWITTER

BERNARDO - DIRETO DO PINGO NOS Is