COMENTÁRIOS SELECIONADOS

REZAR PRA O OUTRO MESSIAS

Comentário sobre a postagem CONSELHO AO CANDIDATO

Vilma:

Não dá mais pra defender Bolsonaro!

Ontem ele passou dos limites, já não é mais falta de decoro e sim falta de educação! Falta de respeito com os mortos, a maioria idosos, morreram com falta de ar e sem vaga em UTI, morreram sem acesso a serviço de saúde publico decente .

A única coisa que idoso pobre faz é continuar trabalhando pra complementar a aposentadoria que nunca reajusta de acordo com os remédios, e cuidando dos filhos e da netaiada toda que tá sem comida ,

Fica em casa com os netos, tira da própria boca pra dar pros netos, as vezes deixados lá pra sempre porque nem pai e mãe querem criar.

Morreram com falta de ar sabendo que não tem respirador pra todo mundo, morte triste , isolado sem poder ver os netos, sem poder nem se despedir. Morte horrível, enterrado numa vala com muitos outros, viveu e morreu na miséria, mas votou, tinha esperança.

Tá dando vontade de chorar todo dia.

Trabalho em hospital, tá difícil!

Ver este idiota praticando tiro ao alvo, escolhendo o número 38 pra mais um partido (já tem mais de 30), entrando em coluio com o que há de mais podre na politica neste pais, é de chorar.

Moro realmente não tinha outra opção.

A nós só resta rezar pra o outro Messias!

Um dia a justiça divina chegará, e quem usa o nome do Pai para chegar e se manter no poder enfrentará a verdadeira justiça.

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

CHUVA DE ADJETIVOS PRA UMA GAZETA ESCROTA

Comentário sobre a postagem NO TEMPO EM QUE O JBF APARECIA NA VEJA

Álvaro Simoes:

Conheci o JBF através da coluna do Ricardo Setti na Veja, da qual fui assinante durante muitos anos e que abandonei quando ela deu sua incrível guinada à esquerda, levando junto até o Reinaldo Azevedo, que se bandeou de mala e cuia para os lados dos corruptos da canhota.

À morta-viva Veja só restaram de jornalismo decente os textos e vídeos do Augusto Nunes.

Mas a vira-casa hebdomadária serviu para me trazer um hábito muito gratificante, edificante, pujante, estimulante, galante, gigante, vibrante, possante, pensante, elegante, chocante, vicejante, rutilante, relevante, ofuscante, faiscante, brilhante, cativante, dominante, triunfante, retumbante e, principalmente, constante, que é ler o JBF tomando o café da manhã, pois não há tempo a perder.

* * *

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

CORNICIDADES GLOBAIS

Comentário sobre a postagem ALTAS PROSOPOPEIAS ZISQUERDAIS CORNÍFERAS

Adônis Oliveira:

Às dezenas de tipos de cornos já classificados pelos estudiosos da nobre Ciência da Cornologia, assunto do qual sou um mero e diletante curioso, fica acrescida agora a categoria criada pelo garboso deputado de Pernambuco:

O novo tipo identificado é o “CORNO FEMINISTA”.

Segundo o representante desta nova classe de chifrudos, toda mulher tem o direito de chamar o nome do ex na hora de gozar.

Se achar ruim, o cara é um machista e ponto final.

Além de fascista e eleitor de Bolsonaro.

De lascar é um monte de descerebrados de Pernambuco votar num imbecil desses para deputado.

Está explicada a origem de termos um congresso tão canalha.

* * *

Nota do Editor:

A propósito deste relevante e científico tema chifrístico, levantado pelo colunista fubânico Adonis Oliveira, sugiro aos nossos leitores uma passada no blog do pernambucano Flavio Silva.

Em sua página ele elaborou uma lista com uma centena de diferentes tipos de cornos.

Basta clicar aqui para acessar.

“Um homem sem mulher não é nada. Nem corno” – Otacílio, filósofo palmarense

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

NO TEMPO EM QUE O JBF APARECIA NA VEJA

Comentário sobre a postagem CLEIDÃO – RIACHO DE SANTANA-BA

Roberto Custódio:

Olá, desde que há alguns anos conheci o JBF, indicado pelo jornalista Ricardo Setti, sou testemunha do caráter democrático deste veículo de informação e entretenimento.

Ás vezes concordo com os posts dos mais distintos segmentos ideológicos aqui apresentados. E às vezes discordo.

Fico emputecido com algumas coisas e me alinho a outras, que são colocadas nesse espaço.

Independência editorial é o lema do Jornal da Besta Fubana.

Eu, por exemplo, sou fã do ex-juiz e agora ex-ministro Sérgio Moro, mas aceito tranquilamente as críticas que a ele são dirigidas, algumas ofensivas até demais da conta.

A luta dele contra a corrupção em nosso País é um fato histórico indelével.

E, ao mesmo tempo, repilo veementemente (como diria o Goiano Braga Horta) quem defende tortura e ditadura de todos os tons ideológicos.

Um abraço a todos – de esquerda, de direita e do centro.

* * *

Nota do Editor:

Não apenas o leitor Roberto Custódio, mas também inúmeros outros conheceram o JBF através de várias notas e referências que foram feitas pelo grande jornalista brasileiro Ricardo Setti, citando esta gazeta escrota na revista Veja. 

Assim como Setti, também o jornalista Augusto Nunes costumava citar o JBF em sua coluna naquela revista. 

Clique aqui e veja uma das várias postagem que Augusto Nunes fez na Veja transcrevendo na íntegra um texto deste Editor.

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

FACADA NAS COSTAS

Comentário sobre a postagem SAIU E TRAIU

Adônis Oliveira:

Eu nunca vi, nem tive conhecimento, de um homem que tivesse sido tão atraiçoado e por tanta gente.

Teremos que instituir o troféu e a medalha “Iron Balls” para dar a Bolsonaro.

Só tendo os ovos de ferro para aguentar tanta canalhice.

O tanto de traições torpes que esse homem já sofreu só se compara à virada da galera em Jerusalém, entre o domingo de Ramos e a sexta feira da paixão.

Que eu me lembre, e bem rapidamente, foram: Joice, Dória, Mandetta, Alexandre Frota, Ronaldo Caiado, agora Moro, e tantos e tantos outros oportunistas que se elegeram pendurados nos ovos de Bolsonaro e, depois, lhes pagaram com uma facada nas costas.

Qualquer pessoa, com a personalidade medianamente forte, já teria pedido o boné e mandado esse país à puta que os pariu, entregando a porra toda aos canalhas das esquerdas.

Eu, que não tenho nada a ver com isso, já que vou embora dessa merda de país assim que abrirem os portões, já estou absolutamente de saco cheio de ver tanta conversa imbecil e baseada em suposições maldosas que foram cientificamente plantadas pelas víboras da esquerda canalha.

Nisso, tenho que reconhecer, as hienas e os chacais das esquerdas são EXTREMAMENTE COMPETENTES: Plantar a cizânia, a dúvida, a desconfiança, o desentendimento, o ódio, o desencanto, e por aí vai, é a maior de todas as competências desses abutres

Chega!!!!! FUI!!!!!

* * *

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

MAGOTE DE LADRÃO

Comentário sobre a postagem DÚVIDA

Jesus de Ritinha de Miúdo:

Minha alma atormentada
Meu corpo arrepiado
Com esse salão lotado
De tanta gente safada.
Treinada em dar garfada
No erário da nação
Do ator eu não sei não
Mas, o título dessa obra
Pode ser “Ruma de cobra”
Ou “Magote de ladrão”.

Fico com a segunda alternativa.

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

JORNAL DA BESTA FUBANA NA GRADE ESCOLAR

Comentário sobre a postagem UM PAÍS DE ESTULTOS

Luiz Carlos:

Aproveitando que ontem, 23, foi o Dia do Livro:

Poderíamos reivindicar a obrigatoriedade do Jornal da Besta Fubana, tornar-se matéria da grade curricular das escolas.

Com certeza a cultura nesse País, alcançaria um nível de excelência elevadíssimo.

* * *

Doutoranda em Exegese Filosófica se preparando para defesa de sua Tese lendo matérias do Jornal da Besta Fubana

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

FELICIDADE COMPLETA: AMOR E CACHORRO

Comentário sobre a postagem BOAVENTURA BONFIM – FORTALEZA-CE

Macau:

O melhor que achei do vídeo é que por trás do dedicado leitor, e crítico de literatura, tem um quadro que que diz

“Tudo que precisamos é um amor e um cachorro”.

Pronto, Janja, tá com os dois, né?

É, pessoal, a diversão voltou.

O rato saiu da quarentena.

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

GRAVE OFENSA A UMA MARAVILHA DO MUNDO

Comentário sobre a postagem NEM OS PARCEIROS AGUENTAM

Arael M. da Costa:

Berto

Infelizmente você está incorrendo em um erro quase que imperdoável, ao chamar o ilustríssimo ministro judicante Gilmar Mendes, de Gilmar Boca-de-Buceta.

Afinal esse apodo tem base em uma das maravilhas do mundo.

Vamos encontrar, quem sabe com a ajuda do Ceguinho Teimoso, que deve ser linguista de mão cheia, um novo a mais consentâneo apelido para essa figura incomensurável de nossos tribunais.

* * *