A PALAVRA DO EDITOR

Existe um grupo no WhatsAap, montado por magote de cabras safados, ao qual batizaram de Cabaré do Berto.

Já entrei com um processo na justiça pedindo ressarcimento por danos morais.

Um cidadão honrado e sério feito eu não pode ter seu nome avacalhado desse modo.

Este tal cabaré tem o mesmo nome da reunião fubânica semanal, realizada nas noites de quarta-feira, comandada pelo colunista Maurício Assuero.

Pois quem quiser conhecer e entrar pro grupo lá no WhatsAap, pode fazer contato com Assuero e pedir pra ser admitido, através deste e-mail:

mauricioassuero18@gmail.com

Garanto a todos os leitores fubânicos que é um grupo pra lá de movimentado e divertido, com postagens o dia inteiro.

Vou encerrar contando uma história:

Essa semana, nesse grupo de gente escrota, o também colunista fubânico Jesus de Ritinha de Miúdo, talentoso poeta potiguar, publicou uns versos se referindo a este Editor.

Não elogiando minha beleza, meu talento ou à minha reputação ilibada e notável saber putárico.

Mas se referindo aos peidos que eu solto…

Pode um desmantelo desses???!!!

É muita falta do que fazer e muito desrespeito dessa mundiça.

Vejam só o que Jesus postou lá:

Berto peida acordado
Peida quando adormece
Peida calmo e com estresse
Peida em pé, peida sentado.
Peida falando e calado
Em lugar amplo ou estreito
Na cara de um sujeito
Peida longe, peida perto,
E eu ouvi falar que Berto
Peida, sim, de todo jeito.

Peida sorrindo ou chorando,
Até cantando também
Numa noite peida cem
Pra nos dedos ir contando.
Quando Berto vai andando
Quebra o peido na passada
Dividindo a bufarada
Em várias partes iguais
‘Tá escrito nos anais:
Berto é o Rei da Peidarada

É pra arrombar as tabaca de Xolinha!!!

Esse povo não tem o menor respeito por este Editor e vive a enxovalhar meu nome.

E já que o tema é peido, fecho  a postagem com um verso do grande gênio da poesia nordestina Otacílio Batista.

Vejam:

O peido é bom toda hora
Sem peido não há quem passe
A criança quando nasce
Tanto peida como chora
Um peido ao romper da aurora
Eu não troco por ninguém
Há noites que eu solto cem
Peidos grandes e pequenos
Já conheço mais ou menos
O valor que o peido tem

Quem quiser ler o poema completa, basta clicar aqui

10 pensou em “E VAMOS FALAR DE FLAUTULÊNCIA

  1. E vamos ao poema do Jesus, em inglês:

    Berto farts awake
    farts when you fall asleep
    fart calm and stressed
    Fart standing, fart sitting.
    fart talking and silent
    in a wide or narrow place
    in a guy’s face
    far far, near far,
    And I heard that Berto
    Fart, yes, anyway.

    Fart smiling or crying,
    Even singing too
    one night fart a hundred
    For your fingers to count.
    when Berto goes walking
    break the fart in the past
    splitting the snort
    in several equal parts
    ‘It is written in the annals:
    Berto is the King of Farting.

    Em francês:

    Berto pète éveillé
    pète quand tu t’endors
    pet calme et stressé
    Pet debout, pet assis.
    pet parlant et silencieux
    dans un endroit large ou étroit
    dans le visage d’un mec
    loin loin, près loin,
    Et j’ai entendu que Berto
    Péter, oui, en tout cas.

    Péter en souriant ou en pleurant,
    Même chanter aussi
    une nuit pet cent
    Pour que tes doigts comptent.
    quand Berto se promène
    casser le pet dans le passé
    diviser le reniflement
    en plusieurs parties égales
    « Il est écrit dans les annales :
    Berto est le roi du pet.

    Em italiano:

    Berto scoreggia sveglio
    scoreggia quando ti addormenti
    scoreggia calmo e stressato
    Scoreggia in piedi, scoreggia seduto.
    scoreggia parlando e muto
    in un posto largo o stretto
    in faccia a un ragazzo
    molto lontano, vicino lontano,
    E ho sentito che Berto
    Scoreggia, sì, comunque.

    Scoreggia sorridendo o piangendo,
    Anche cantando
    una notte scoreggia cento
    Per far contare le tue dita.
    quando Berto va a passeggio
    rompere la scoreggia in passato
    spaccando lo sbuffo
    in più parti uguali
    «Sta scritto negli annali:
    Berto è il re delle scoregge.

    Em Latim:

    Berto pedit expergiscimini
    pedit cum dormientibus
    crepitu tranquillitas et illustraverat
    Pedet stans, pede sedens.
    crepitu loquitur et tacet
    in lato vel angusto loco
    in guy scriptor facies
    longe, near far;
    Et audivi quod Berto
    Fart, etiam, usquam.

    Olli subridens vel clamor;
    Etiam cantus
    nocte crepitu centum
    Nam digitos tuos numerare.
    Cum Berto ambulans
    praevaricator crepitu in praeteritum
    fissile premens volitans
    pluribus aequalibus
    Item scriptum est in annalibus.
    Berto Rex Farting.

    Em espanhol:

    Berto se tira pedos despierto
    se tira pedos cuando te duermes
    pedo tranquilo y estresado
    Pedo de pie, pedo sentado.
    pedo hablando y en silencio
    en un lugar ancho o estrecho
    en la cara de un chico
    lejos lejos, cerca lejos
    Y escuché que Berto
    Pedo, sí, de todos modos.

    Pedo sonriendo o llorando,
    Incluso cantando también
    una noche tira un pedo a cien
    Para que tus dedos cuenten.
    cuando Berto va caminando
    romper el pedo en el pasado
    dividiendo el bufido
    en varias partes iguales
    “Está escrito en los anales:
    Berto es el rey de los pedos.

  2. Reforço a chamada de Berto. Pra não ficar desantenado, alienado pensando que boi deitado é vaca, entra nesse cabaré que o pau come no centro

  3. Minha Avó, sempre que ela ou meu Avô peidava, nos dizia em alto e bom tom, entre um peido de um e o peido de outro: “peidar meu fi, é mais mió que minti”! Na gaitada, arrematava com um sonoro “arre égua”!

  4. Lá no cabaré do Berto
    O peido virou assunto
    No dia, eu não tava junto,
    Nada acompanhei de perto.
    Mas me deram como certo
    Que muita gente peidou,
    Teve peido que estrondou
    E peido silencioso
    Agora, peido cheiroso,
    Garanto, ninguém soltou.

  5. Se alguém tiver problema de peido , vã ao Dr. Ciro João .
    O cirojoão dará uns pontos e o sujeito sairá de lá assoviando como Kiu Sakamoto na canção Ue wo muite arukou .

  6. Pingback: UM TEMA LÍRICO E POÉTICO | JORNAL DA BESTA FUBANA

Deixe uma resposta