COMENTÁRIOS SELECIONADOS

Comentário sobre a postagem TINHA MESMO QUE SER UMA VACA GLOBOSTEIRA

Carlos Francisco de Farias:

Veja essa manchete do Antagonista:

“Bolsonaro cumprimentou idosa depois de limpar nariz com braço.”

Né foda?

Coloca o Polodoro pra rinchar, Berto.

Esse “jornalista” é um fela-da-puta.

* * *

Nota do Editor:

Caro leitor, chamar os jornalisteiros da atualidade de felas-da-puta, é uma grave ofensa às putas, uma classe laboriosa que dá duro (e leva duro) honestamente pra ganhar a vida.

E antes de atender ao seu pedido de botar o Polodoro pra rinchar em homenagem a essa canalha midiática, eu gostaria de relembrar um sábio ditado.

É o seguinte:

“Errar é humano. Permanecer no erro é goiano”

Pois essa nossa grande mídia, completamente “isenta” na sua posição oposicionista ao atual governo, permanece atoladinha no erro, o dia todo e todos os dias.

Não foi só O Antagonista que deu destaque à venta entupida do presidente, eleito ao derrotar o candidato do PT.

Veja esta manchete publicada no UOL, a página da Falha de S.Paulo:

Num tá linda???

A Editoria do JBF foi informada que, à falta de notícias sobre escândalos de corrupção no governo federal, a Globolixo vai criar uma seção de fofocas no Jornal Nacional, comandada pelo fuxiqueiro Nelson Rubens.

O especialista em fofocas Nelson Rubens já gravou o primeiro programa. Vai ao ar na próxima segunda-feira.

A matéria é sobre um peido que o presidente soltou durante uma audiência no Palácio do Planalto.

Uma audiência com o ministro Paulo Guedes, que respondeu soltando um peido mais alto que o de Bolsonaro.

E agora, atendendo ao pedido do nosso leitor, vamos botar Polodoro pra rinchar em homenagem à canalha descerebrada que superlota as redações da grande mídia banânica.

Rincha, Polodoro!!!

20 pensou em “CANALHA MIDIÁTICA POLUINDO OS ARES PÁTRIOS

    • Antônio,
      Como o presidente se recusou a mostrar o resultado do seu terceiro exame referente ao Covid 19, desconfia-se de que ele teve a doença e conseguiu passar por ela sem gravidade, o que redundaria no fato de que ele foi transmissor, durante o tempo de transmissão.
      Se foi, deve ter transmitido para os que o cercam.
      Nesse caso, ele pode agora circular, porque não deverá pegar mais o vírus nem transmiti-lo.
      Talvez seja por isso, por saber-se imune e não transmissor, que ele esteja tão à vontade circulando por aí, cumprimentando e beijando e dizendo para todo o mundo que ninguém tem o direito de impedir alguém de flanar livremente.
      Mas… pode ser que o exame tenha dado negativo, realmente. Nesse caso, Jair Messias Bolsonaro seria um irresponsável ainda maior, pois seria potencialmente capaz de pegar o vírus e adoecer e também de transmiti-lo.
      Em nenhuma das hipóteses Jair Messias Bolsonaro pode ser desculpado, em face da maciça orientação científica sobre a epidemia, especialmente no tocante à necessidade de frear a disseminação para permitir que não haja colapso dos serviços de saúde e todos os pacientes de Covid 19 e de outras doenças possam ser atendidos convenientemente.

      • Se JB teve a doença e não teve sintomas, então ele estava certo.

        A doença para ele é que nem uma gripinha.

        E olha que ele já tem 65 anos.

          • Peraí, foi v. quem aventou a hipótese de que ele poderia ter tido a doença e não manifestado os sintomas.

            Foi v. quem aventou a hipótese de que ele é o super homem.

            Eu só achei o máximo v. ter feito esta suposição.

            • Não fui em quem aventou a hipótese, a desconfiança de que ele omitiu o resultado do terceiro exame é geral.

              Ele pode ter manifestado os sintomas ou não, não se sabe. Muitos os têm leves.

              Não aventei a hipótese de ele ser um super-homem, ele o é, para os seus fanáticos abilolados.

              Glorificai-o.

            • a prova de que o Goiano acha que JB é o super homem:

              “Como o presidente se recusou a mostrar o resultado do seu terceiro exame referente ao Covid 19, desconfia-se de que ele teve a doença e conseguiu passar por ela sem gravidade,”

              Se Goiano passou esta informação ele deve ter a fonte, caso não tenha é amor recolhido.

  1. Primeiro diz que limpa o nariz com o braço, coisa que eu nunca vi.

    Com a mão, com o dedo dá para limpar, mas com o braço?

    O outro diz que esfrega o nariz com o braço.

    O Nariz estava escorrendo? Não. Tava o PR com gripe? Não.

    Não seria mais preciso dizer que coçou o nariz com o braço? Faço isso direto, mas isso não dá impacto.

    • João Francisco, estás querendo tapar o nariz com a meleca.

      Queres defender o presidente? Saia para a rua e caia nos braços do povo, com as mãos de ranho ou não.

      Mas imagine se ficares doente e chegares no hospital e não tiver como seres atendido.

      Pensa na hipótese de não ter respirador para todos, muito menos leitos de UTI.
      Porra, o que a direita está pensando?

      Estarão querendo corroborar o estudo

      https://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2019-09-06/estudo-aponta-que-pessoas-de-qi-baixo-tendem-a-ser-intolerantes-e-de-direita.html?fbclid=IwAR0yzDpP_wCgZYA6I8BydwQExHzixG-62UiOvjTOj-5_aBd1pWC8NS7eXwE

      ???????????????

      • Goiano, éramos nesta semana para estar no pico da doença e sabe?

        Aqui em Ribeirão Preto, onde moro, centro de referência médica para 2 milhões de pessoas da região, as UTI’s estão vazias.

        O Comércio está parado, as fábricas e os serviços.

        No entanto há aglomeração nas entradas dos bancos e nos supermercados.

        Já se tem notícias de saques nas padarias e mercearias de bairros.

        O caos social está chegando e é pior que a doença.

            • Meu caro, não inventa, saque é uma coisa, assalto é outra. Embora a semelhança, que envolve furto, ou roubo, o que geralmente é compreendido como uma ação conjunta de pessoas não combinadas entre si que se aproveitam de determinada situação, em geral de caos, para invadir um estabelecimento comercial e furtar os produtos. Pode ser motivado por uma situação de fome generalizada ou qualquer outra carência.
              Esses casos aí são de ladrões que migraram de suas atividades comuns de roubar transeuntes para, na sua falta, se voltarem para os estabelecimentos comerciais abertos por serem considerados atividades essenciais.

    • Alfredo, isso é uma grave ofensa à importante classe de profissionais que se dedicam a manter a população informada, graças também à garantia democrática da liberdade de imprensa de que gozas.

  2. A notícia é falsa mesmo! Jair Messias Bolsonaro não cumprimentou uma idosa depois de limpar o ranho: ele apertou a mão de três! Ele está determinado a disseminar o vírus que ele e sua equipe trouxeram dos states. Ele está despreocupado consigo próprio porque sabe que já pegou e acha que não pega mais.

  3. Permanecer no erro é goiano?
    Não acho…
    Sou goiano e não gosto de permanecer nos meus erros.
    Se errar, tento logo consertar, e sempre consigo.
    Aliás, conheço muitos compatriotas, de todos os estados do país, erram.
    E MUITO!
    Principalmente quando ofendem as pessoas de um estado que, hoje, é um dos celeiros do Brasil.

    • Meu caro leitor, não tive qualquer intenção de ofender os goianos e o glorioso estado de Goiás. Um estado que me acolheu quando saí do nordeste nos anos 60. Um estado onde servi o exército, fiz muitos amigos, casei e fui feliz. A minha intenção foi apenas fazer uma brincadeira, um trocadilho, com o nosso colunista Goiano Braga Horta, um competente colaborador deste jornal e com o qual estou sempre trocando farpas. Espero que me entenda e me desculpe. Repito: não tive a menor intenção de ofender os naturais de Goiás, um estado onde existem muitos leitores do Jornal da Besta Fubana. Abraços e um excelente domingo.

  4. É isso mesmo, Carlos e Berto, gente nascida em outros Estados erra e muito, haja visto o Jair Messias Bolsonaro, que é paulista e errava dia sim dia não e agora erra várias vezes por dia, inclusive limpando meleca e em seguida dando a mão de ranho para idosos. Infelizmente, humano não rima com paulista… Não dá para dizer que errar é humanista e permanecer no erro é paulista, só quem rima é baiano, alagoano, sergipano, paraibano, goiano, acreano e… pernambucano! Aí, Berto, toma-lhe essa: Errar é humano, permanecer no erro é… pernambucano!
    Chupa!

Deixe uma resposta