JESUS DE RITINHA DE MIÚDO

Inspirado nesta foto, feita pela lente sensível de Chrystian de Saboya

Lá onde o mundo parou
Embora haja noite e dia
Passa o tempo sem passar
No relógio da magia
Felicidade é uma bola
A vida é só uma escola
Ministrando a alegria.

O tempo se faz poesia
De versos muito suaves
Metrificados em tônicas
Como se fossem as chaves
Que a liberdade abrirão
Para cavarmos o chão
Onde varetas são traves.

E os meninos são claves
De uma estupenda canção
Correm no tempo parado
Notas de pura emoção
Na música do futebol
Depois de um lindo arrebol
Com os pés descalços no chão.

2 pensou em “TEMPO FELICIDADE

  1. Assim fica Sancho ao ler o poeta maior, nosso fubânico que sonha seus poemas na região do Seridó: Trocando em miúdos, bebendo bom vinho com “prima” Ritinha e agradecendo a Jesus por existir gente como a gente.
    Beijo no coração, gigante amigo!

Deixe uma resposta