CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Deu na Globo.

Foi no Jornal Nacional.

Não entendi a cara de tristeza de Renata Vasconcellos em transmitir uma notícia tão boa para a economia do Brasil!!!

👋👋👋🇧🇷🇧🇷🇧🇷

19 pensou em “JOÃO VEIGA – RECIFE-PE

  1. pois é ……

    Acho que foi mais legal a cara dela quando Bolsonaro falou sobre SALARIOS diferenciados entre Homem e Mulher, e a cara do Bonner com a carta de Marinho, lida por JMB, sobre o apoio da Globolixo ao governo militar, brilhantemente implementado ( rsrsrsrsrsrs…) em 1964, durante a entrevista do JN lixo em 2018 …

    É uma pena que o Brasil tenha gente deste naipe, que não se envergonham em lutar e torcer contra o Brasil …….. esquerdopatas, estamos no mesmo barco …..

    Aguentamos voces durante 15 anos…….. aguentem a mão e troquem em 2022,……….. se conseguirem claro …..

    Estas, imbecis ainda não perceberam que quanto mais lutam contra Bolsonaro, mais se enfiam na lama da descrença perdendo toda e qualquer credibilidade, pois lutar contra Bolsonaro agora é lutar e torcer contra o Brasil.

    Não entenderam que nós brasileiros do bem, somos mutito diferentes deles, os esquerdopatas ignorantes e corruptos, pois enxergarmos as fragilidades de Bolsonaro…..

    Apesar destas fragilidades, distinguimosque ele, não sei exatamente qual o motivo ( talvez vendo a morte passar bem perto, percebeu que ela nos iguala a todos ), está tentando acertar, corrigindo seus erros, se desculpando de maneira transparente, pensando sempre o melhor pro Brasil e seu povo.

    Óbvio que quanto menos dinheiro desperdiçarmos com a corrupção, com os privilégios imorais destes parasitas do funcionalismo público, dos cabides de emprego das estatais, do dinheiro desperdiçado com a Globo lixo, com certeza sobrará mais dinheiro para investirmos, no social, na educação, na saúde, na segurança e na infraesrutura do País.

    Compreendemos como é difícil lutar contra os cafajestes do STF, dos congressistas sórdidos e corruptos, da imprenssa lixo e dazelite invelosa do seu sucesso popular ….

    Mas, e sempre existe um mas, para esta gentalha calhorda é INCOMPREENSÍVEL um Brasil honesto, trabalhador e que deseja justiça ……..

    Sabemos como é triste ainda ver EBC e EPL (aquela do Trem bala) servindo ainda de cabide de empregos,
    É triste ver Eletrobras e outras estatais com seus apaniguados políticos “gerenciando” e desperdiçando nossos recursos….. mas……….

    Independente disto, nestes meus mais de 50 anos de vida cidadâ é o primeiro presidente que vejo com um excelente programa de governo e com toda força para tentar implementá-lo e com toda a RAÇA para aguentar os FDP’s do STF, os salafrários do Congresso e os arruaceiros da imprensa lixo atacando-o diuturnamente de maneira injusta, arrogante e mentirosa.

    Fico feliz….. como o Senna em carro de F1…….. quando vejo estas derrotas e a cara dos imbecis não entendendo porque Bolsonaro tem cada vez mais apoio popular……

    Quando acabar esta pandemia, esta massa de miseráveis (STF, Congresso, Imprensa lixo,, Equerdistas caviar e outros menos cotados) vão sabe, pela voz das ruas, quanto o plano do Bolsonaro tem nosso apoio……..

    Nada perdem por esperar …………. o pior ……. o maligno ….. rsrsrsrsrsrsrs …….

    • “Viver sem JBF é um equívoco”. Quem disse tal frase foi Polodoro.
      “Viver no JBF sem comentário de Arthur é mais do que um equívoco”. Quem disse foi Sancho Pança.

      Escreve Arthur e repete Sancho: Independente disto, nestes meus mais de 50 anos de vida cidadâ é o primeiro presidente que vejo com um excelente programa de governo e com toda força para tentar implementá-lo e com toda a RAÇA para aguentar…

      Grande final de semana para todos nós, amigão Arthur, do Trio Fubânico Los Tavares”.

  2. Nossa escola não ensina absolutamente nada sobre conceitos econômicos, provavelmente de forma proposital. Então raciocinamos baseados em clichês ou achismos.

    Superavit na balança comercial é bom?

    E como ficam EUA, Canadá, Reino Unido, França, Hong Kong, Israel, Finlândia, que tem balança comercial negativa?

    • Caro Marcelo, os países citados são economias liberais, com estado enxuto (tirando a França) e altas taxas de investimento privado na economia. Os governos também gastam menos do que arrecadam. Os EUA tem o Dollar para bancar seus gastos.

      Na época em que o petróleo estava nas alturas e o Brasil tinha deficit gigantesco tinha que recorrer ao FMI para fazer empréstimos para cobrir os serviços da dívida.

      Ter superávit é melhor do que deficit, pode ter certeza.

      Agora, ter um estado com uma despesa controlada, funcionalismo enxuto e ganhando de acordo com o mercado e o governo tendo condições de fazer o seu papel, é melhor ainda

    • Acho que como está até hoje …….

      O ideal seria haver equilibrio na balança comercial, mesmo em paises desenvolvidos.
      Se isto não acontece é um sinal de alerta pois este deficit terá de ser financiado ou via Empréstimos ou via inflação, mas terá de ser pago e isto traz algum sacrificio para quem está endividado

      Simplificando é como se o País ganhasse menos do que gasta para viver …..

      Dependendo da sua capacidade de gerar recursos pode ser um pequeno problema (Sazonal) ou um grande problema estrutural …….

      De qualquer modo Marcelo não entendi qual o objetivo da sua pergunta, ou qual a profundidade da resposta esperada ……

      A minha é muito simples, até porque sou especialista em generalidades, isto é, conheço pouco de muitas coisas, mas, e sempre existe um mas, espero aprender mais com os especialistas que conhecem muito de coisas específicas ……..

      Abraço fubanico

      • Arthur, não existe déficit a ser pago. Quem importou, pagou. Quem exportou, recebeu. Não são necessariamente a mesma pessoa.

        Não estou dizendo que exportar mais que importar seja ruim. Mas o contrário também não é, como mostram os exemplos que dei.

        A discussão é outra. Temos que parar de pensar em “país rico” e “país pobre” e pensar em “povo rico” e “povo pobre”. País rico com povo pobre só existe nos discursos dos políticos.

  3. Não sendo economista, devo ouvir a palavra de quem entende dessa ciência.
    Anotei a pergunta de Marcelo Bertolucci e senti que havia ali uma estocada, uma ponta de dúvida parecendo a parte aparente de um iceberg.
    Então, fui procurar saber o que dizem alguns e fui informado que entrar mais dinheiro do que saiu parece bom, tem suas vantagens, mas… porém… todavia… contudo…
    Um superávit pode revelar um mau momento da economia, por não estar importando, o que pode significar falta de investimentos em maquinários industriais, desaquecimento comercial e por aí vai.
    De modo que, analisando comparativamente os meses de 2019 e os de 2020, verifica-se que houve uma relativa manutenção dos níveis de compras ao Brasil (exportações) pelos países aos quais fornecemos bens e serviços, enquanto aconteceu uma tendência de queda nas compras que o Brasil fez no exterior (importações), o que pode significar que os negócios internos brasileiros reduziram suas atividades, desaqueceram.
    Assim, do mesmo modo que tivemos um superávit de 8,06 bilhões em julho, porque vendemos 19,56 bi e compramos 11,50 bi, poderíamos, em um cenário de uma economia interna pior ainda, ter tido um superávit ainda maior, digamos, de 18 bilhões de reais, se importássemos no mesmo período apenas 1 bi.
    Essas complicações da economia são uma parada dura porque os fatos econômicos frequentemente demandam análises de variáveis por vezes desapercebidas (a não ser, claro, por quem é do ramo).
    Quanto à expressão da Renata Vasconcellos, interpretada como se ela estivesse puta em dar o que foi considerado uma boa notícia, acho uma forçação de barra contra a Rede Globo: imagina se a Renata vai ficar aborrecida com os sucessos do Brasil.
    Nem nós da esquerda safada, cachorra, moleque e inútil temos a coragem de ficar aborrecidos quando o Brasil bomba!
    Essa bobagem é a mesma que afirma que a Globo não dá o número de recuperados da Covid 19, quando, na verdade, ela dá, sim, mas o tal do viés de confirmação faz com que os bolsonaristas doentes apenas anotem um dia que ela porventura não faça tal comentário, ou, simplesmente,d foram mijar justamente na hora que a Globo deu a notícia.
    Eu gosto da Globo, acho que ela faz um noticiário legal, bem informativo, o que não impede que ela tenha uma certa má vontade acentuando as cores quando se trata de noticiar algo que se refere a quem a está alijando.

    2019
    Valores Totais por Mês (US$ Bilhões)
    Balança Comercial
    Expor./Import./Saldo/Saldo acumulado
    JAN
    18,002/16,388/1,614/1,614
    FEV
     15,737/12,622/ 3,116/4,730
    MAR
     17,429/13,133/4,296/9,025
    ABR
     19,282/13,629/5,653/14,679
    MAI
    20,59/14,96/5,624/20,303
    JUN
    18,406/13,029/5,377/25,680
    JUL
    20,151/17,759/ 2,391/28,072
    AGO
    19,670/15,570/4,100/32,171
    SET
    20,298/16,495/3,803/35,974
    OUT
    19,577/17,027/2,550/38,524
    NOV
    17,737/14,172/3,565/42,089
    DEZ
    18,503/12,556/5,947/48,036

    2020
    Valores Totais por Mês (US$ Bilhões)
    Balança Comercial
    JAN
    14,504/16,176/ -1,672-1,672
    /FEV
     15,593/13,256/2,337/0,665
    MAR
     18,375/14,516/3,859/4,524
    ABR
     17,670/11,607/6,063/10,587
    MAI
    17,665/13,393/4,272/14,860
    JUN
     17,912/10,449/7,463/22,323
    JUL
     19,560/11,500/8,060 (somar o acumulado)
     

  4. Tentando esclarecer (e responder à dúvida do Artur).

    A ênfase em dados como balança comercial é um reflexo da mentalidade estatista que nosso governo e nosso sistema educacional enfiam na cabeça das pessoas.

    Na verdade, países não compram nem vendem. Quem compra e vende são as pessoas e as empresas (de todos os países). O tal número de “balança comercial” é apenas uma soma usada pelos governos para justificar seus malabarismos e suas intervenções na vida das pessoas.

    Digamos que no Suriname, nosso vizinho, exista uma fábrica de guaraná. Digamos que na Guiana, que fica ao lado, existe um cara muito rico que compra caixas e caixas de guaraná da tal fábrica no Suriname, ao ponto de influenciar a soma total.

    Quem olha os números do governo, verá uma balança “positiva” para o Suriname e uma balança “negativa” para a Guiana. Mas, na prática, o que o fato de um sujeito X comprar de uma empresa Y afeta a vida dos demais habitantes destes países? Para os demais habitantes da Guiana, faz diferença de onde vem o guaraná que o milionário compra? E para os demais habitantes do Suriname, faz diferença para quem a fábrica vende o guaraná?

    Só que sempre que alguém compra ou vende, o governo fica com uma parte. Acredita na importância da “balança” quem acredita que o governo usa o dinheiro que arrecada para “ajudar o povo”.

    Não é o meu caso, eu acho que o povo estaria melhor se pudesse ficar com o dinheiro que ganha. MInha opinião se baseia no fato de que a grande maioria dos países ricos têm livre comércio e poucos impostos, enquanto a grande maioria dos países pobres têm comércio fechado e muitos impostos.

    Resumo: os fatos não comprovam que exportar mais que importar resolva algum problema, até porque é preciso especificar quem está exportando e quem está importando.

  5. Ôooo, Marcelo, os economistas juram de pés juntos que a balança comercial reflete a situação econômica de um país.
    E a “situação econômica” de um país deve ser um troço pra lá de importante.
    Li mais alguma coisa sobre do fenômeno do saldo positivo de oito bi e fumaça de reais em julho 2020 na balança comercial informando que a situação deve alterar-se proximamente, por causa da época de colheita da soja, que representa dado significativo na composição da balança.
    Porém… todavia… contudo… os bambambans da área acrescentam que se o real continuar a se desvalorizar ante o dólar americano, as exportações devem continuar aquecidas, ou seja, aumento ou manutenção da entrada de divisas e redução das saídas, o que pode continuar gerando saldos positivos elevados.
    Então, ficou mais ou menos claro que o bom mesmo é a economia estrar exportando muito e importando idem, de modo que o que mais importa é o “volume”| de negócios.

    • Meu caro, economista jura cada coisa que me dá até calafrios. Especialmente se o salário dele vem garantido no fim do mês e não depende dele estar certo ou não. Mas destrinchando:

      “A balança comercial reflete a situação econômica de um país”. Concordo:
      > Balança comercial negativa indica povo rico, que pode comprar bastante.
      > Balança comercial positiva indica povo pobre, que não pode comprar, então os produtores têm que vender para fora – e isso encarece os produtos no mercado local, ferrando ainda mais com os pobres.

      “se o real continuar a se desvalorizar ante o dólar americano, as exportações devem continuar aquecidas”
      > Claro, se nossa moeda não vale nada, somos pobres. Se somos pobres, não compramos. Os produtores vão vender para quem têm moeda boa.

      “O bom mesmo é a economia estrar exportando muito e importando idem. O que mais importa é o volume de negócios”. Concordo entusiasticamente. E restringir importações para melhorar a balança comercial vai contra isso.

  6. No próximo Jornal eles vão apregoar: Sem controle, fogo destrói lavouras de algodão e máquinas em Mato Grosso e Incêndio devasta o Pantanal e mata cobras, jacarés e lagartos porque o governo federal (leia-se Bolsonaro) não comprou caminhões pipa para prevenção de incêndios.

  7. Prezados amigos,

    Creio que está sendo esquecido neste debate que…
    1- O que interessa realmente para um país é o BALANÇO DE PAGAMENTOS, do qual a Balança Comercial é apenas um dos componentes.
    2- Importar é ÓÓÓÓÓÓÓTIMO para o país quando, em lugar de comprar bugingangas, está adquirindo equipamentos e insumos sofisticados que vão alavancar a competitividade das coisas que lá serão produzidas.
    3- Com o ROOOOOOOMMMMMBBBBOOOOOOO imenso que nosso país tem, decorrente dos pagamentos de dividendos dos investimentos estrangeiros que aqui foram feitos, já que nossa economia é majoritariamente pertencente a estrangeiros, juntamente com o outro rombo imenso dos pagamentos por royalties decorrentes da aquisição de tecnologias e softwares, já que nossa população é composta majoritariamente por analfabetos e ruminantes, OU NÓS EXPORTAMOS PRA CARAMBA, OU ESTAMOS LASCADOS! Lembrem de quantas crises cambiais nós já tivemos periodicamente.
    4- O que mais importa nessa questão é a tendência de médio e longo prazo. Neste aspecto, apesar da altíssima competência e competitividade demonstrada pelo nosso agronegócio, LUTANDO BRAVAMENTE CONTRA OS NOSSOS GOVERNANTES SOCIOPATAS, nossa tendência é continuarmos cada vez mais exportando um navio de soja para comprar um container de babilaques eletrônicos que irão imbecilizar ainda mais a nossas população.

    • Concordo, mas aí vem outra questão: com os políticos mandando no Banco Central, crises cambiais são inevitáveis (mais que isso, são esperadas). Como diz um dos meus “professores”, Leandro Roque, em país mal governado o câmbio não flutua, ele afunda.

      Solução: câmbio fixo – padrão-ouro, padrão-dólar, padrão-euro, até franco suíço se quiserem se fazer de sofisticados. Corta o problema na raiz.

      Claro que um sistema que tira do governo o poder de fabricar dinheiro vai ser ensinado nas nossas escolas como perigosíssimo, coisa do capeta.

Deixe uma resposta