CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Caro Berto, boa noite!

Um texto recentemente publicado no JBF sobre os 100 anos de Rogaciano Leite – de autoria do jornalista Nonato de Freitas – gerou uma nota na edição do dia 9/Dez/2020 do jornal Correio Braziliense, de Brasília.

Segue a nota, extraída do Blog do Ari Cunha (criado pelo saudoso jornalista Ari Cunha e editado por Circe Cunha e Mamfil – Manoel de Andrade):

R. Meu amigo Nonato Freitas, grande cronista e estudioso das coisas nordestinas, atualmente residindo em Portugal, me mandou o texto sobre Rogaciano Leite pelo zap, e este foi publicado na seção de cartas.

E aí a nossa postagem é citada e linkada no Correio Braziliense.

Não custa nada ressaltar que o Correio Braziliense é o maior jornal de Brasília, a mais antiga e tradicional publicação de lá.

De modo que esta gazeta escrota está sendo citada na grande mídia da capital federal.

É coisa pra cacete!!!

A notícia que nos foi enviada pelo leitor Jairo Souza, publicada no Correio Brasiliense, contém o link da postagem feita aqui no JBF.

De modo que os leitores do Correio tiveram acesso direto à nossa página.

O fubânico que quiser reler a matéria citada, é só clicar na ilustração que está aí em cima.

Daqui a pouco este jornaleco vai começar a ser citado no Globo, na Veja, na Folha, no Estadão e na Carta Capital.

E aí o JBF já vai poder concorrer ao Troféu Fundo do Poço!!!

“Eu mesmo leio o JBF todos os dias. Um jornal que está à minha altura”

4 pensou em “JAIRO SOUZA DA SILVA – BRASÍLIA-DF

  1. Nobre editor

    A imprensa brasileira esta mais para o nivel da velha fofoqueira da “praça é nossa”, só que ao invés de gritar Carlos Alberto, ela grita :
    -oooo esquerdista.
    Ela só não coloca o “de merda” no final.
    Dito isso, sou leitor assiduo dessa gazeta escrota e o parabenizo pelo sucesso, e torço para que muito mais gente a descubra e se deleite com tudo o que ela oferece.
    Caso a privada do stf venha a descobrir esta gazeta peço que o sr não se curve para lamber as botas desses nojentos que se acham acima do bem e do mal, não faça como nossa outrora imprensa fez, não torne-se mais uma velha da “praça é nossa”, gente dessa qualidade temos aos borbotões, mais igual a sua pessoa e sua gazeta não.
    Junto com os colunistas, continue sendo um farol no meio dessa escuridão que estamos vivendo.

    Abraços

  2. Esse JBF e o seu aclamado e conceituado Editor, Berto. Além de sua honrosa equipe altamente especializada: Chupicleide, Polodoro, Xôlinha, Ceguinho Teimoso e outros.

    Estão galgando à cada dia de labuta suada e árdua. Um lugar de destaque nos píncaros da fama.

    Tornando-se fontes de informação e referência. Para as mídias regional, estadual, nacional, intercontinental, global,
    universal e interplanetária.

    Quem sabe? Um dia não muito distante, possamos receber contatos de marcianos leitores do Jornal da Besta Fubana.

    E daí, boca de buceta e seus distintos coléguas de togas,além do botafogo, álcool lumbre e
    mais uma tuia de gente, como diz o Jessier Quirino.
    Peguem um avião da FAB, sem piloto. Já devidamente quitado e pago com o dinheiro das suas mordomias, auxílios, ajudas, benefícios e penduricalhos. E vão aportar no planeta vermelho.
    Para ver xexeca se é feiquinius.

  3. Arre égua!
    Certa noite de sábado, nos anos 60, eu era um dos plantonistas na Western. Os dois sacanas chegaram praticamente juntos (Rogaciano Leite e Egídio Serpa) para enviar seus cabogramas para São Paulo e Rio. Eram dois CTNs (Correspondência Telegráfica Noturna), pois a tarifa era mais baixa e os FDPs mandavam quase 50 páginas. Rogaciano (ou o jornal) tinha conta corrente, e quem era Teletipista, como eu, se lascava de “digitar”. E não podia errar, pois os sacanas exigiam as cópias. Afffmaria!

  4. Pingback: FAROL NO MEIO DA ESCURIDÃO | JORNAL DA BESTA FUBANA

Deixe uma resposta