CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

VOCÊ SABIA?

– Que o cara que teve a ideia de juntar eletricidade com violão, criando assim o violão elétrico, era um norte riograndense chamado Henrique Brito, parceiro de Noel Rosa, que passou uma temporada nos Estados Unidos nos anos 1930?

– Que a Bossa Nova teve um precursor potiguar, Hianto de Almeida, com música gravada por João Gilberto em 1952?

– Que Expedito Baracho, um dos intérpretes mais importantes do frevo pernambucano, ao lado de Claudionor Germano, é de Jucurutu-RN?

– Que Ademilde Fonseca, nascida em São Gonçalo do Amarante-RN e considerada a Rainha do Choro, foi de fato a primeira cantora moderna do Brasil?

– Que o chorinho, o ritmo mais genuinamente brasileiro, teve no norte-riograndense K-Ximbinho um de seus compositores mais revolucionários?

– Que um dos nomes mais representativos do coco de embolada nordestino se chamava Chico Antônio, era de Pedro Velho-RN e foi revelado ao Brasil no final da década de 1920 por ninguém menos que Mario de Andrade?

– Que entre as músicas de carnaval mais famosas e mais cantadas em todos os tempos estão algumas de Dozinho, potiguar de Campo Grande?

– Que o responsável pela retomada da carreira de Luiz Gonzaga, eclipsada pela Jovem Guarda e o yê-yê-yê, foi um mossoroense, produtor musical, chamado Oséas Lopes?

– Que outro potiguar, Severino Ramos, caicoense, é autor de Ovo de Codorna, música que no início da década de 1970 recolocou Luiz Gonzaga nas paradas de sucesso?

– Que Elino Julião, autor de dezenas de obras-primas do forró, é de Timbaúba dos Batistas?

Acostumados a lamentar a assombrosa ausência de potiguares na música brasileira, somos surpreendidos por este conjunto de informações reunidas por Zé Dias, conhecido produtor musical de Natal, e hoje uma das maiores autoridades em história da música potiguar.

R. Meu caro amigo e colunista do JBF, fiquei surpreso e impressionado com estas informações que você nos mandou.

Que negócio arretado!!!

Parabéns para o Rio Grande Norte, um belíssimo recanto da Nação Nordestina, terra dos colunistas fubânicos Violante Pimentel e Jesus de Miúdo.

Um grande abraço para toda essa criativa e simpática gente potiguar.

Vou aproveitar a deixa pra alegrar a nossa tarde com um gostoso forró do saudoso Elino Julião, um talento norte-riograndense nascido em Timbaúba dos Batistas, intitulado “Na Minha Rede Não”.

9 pensou em “HÉLIO CRISANTO – SANTA CRUZ-RN

  1. Nascer potiguar não é para qualquer um, meus caros… Inclusive NINGUÉM no JBF me deixará mentir que JESUS é potiguar (quem diria, não é mesmo?), poeta norte riograndense e dá expediente nesta gazeta.

    Sem contar que a musa maior do JBF, Vivi Pimentel, não canta, mas encanta a todos com sua primorosa prosa, desfilando CENAS DO CAMINHO às sextas-feiras nesta gazeta de tanta gente maravilhosa.

    Quem duvidar é só dar uma olhada na relação de colunistas do JBF, no canto superior direito.

  2. Parabéns pela excelente postagem, grande poeta Hélio Crisanto!

    Sinto-me orgulhosa de ser Norte-Riograndense!

    Viva José Dias Júnior, o grande pesquisador e produtor musical do Rio Grande do Norte, , empreendedor do “Projeto Seis e Meia”, Natal/Mossoró, e do Projeto “Natal em Canto”.!!!
    Um pesquisador musical incansável, incentivador de artistas, destacando-se Krystal, grande cantora e compositora.

    Obrigada a Luiz Berto, por, gentilmente, se lembrar de mim, e a Sancho, pelas referência carinhosa.

    Abraços, e a minha satisfação, por fazer parte do JBF.

  3. E A IGNORANTADA – PRA NÃO DIZER A ANALFABÉTICA E ZURRANTE BURRICE – DE COLOCAR UM “PINGO” NO I MAIÚSCULO, INFELIZMENTE, SE ESPALHOU PELA BOTOCUDOLÂNDIA.

    E VIVAM OS FILHOTES BASTARDOS DO VIGARISTA PAULO FREIRE – QUE NUNCA PISOU EM UMA SALA DE AULA!!! – E A MANADA DE “PROFS” QUE, AOS COICES, O DEFENDEM E, JUMENTAMENTE, O SEGUEM!!!

  4. Excelente matéria, que ressalta, mais uma vez, a importância do Rio Grande do Norte para a cultura e a história do Nordeste e do nosso Brasil!

    Como filho e neto de autênticos “papa-gerimuns” (meu pai migrou para o Recife, em 1930, para estudar medicina), e, como primo em segundo grau de Expedito Baracho, fico ancho de orgulho dos feitos de meus ancestrais potiguares!

    Salve o pequeno e brioso Estado do Rio Grande do Norte e sua gente criativa e trabalhadora!…

    • Embora Tereza seja a musa do Cabaré do Berto e participe intensa e ativamente do grupo, você nem imagina como eu lamento o fato de que ela não acessa e faz comentários aqui no JBF.

      Não existe um único comentário dela por aqui. E os nossos registros não mostram qualquer entrada dela no JBF.

      Não entendo mesmo a razão…

      Por isso não fiz referência a ela.

      Lamento, lamento muito.

      Uma figura talentosa, arretada e cheia de vida do jeito que ela é, faz uma falta danada por aqui.

Deixe uma resposta