COMENTÁRIOS SELECIONADOS

Comentário sobre a postagem A NEUROSE DO VÍRUS — OU O VÍRUS DA NEUROSE

Marcos Mairton:

Desde que os primeiros casos de Covid19 surgiram em Brasília, todos aqui em casa passamos a trabalhar ou estudar em casa, no chamado regime de romófiss.

Passei a sair de casa o mínimo necessário, sempre usando máscara.

Meu plano A sempre foi não adquirir a doença.

O plano B, não a transmitir a ninguém.

Até agora, ninguém da minha família ficou doente.

A par disso reconheço hoje que houve certo sensacionalismo da imprensa (sempre dando destaque a notícias ruins), e que todos, da OMS aos médicos locais, tatearam no escuro todo esse tempo, não havendo certeza sobre o que deu certo e o que deu errado no combate ao vírus.

Por exemplo, dia 10 deste mês (há 15 dias, portanto), houve uma super aglomeração de pessoas nessa inauguração de uma loja da Havan, em Belém: 

Considerando que, segundo as informações publicadas na imprensa, o período de incubação do vírus é de 5 a 14 dias, o número de pessoas infectadas na última semana deve(ria) ter explodido em Belém.

No entanto, não se tem notícia de que tal acontecido.

18 pensou em “SENSACIONALISMO DA IMPRENSA FUNERÁRIA

  1. Eu posso até estar errado, mas eu entendi, neste comentário do Dr. Marcos que ele anda desconfiado de que a história do “fique em casa” foi uma tapeação.

    Pois eu digo: houve método nesta história de mandarem todos ficarem em casa e somente sair às ruas se for extremamente necessário e ainda assim com máscara.

    Um método de implantar o medo na mente das pessoas, habituá-las à submissão (use máscaras) e ao tolhimento de suas liberdades.

    Lembrem-se de que semana antes da primeira morte, houve carnaval (04/03), uma manifestação em SP pelas mulheres (08/03) e no dia 15/03 uma mega manifestação a favor do Bolsonaro.

    De lá para cá não houve mais nenhuma manifestação de rua importante, o pessoal ficou em cas e os números dispararam.

    Mas é bom saber, que mesmo pessoas, como o Dr. Marcos, um juiz federal, que não teve sua renda reduzida um centavo pela pandemia, começa a sentir que houve um nítido exagero nesta pandemia. O povo normal, o dito afegão médio já percebeu isso há muito.

    Muitos números (não vou citar aqui, mas pesquisem) apontam neste sentido

    • É mais ou menos isso, João Francisco.
      Na verdade, resisto à ideia de que haveria método na resposta dada à pandemia por muitas autoridades e grande parte da imprensa, porque tal raciocínio me soa como teoria conspiratória. Até porque se trata de um fenômeno mundial, o que, ao meu ver, dificulta o controle das coisas por parte de grupos ideológicos organizados.
      A par disso, reconheço que, no começo da pandemia, surgiram muitos cientistas, matemáticos e fazedores de prognósticos dizendo que a única defesa da humanidade era se isolar em casa. Qualquer um que discordasse disso era ridicularizado nos noticiários da TV (Lembro bem disso!).
      O que me deixou realmente intrigado foi que, não obstante no começo o “fique em casa” ter se tornado dogma de fé, não houve nenhuma explosão de casos e mortes desde que as atividades econômicas começaram a ser retomadas.
      Portanto, não sei se foi tapeação, ou se houve método, mas sinto que a evolução do vírus ainda está mal explicada. Talvez no futuro cientistas distanciados do momentos atual tragam explicações surpreendentes para isso tudo.

      • Dr. Marcos, realmente esta pandemia é um fenômeno Mundial, disso não há a menor dúvida. Pegou a todos de surpresa, menos a China, a única economia no mundo a crescer diante da pandemia, e foram espantosos 10% de crescimento. E porque ocorreu isso? porque ela estava preparada.

        Não por acaso, foi onde ocorreu o início do problema. A China fechou todo o seu movimento interno e abriu para os turistas do ano novo chinês irem ao mundo espalhar a “novidade”.

        Ao mesmo tempo tinha em grande quantidade para exportar de aparelhos respiradores a máscaras respiratória a um valor 10 vezes maior que o normal. Só de máscaras exportou o tanto que exportamos de soja.

        Depois acionou seus estafetas no mundo, da OMS à mídia comprada espalhar que a gripe chinesa não era chinesa.

        Pegou sim os EUA de surpresa, derrubou a economia da maior economia do mundo. Porta avião com seu strike group teve que parar por causa da doença ao mesmo tempo em que a presença militar no mar do sul da China pela mesma aumentou a ponto de terem ilhas militares a poucos km das Filipinas.

        Não, Dr. Marcos, isso não é teoria da conspiração. Sim, há método nisso e é geopolítico mundial.

    • Caro Mairton, ter sua presença aqui é uma alegria muito maior que ficar às 16 horas na frente do nosso Cine São Luiz, olhando o vento trabalhar em favor dos héteros. Peço desculpas por conta da prepotência inicial de como estou tratando essa “coisa”. Comecei a desconfiar dessa “coisa” a partir do momento que vi publicidade paga pretensiosamente “ensinando pessoas a lavar as mãos” e ao uso do álcool gel. Não me parece só um deboche. É ao mesmo tempo, um desrespeito. Em seguida veio a “embolada” (nisso, vosmecê é craque top) da decisão da nossa (????!!!!!) Corte Suprema, onde alguns “capas” se deterioram indo até Goiânia pegar conselhos com João de Deus pelo menos uma vez por mês. Nada contra. Mas, me parece que o João de Deus é réu em algum processo, e pode até ser que espiritualmente tenha condições de receber alguém. Mas, “moralmente”, não tem nenhuma. Ainda mais “capas” de uma Corte Suprema. Pois desses “visitantes” recebidos pelo João, alguns votaram a favor de que governadores e Prefeitos usem e abusem do dinheiro procedente do “orçamento de guerra”. Antes dessa decisão suprema, a quantidade de óbitos crescia como se fogo fosse queimando palha seca. Vieram as montagens de hospitais de campanha, em vez do aparelhamento de algumas unidades afins, até então abandonadas – falo no caso maranhense – que não serviam quase que para ninguém. Os óbitos continuaram crescendo e, a “culpa”, que antes era creditada ao governo federal, após o repasse, não foi creditada à quem “administrava o dinheiro do orçamento de guerra”. A partir de então, a ênfase dada era pela “recuperação de acometidos”. A gente sempre soube, caro Mairton, que quem é ex-fumante ou continua fumando, tem 80% de chance de óbito, pois o vírus ataca de forma letal os pulmões. Daí a necessidade de estar prevenido com o uso de máscaras para tentar diminuir a absorção por aspiração. O que a “Imprensa” de forma geral está fazendo, entendo eu, é a parte dela. Divulga matéria “paga”, e recebe. Todas as matérias divulgadas são provenientes de alguma fonte interessada. Oficial ou não. Aqui neste Maranhão, o Governo paga para montar o hospital de campanha, sub-utiliza e paga para desmontar. E, acredito que a Imprensa nada tem com isso. Olhe aí um bom mote, siô: “dinheiro na mão é vendaval – é elogioso praticar o mal.”!

      • MMM: em tempo – desde o início do anúncio, tenho feito o seguinte, sem saber se sou assintomático: saindo de casa ou não, preparo chá de alho com limão. Bebo e ponho o restante na geladeira. Se sair, além das providências sugeridas, tomo alguns goles desse chá. Se faz efeito não sei. Mas estou aqui, vivinho. Posso até bater as botas ainda hoje. Mas estou vivo. No Exército, em 1961, tomei três doses de vacina à base de cloroquina e essa outra “ivermectina” (parece). Nunca fumei na vida. Nunca fumei nada.

        • …olhando o vento trabalhar em favor dos héteros.

          Essa frase é digna de constar no livro de ouro do jbf e merece aplausos de Sancho por todo o domingo.

          Meto a colher de pau de Sancho para afirmar sem medo de errar: qualquer decisão a nível mundial em qualquer esfera é só observar os que são a favor e os que são contra para ter certeza absoluTa que lado escolher. Este é o método snchiano de DECISÃO.

          E um ótimo domingo para Polodoro, Xolinha e Chupicleide.

        • Seu José Ramos, a sua alegria me alegra!
          O vento indiscreto da Praça do Ferreira, que já levantou tantas saias das moçoilas que transitavam pelas proximidades do Cine São Luiz, provavelmente já não faz tanto sucesso.
          Ele certamente ainda comparece ao local, mas as pessoas estão ocupadas demais olhando para os seus telefones celulares. E aí, falta quem grite a célebre frase: “Segura os cabelos, pra não assanhar!”

          • Marcos, essa de assanhar os cabelos é ótima. Dia desses li alguém (uma mulher) criticando o uso de máscara em homens barbudos. Que ficava feio a barba de fora. Com certeza ela não conheceu o passado feminino antes de aparecer a “depilação total”! Kkkkkkkkk

      • Só depois de ler e reler esta joia de frase ” é uma alegria muito maior que ficar às 16 horas na frente do nosso Cine São Luiz, olhando o vento trabalhar em favor dos héteros ” , que como Sancho diz no seu comentário ” deveria constar no livro de ouro do JBF” , é que consegui entende-la .
        E também aplaudo .

  2. Se alguém tem ainda alguma dúvida, veja a empulhação/fraude criminosa ao redor desse tal de Covid 19, na correspondência minha ao JBF:

    https://luizberto.com/adail-augusto-agostini-alegrete-rs-16/

    E assistam os 2 vídeos que nela consta:

    1º – O Fim da Fraude da Peste Chinesa (Claudio Lessa):

    https://www.youtube.com/watch?v=5Pm-sunzabg&feature=emb_logo

    e

    2 º – Crimes against Humanity (legendado em português)

    https://www.youtube.com/watch?v=7z6CYkVCXUs&feature=youtu.be

    Espero que assim se acabem as dúvidas.

    Adail.

  3. Meritíssimo Mairton, (minha carteira da OAB não me permite tratá-lo de outra forma) sou legalista convicto, não poderia ser de outra forma.

    Assim, não desrespeitei a lei que me obrigava a usar máscara, ou praticar alguma invenção dos iluminados de plantão, mas procurei manter minha rotina o mais normal possível.

    Não sei se há no país precedentes para os absurdos criados aqui em São Paulo; coisa do Doria e do Covas. Só funcionou nas áreas nobres, dominadas pela esquerda caviar. Na periferia, onde vive o verdadeiro povo, as coisas continuaram exatamente como sempre foram, e não consta que lá tenha havido mais casos.

    Jamais concordei com restrições, considero minha liberdade valiosa demais para abrir mão dela sem um embasamento confiável e legítimo. Daí que usei e abusei dos meus direitos. Não contraí esse vírus, nem ninguém de meu convívio social contraiu.

    A máscara dos calhordas está prestes a cair. Só resta torcer para que a população não se esqueça disso e dê a resposta nas urnas

  4. Senhores. Um bom domingo para todos dessa Gazeta Escrota.

    Permitam-me, um pitaco.
    O vírus, a doença. O que seja…
    Existe. É perigoso(a) e mata.
    Principalmente porque foi fabricado(a). Segundo relatos de cientistas e médicos. Que de acordo com notícias vinculadas nas redes sociais.
    Dão conta, que já não se encontram nesse plano terrestre.

    Esse país, conhecido pela sua
    república popular e regime comunista.
    Criador da pandemia. Onde a vacina já existia antes da disseminação da infecção para o mundo.
    Coincidentemente, entre os cento e noventa e poucos países reconhecidos pela ONU.
    É o único que lucra e mantém seu PIB positivo. Mesmo com todo esse terremoto econômicofinanceiro.

    Outro dado importante que precisa entrar como matéria para os estudos médicos e científicos.
    É essa imunidade incógnita que existe nas milhares de favelas espalhadas pelo Brasil.
    São milhões de famílias convivendo em confinamento eterno.
    Sem infraestrutura de água e esgôto, etc.

    Quê fenômeno é esse. Onde não temos notícias de dizimação em massa. Alguém duvida. Que com essa mídia podre, covarde e comunista. As favelas hoje, seriam verdadeiros desertos?

    Outra situação bastante interessante, para não falar outra coisa.
    O senhor vírus chinês, como trabalhou árdua, incansável e dedicadamente, durante todo o ano.
    Resolveu tirar férias. Por conta das eleições.
    Que irão ocorrer na mais absoluta normalidade.
    Como garantem os representantes maiores da ciência “oemeessial”.
    O “gaboso,” “jactoso” e único “teessee” do mundo e seu inconstante e bipolar “garoto/velho” propaganda.

    Estamos, isso sim. Diante de uma coisa muito maior. Muito mais elaborada.
    Programada e meticulosamente estudada para extinção e controle de uma parte significativa da humanidade. Sinais já vinham sendo dados há tempos.

    Agora, eles tem um porta-voz oficial. Um aliado descarado e “revolucionário”. Porém, ainda muito influente. Que é o argentino chiquinho. Inquilino do Vaticano.

    Precisamos fortalecer ainda mais essa união Brasil-Estados Unidos.
    Torcermos e rezarmos pela reeleição do Presidente Trump, agora em novembro e pela reeleição do Presidente Bolsonaro em 2022.

    Se essa corrente nas Américas. Partir algum elo. Será, o princípio do fim.
    Estejamos preparados para o juízo final.

    Deus, Pátria e Família.

    • Neste mundão “dominado” em todos os seus setores pela esquerda mundial? Sente-se em algo bem confortável, caríssimo jm, pois terás que viver muito e torcer para teres, em sua árvore genealógica, os genes de Matusalém.

      Foi um personagem bíblico do Antigo Testando que, segundo o livro, teria vivido 969 anos. Ele era filho de Enoch, que teria morrido aos 365 anos.

  5. Pingback: MÁSCARA PRESTES A CAIR | JORNAL DA BESTA FUBANA

  6. Caro Marcos Mairton, tenho um amigo que conheci na Europa, o Guilherme, que mora em Bardolino, na Itália, e que há poucos dias me escreveu dizendo “io resto a casa”, porque a coisa está pegando de novo lá, está havendo uma segunda onda braba causada pela abertura geral. Ele é cozinheiro, o restaurante donde ele trabalha foi fechado novamente e a família está cortando um dobrado.
    Enfim, talvez o isolamento e outras medidas sanitárias aliadas sejam mesmo necessários para conter o avanço muito rápido e dar tempo de aguardar a vacina (ou o tal do efeito rebanho, para cujo o qual ainda falta muita gente ser contaminada).

Deixe uma resposta