CLEIDÃO – RIACHO DE SANTANA-BA

Carísssimo Berto,

Eu era um leitor assíduo do JBF, até o mesmo se tornar um “palanque” do atual presidente.

Sinto saudades quando na descrição, esta gazeta afirmava não ser de esquerda nem de direita, era bem mais interessante.

Todavia, muito esporadicamente, dou uma passada para ver o que está “rolando” por aqui e, rolando a barra lateral, senti falta dos comentários de um jornalista que era presença constante neste ambiente: José Nêumanne de Pinto.

Ávido por saber o que houve no que se refere ao “sumiço dele” e, como sei este é um espaço democrático, peço que publique este vídeo do mesmo, que foi ao ar há pouco mais de uma semana.

Segue o link.

R. Uma pequena correção, meu caro: onde se lê “palanque do atual presidente” na sua mensagem, leia-se “palanque de todo mundo“.

Um palanque onde se tocam todos os tipos de retratas e onde acontecem comícios e manifestações de militantes de todos os partidos.

Veja aí no que você chamou de “barra lateral” a coluna do esquerdista Goiano Braga Horta: um vibrante palanque de Lula e radicalmente contra Bolsonaro.

Abra a coluna de Goiano e leia os dois últimos textos que ele escreveu, ambos dando cacetadas em Bolsonaro.

E veja só a charge de Sponholz que foi postada ontem neste “palanque do atual presidente“:

Tá vendo? No palanque de Bolsonaro, uma ilustração dizendo que ele é tão falso quanto uma nota de 3 reais.

Um “palanque do atual presidente” que publica ilustração ironizando um Bolsonaro, louco, psicopata, como nesta charge, postada sexta-feira passada:

E só isto já bastaria pra desmentir o primeiro parágrafo da sua mensagem, no qual esta escrito que o JBF é um “palanque do atual presidente”.

Vou repetir pela milionésima vez: este recanto é um espaço aberto, democrático e onde não existe sequer a moderação de comentários.

É só o leitor digitar e dar o clique que o comentário é publicado de imediato.

No dia de ontem, meu caro Cleidão, vocês postou nove comentários, todos eles expressando sua posição política a respeito do que estava escrito nas postagens comentadas.

Nenhum deles foi cortado ou censurado.

Além do espaço para os comentários, nesta gazeta escrota temos também este espaço aqui, intitulado “Correspondência Recebida“. Este recanto no qual sua mensagem está sendo publicada neste momento, do jeitinho que você mandou.

Todo e qualquer leitor já sabe que é só entrar na barra “Escreva para o JBF“, que está lá no cabeçalho do blog, e enviar uma mensagem. Que ele será postada do jeito que chegar aqui.

E os leitores tem liberdade pra enviar mensagens que podem ser de qualquer palanque: Lula, Bolsonaro, Dilma, Boulos, Aécio, Doria, Marina, Bestina, Sacarina, esquerda, direita, redondo, quadrado ou oval.

O caralho a quatro!!!

Enfim, o JBF continua do mesmo jeito que era antes: nem de esquerda, nem direita e sempre tomando no centro.

Isto não impede, evidentemente, que o Editor, os colunistas e os leitores assumam suas tendências e posições políticas.

Eu, por exemplo, com o passar do tempo e traumatizado com o devastador reinado petralha, durante os governos de Lula e Dilma, o período de maior incidência de ladroagem e corrupção dos últimos tempos – os tempos de Mensalão, Petrolão, triplex, sítio, Odebrecht e demais corruptores ativos -, assumi uma posição totalmente contrária à esquerda e a todo o lixo representado pelas suas siglas: PT, PSOL, PCdoB e outros absurdos mais.

Quanto à coluna do Nêumanne, que é Pinto, e não de Pinto como você escreveu, ela foi tirada do ar por um decisão minha e de Aline, minha valiosa auxiliar no pesado serviço de edição, por conta da dificuldade que tínhamos de copiar e editar seus textos e os inúmeros vídeos que ele nos manda diariamente. Só por isso. E não por qualquer outo motivo.

Muita coisa deixa de ser postada aqui porque as páginas onde são originalmente publicadas exigem que se faça assinatura. 

E já me basta o pagamento mensal de… (Êita… quase que eu dizia quanto é…), pagamento que sai do meu orçamento pessoal, do meu bolso, para manter o serviço de hospedagem e manutenção do nosso jornal. Não quero gastar com mais nada além disto.

E, escudado neste gasto, que sai do meu bolso, repito, me reservo o direito de publicar apenas o que eu quiser na minha página. Embora, repito também, ela esteja total e completamente aberta para as colaborações enviadas por nossos leitores.

Você pode mandar uma carta a cada dia fazendo palanque pro seu político preferido que será tudo publicado.

O Jornal da Besta Fubana não é um órgão da grande mídia, aquela que antigamente tinha a obrigação de informar honestamente. O JBF é uma gazeta particular, pessoal, amadora, editada artesanalmente a partir do meu escritório aqui em casa. Sem verbas, anúncios ou patrocínios, sejam públicos ou privados.

Uma gazeta dirigida por um editador reacionário, inimigo radical de regimes totalitários, tradicionalista, anti-babaquista, realista, respeitador, conservador, que luta pra viver num país decente, que enxerga muito bem a realidade, que quer um bom futuro pros nossos filhos, que sabe que na natureza só existem dois gêneros, macho e fêmea, que homem não menstrua, que mulher não faz exame de próstata e que suvaco de galinha não tem cabelo.

E que nós, os heteros, contrariando a militância idiotífera, temos que continuar existindo, até pra fabricar mais homossexuais, já que macho não engravida macho, nem fêmea engravida fêmea.

Coisas da natureza e que não podem ser mudadas por qualquer militância ou tendência ideológica.

Fecho minhas considerações repetindo o que você escreveu na sua mensagem:

Como sei este é um espaço democrático, peço que publique este vídeo do mesmo (Nêumanne), que foi ao ar há pouco mais de uma semana.

Repito com muita alegria o que você escreveu:

“Este é um espaço democrático”.

Aqui não é um “palanque do atual presidente”.

Aqui é um palanque de tudo e de todos.

O Código de Ética deste jornal safado determina que se publique tudo que os leitores nos mandam pra cá.

De modo que aqui está o vídeo do jeitinho que você nos enviou.

E, acredite, eu não vi ainda o conteúdo vídeo. Vou ver agora, depois de postado, junto com os leitores.

Abraços, bom domingo e disponha sempre deste recanto que você denomina de “espaço democrático”, um palanque à disposição de qualquer orador.

22 pensou em “CLEIDÃO – RIACHO DE SANTANA-BA

  1. Deus me livre querer pautar o grande Berto.

    Participo deste espaço há muito tempo e sei que esta gazeta escrota é que, além de amplamente democrática, é impautável.

    Amo o Berto (epa!) também pelas características pessoais que o mesmo colocou acima.

    Aqui também dá de tudo e mais um pouco. Ontem, p. ex., o bicho estava solto, apareceram figuras inusuais aqui para colocar fogo no pedaço.

    E olhem que o Goiano está recolhido a raciocinar: critico ou não o modo como Moro saiu? Dúvida cruel.

    Vida que segue e vamos em frente.

      • Nada deve mudar no JBF, na minha opinião. É democrático sim, e isso é bem perceptível.
        Se não o fosse, como teríamos o prazer de ler os textos canhotos do Goiano, o canhoto mais fundamentalista de Banânia?
        É uma satisfação acessar o JBF. Os debates são sadios, temos cultura, colaboradores cultos, temos informações com base em fontes fidedignas. Aqui não temos a praga das fake news. Temos poesia, política. Se ora não temos o Nêumanne, pelas razões expostas pelo Editor, temos o Dr. José Paulo Cavalcante Filho com seus textos de pura sabedoria.
        Está tudo nos conformes.
        O editor conhece o ofício.

  2. Gostaria que o missivista mandasse também o link do mesmo jornalista com o título : Ciro Gomes agride Bolsonaro e não que ele não tenha feito criticas a Bolsonaro , só que nunca no tom deste e de vídeos mais recentes .Nunca o jornalista se preocupou com pesquisa do DataFolha, coisa que externou num vídeo ( Mandetta saiu com 71% de popularidade ) , dando a entender que popularidade torna alguém melhor que outro ( e o outro , ele desqualificou , por ser um oncologista , e que disse algo óbvio : ” … precisamos conhecer a doença para agirmos “) .O que fez ele mudar de tom eu gostaria de saber .

    • Não vi o vídeo. Há algum tempo também não tenho assistido ou lido o Nêumanne. Confesso que o fazia bastante quando ele era publicado aqui no JBF. Quanto à informação do Airton, de que Nêumanne criticou o fato do Dr. Teich ser oncologista, é estranho, pois ele, Nêumanne, não desqualificou jamais o Dr. Mandetta por ser ortopedista e não inectologista ou imunologista, especialidades que seriam mais convenientes então para o comando do combate à pandemia do vírus chinês no Bananão. Tempos estranhos vivemos.

  3. Parabéns pela sua resposta, sr. Editor!
    Parabéns pelo seu trabalho!
    Reconheço que sou direita, e até assumo,”meio radical” (existe isso?), mas consigo conviver com ideias contrarias da maneira como são colocadas aqui!
    Cultivo os mesmos valores citados por Berto, admiro a sua postura e determinação em manter às próprias custas este jornal, que nos informa e diverte!

  4. Por esta sua linha editorial, Sr. Berto,
    esta página é, desde que a conheci, a minha preferida. Só me queixo das publicações não serem em maior número ou mais extensas o que me obriga a procurar outras para preencher meu tempo e não encontro nada tão interessante ou que vala a pena.
    Continue firme não peça demissão, não abandone seus fãs, uma ponta de otimismo, a graça, as safadezas e o Brasil.

  5. Grande mestre…..
    Um liberal/conservador/pensador/editor pcom suas convicções inabaladas, AINDA e apesar de nós.

    Temos que parabenizar a existência deste espaço democrático e DIVERTIDO, para um aprendizado cultural,político, humano e sobretudo em relação a vida, representado aqui por todo tipo de gente, inclusive alguns animais, como por exemplo….. O Goiano…….

    Brincadeirinha Goiano ….. !!! …. Além e acima de todas as provocações admiro sua inteligência, artuculação e lealdade com o Lulla e o petismo apesar de nossas discordâncias ideólogicas.

    Admiro a capacidade que ele tem de inventar numeros e estatíscas para embasar suas defesas e que em um tribunal seriam desmantaladas facilmente por qqr advogado com mais de dois neuronios funcionando……

    Enfim, parabenizo Berto por sua coragem e disposição de aguentar tanta asneiras em tão pequeno espaço MAS……… com certeza se diverte tanto quanto nós seus leitores e participantes……

  6. Grande mestre Berto….
    Um liberal/conservador/pensador/editor pcom suas convicções inabaladas, AINDA e apesar de nós.

    Temos que parabenizar a existência deste espaço democrático e DIVERTIDO, para um aprendizado cultural,político, humano e sobretudo em relação a vida, representado aqui por todo tipo de gente, inclusive alguns animais, como por exemplo….. O Goiano…….

    Brincadeirinha Goiano ….. !!! …. Além e acima de todas as provocações admiro sua inteligência, artuculação e lealdade com o Lulla e o petismo apesar de nossas discordâncias ideólogicas.

    Admiro a capacidade que ele tem de inventar numeros e estatíscas para embasar suas defesas e que em um tribunal seriam desmantaladas facilmente por qqr advogado com mais de dois neuronios funcionando……

    Enfim, parabenizo Berto por sua coragem e disposição de aguentar tanta asneiras em tão pequeno espaço MAS……… com certeza se diverte tanto quanto nós seus leitores e participantes……

    Yééééssssssss…..

  7. Parabéns editor..foi ésta sua erseverança fubanica para garantir a democracia neste espaço escroto midiático que me manteve como leitor assíduo….apesar do Goiano

  8. Tem pessoas que fazem xingamentos baseados em provas , vídeos , que na internet foram gravados na hora , sem edição. Já tem pessoas que buscam holofotes , falam coisas que ouviram dizer por um mudo , coisas que viram com olhos de um cego . Tem aqui os partidários , os apartidários , e os que vão ao sabor dos ventos . Tudo junto e misturado e cada um no seu quadrado . Tinha como informativo este jornal e o antagonista . Bani o antagonista a meses , ficando como informativo só este jornal . Para mim este já basta.

  9. Muito bom, Sr. Editor. Muito boa, centradas polida sua resposta. Eu já teria mandado o gajo tomar onde as patas tomam, mas enfim. Parabéns !

  10. Olá, desde que há alguns anos conheci o JBF, indicado pelo jornalista Ricardo Setti, sou testemunha do caráter democrático deste veículo de informação e entretenimento. Ás vezes concordo com os posts dos mais distintos segmentos ideológicos aqui apresentados. E às vezes discordo. Fico emputecido com algumas coisas e me alinho a outras, que são colocadas nesse espaço. Independência editorial é o lema do Jornal da Besta Fubana. Eu, por exemplo, sou fã do ex-juiz e agora ex-ministro Sérgio Moro, mas aceito tranquilamente as críticas que a ele são dirigidas, algumas ofensivas até demais da conta. A luta dele contra a corrupção em nosso País é um fato histórico indelével. E, ao mesmo tempo, repilo veementemente (como diria o Goiano Braga Horta) quem defende tortura e ditadura de todos os tons ideológicos.
    Um abraço a todos – de esquerda, de direita e do centro.

  11. Uma resposta pra o cabra deixar de ser enxerido.Isto é: empurrou a banana de polodoro sem cuspe e sem vaselina.

  12. Se a maioria aqui defende o Bolsonaro fica fácil fazer as contas. Estimo que se houvesse outra eleição entre Bolsonaro e PT, em torno de 25% votaria no PT e 75 no Bolsonaro, logo isso explica porque tem mais gente bolsonarista do que petista, na proporção de 3 para 1.
    Além do mais, como o editor não é baba ovo do PT feito blogs, revistas e sites mortadelas como Brasil247, Carta Capital e outros lixos semelhantes, logicamente isso afasta os mortadelas que não se sentem bem em ambientes que não lhes são amistosos.
    Tem algumas exceções como o tal de Goiano que leva fumo por todos os lados e como fiel mortadela continua mesmo sendo achincalhado e zoado. O tal de Sponholz (ou algo parecido com isso) é outro que vive com o dedinho tremulando para digitar um LULA LIVRE. Qualquer hora ele toma coragem e escreve isso.
    Portanto, apesar de não ser procuração para defender o JBF (e ele nem precisa de mim para isso), posso afirmar que petista tem mesmo é que ir para aquele lugar.

  13. Caríssimo Berto,

    Primeiramente gostaria de agradecer por manter essa gazeta como espaço democrático, permitindo que ela leve “ao ar” opiniões de todos os tipos. Todavia, gostaria de fazer alguns contrapontos em relação a resposta a a mim direcionada, por sinal, elaborada de modo muito incisivo.

    Quando menciono o termo “palanque do atual presidente”, posso ter exagerado um pouco. Veja bem, como dissestes, o JBF é “palanque de todo mundo”, citando, como de costume, o colunista Goiano e 2 charges publicadas. No entanto, é só verificar a predominância das publicações para haver compreensão daquilo que eu quis dizer. Eu adorava quando V. Sra. batia com força em Dilma, pelas cagadas que ela fazia, me divertia demais com isso. Já com Bolsonaro, além de não bater, ao longo desses 16 meses de desgoverno, vi algumas tentativas de justificar as merdas que ele fez, e olha que foram muitas. Só para citar a mais recente, o imbecil ironizou a quantidade de mortos no Brasil pelo COVID, depois de chamá-lo de “gripezinha” e de, há poucos dias, dizer que não queria saber, pois não era coveiro. Mas, o que esperar de um sujeito que diz que “quem procura osso é cachorro”, ao responder uma mãe aflita procurando seu filho desaparecido durante a ditadura? Portanto, realmente o JBF pode até ser “palanque de todo mundo”, mas qual o que o editor monta com a maior pompa?

    Outra coisa que me intriga, é que o PT há alguns anos já deixou o poder, mas continua sendo motivos de pancadas por aqui, não que não mereça, porém, creio que o alvo maciço deveria ser quem ocupa o poder no momento. Parece que aqui o “pau que dá em Chico não bate em Francisco”.

    Noutra passagem dizes equivocadamente: “…vocês postou nove comentários, todos eles expressando sua posição política…”. Postei os comentários sim, contudo, sem evidenciar posição política alguma, apenas questionando sobre quem era o mentiroso, mau caráter, se Moro ou Bolsonaro, já que um se contrapôs ao outro e, nesse caso, um deles está mentindo. Qual será? Quando faço essa pergunta, a maioria dos bolsolóides, eles sempre vêm com a mesma resposta: “Vamos aguardar a apuração dos fatos”. Mas, recordo que condenaram Dilma por antecipação, bem antes de haver o impeachment.

    “Isto não impede, evidentemente, que o Editor, os colunistas e os leitores assumam suas tendências e posições políticas”. Esta passagem deixa claro o caráter parcial que o JBF tem assumido nos últimos tempos o que, de certo modo, é natural, afinal, o ser humano é político por natureza. Em relação a roubalheira escancarada nos governos petistas, tens toda razão, é tanto que muitos estão condenados. Mas, não vi o JBF publicar nada sobre as tentativas de obstruir as investigações contra os filhos de Bolsonaro, sobre as intervenções feitas pelo governo nos principais órgãos de combate a corrupção. Além do mais eu vivi para ouvir de Moro que “a PF possuía total autonomia nos governos anteriores”. Logo ele, né? Também não vi por aqui alusão alguma a aproximação de Bolsonaro com Roberto Jéferson e o Centrão, creio que todos saibam quem é ele.
    (Se tiver havido publicações por parte do editor em relação a estes assuntos, “descendo a lenha” me perdoe, é que realmente não vi).

    Em relação ao nome do colunista, com acréscimo da partícula “de”, realmente foi um equívoco, mas felizmente não interferiu na compreensão do contexto.

    Outra coisa que o Sr. coloca; “Você pode mandar uma carta a cada dia fazendo palanque pro seu político preferido que será tudo publicado”. Na verdade, no meu ponto de vista, todo e qualquer político deve ser cobrado e não bajulado. Bajular político é coisa para gente idiota, sem noção, ou que viva às nossas custas, mamando nas tetas da coisa pública. Posso até ter algum político, não preferido, mas cujas idéias me soam mais agradáveis. Entretanto, é improvável que eu vá fazer propaganda gratuita para o mesmo.

    Por fim, lhe parabenizo pela perspicácia e dedicação que demonstras em manter essa gazeta no ar. Confesso que fiquei angustiado naquele tempo que estivestes afastado por problemas de saúde. Fiquei também feliz e aliviado quando retornastes, tomei, inclusive, umas 3 lapadas de cana em sua homenagem. Espero que tenha sido claro no meu posicionamento, com o qual o Sr. ou ninguém é obrigado a concordar, claro.
    Abraços e até a próxima

Deixe uma resposta