ONDE ESTÃO AS FADAS?

Elas já não cuidam de nós e permitem as maiores atrocidades. Suas varinhas mágicas, escondidas sob suas roupas agora pretas, parecendo togas, não produzem mais efeitos. Os sapatinhos de cristal, quebraram-se todos nos degraus das escadas dos palácios suntuosos. Procurou-se, em vão, sapateiros para consertá-los, mas sapateiros já não há nas cercanias do reino encantado e os súditos, desesperançados, andam descalços, pisam pedras. Os guardas sumiram nas carruagens sem placas, bêbados e em alta velocidade: ao que parece, eles não estão interessados em moralizar o trânsito. Os que outrora se intitulavam príncipes mofam nas masmorras mais sombrias. Outros estão por ir fazer-lhes companhia. De nada adiantou procurar as fadas no calabouço, ao lado do pomar das melancias verde-rosa, onde imaginei estivessem escondidas: tinham todas saído para rebolar suas bundas num show de Anita. É triste saber dos desmandos todos, mas mais triste ainda é saber dos ladrões de tatuagens. Já faz pra mais de um ano que sumiram com as da princesa. Descobriram os ladrões. Falta descobrir quem mandou roubá-las. Eles podem quase tudo, mas não poderão roubar a coragem e o amor tatuados no coração dela.

(… Homenagem a MARIELLE, tão reverenciada por tantos, com justiça, e a menina BEATRIZ MOTA, assassinada no colégio de Petrolina, e que poucos lembram sequer o seu nome.)

Toda a série FORROBOXOTE, Livros e Discos, disponível para compra no site Forroboxote. Entregas para todo o Brasil.

2 comentários em “ONDE ESTÃO AS FADAS?

  1. Caríssimo Xico Bizerra:

    Adorei a ironia refinadíssima do “Suas varinhas mágicas, escondidas sob suas roupas agora pretas, parecendo togas, não produzem mais efeitos.”

    Isso mostra a sensibilidade do Grande Poeta na prosa quando escreve sobre temas sensíveis, delicados…

    Realmente, os príncipes as princesas sumiram-se dos encantos dos olhares inocentes das crianças que jamais viram maldades nesses personagens.

    As fadas e os príncipes de hoje são personagens dos horrores patrocinados pelos shows horrorosos das Annitas, Poderosas, Ludmilhas, Plabitos etc. e coisa e tal…

    Os guardas de trânsitos sumiram como na genial canção do Chico Buarque, e na melancolia versejada do Mestre Drummond.

    “ONDE ESTÃO AS FADAS”, em homenagem a Marielle e a anja Beatriz Mota, assassinada em meio a uma festa colegial e até hoje sem nenhum destino dos assassinos e do por que do assassinato, é realmente assustador para quem quer viver numa sociedade sem FADAS!

    Parabéns, Grande Poeta! Você escreve o que eu gostaria de ler!

Deixe uma resposta