DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

Mote desta colunista:

Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

O marido de Maria
Era caboclo exigente…
Deixava a mesma doente,
De tanto que lhe afligia.
Quando ela se aborrecia,
Gritava desaforada:
Tu aqui não mandas nada!
Acho bom ficar calado!
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

Dalinha Catunda

De ser Amélia eu cansei
Disse Adélia para o Joca
Hoje tu num me provoca
Hoje nem rezar rezei
Chá calmante não tomei
Desci da rede avexada
Andei dando uma topada
Não aceito seu fungado
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

Rivamoura Teixeira

Todo dia tô assim
Já perdi até a alma
Com ela perdi a calma
Tô quase vendo meu fim
coitadinha, ai de mim
Me tornei esclerosada
Me chamam até de coitada
Esse é meu triste fado:
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

Bastinha Job

Deixa de conversa mole
Hoje tô com a mulesta
Dois chifres na tua testa
Pois , comigo ninguém bole
E tomava mais um gole
Dando grossa cusparada
Pense na desaforada
O seu véi desmascarado
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

Dulce Esteves

Tereza tinha uma bar
Perto da rua da feira
Não topava brincadeira
Era de pouco falar
Um bobo quis lhe cantar
Tereza deu uma pernada
Bem em cima da danada
Vá pra casa seu tarado
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

Jairo Vasconcelos

Dormiu com raiva de sobra
Enfezada com o marido
Mulherengo, pervertido
Torto feito uma abobra
Ela quem criou a cobra
Cedo amanheceu picada
Braba, doida, aporrinhada…
E chegou dando o recado
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

F. de Assis Sousa

Não sou de muita falar
Comigo pouca palavra
Rende mais na minha lavra
Quando quero descascar
Boto logo pra lascar
Quando tô de pá virada
E ferida descascada
Não vou com muito babado
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

Vânia Freitas

Zefinha cravo e canela
Possuía uma cantina
Com doces e cajuína
Pinga branca e amarela
O povo gostava dela
Mas era um pouco zangada
Se ouvisse uma cantada
Gritava pro aletrado
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

Araquém Vasconcelos

Que bonito é ver alguém,
sobretudo, uma mulher,
dizer tudo o que ela quer
sem temer, pois, a ninguém.
A minha, medo, não tem,
diz que não me deve nada
e, um dia, meio amuada,
me fez ouvir seu recado:
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

David Ferreira

Minha mulher é amiga
Não gosta de baixaria
É bem calma, voz macia
Não faz mal uma formiga
Mas vira galo de briga
Parte logo pra mãozada
Se eu varar a madrugada
E chegar embriagado
Não venha com leriado,
Hoje estou destabacada!

Giovanni Arruda

3 pensou em “UMA RODA DE GLOSAS

Deixe uma resposta