COMENTÁRIOS SELECIONADOS

Comentário sobre a postagem TEMPO DE VERBO PETISTA

Roque Nunes:

Papa Berto.

Sou professor da amada Inculta e bela.

E nossa língua tem diversos tempos:

Presente, Pretérito Perfeito, Pretérito Imperfeito, Pretérito-Mais-que-Perfeito, Futuro do Presente e Futuro do Pretérito.

Agora os analfabetos ilustrados das nossas universidades criaram mais um tipo de futuro:

O futuro mais que energúmeno.

* * *

A Editoria do JBF toma como pretexto o comentário do leitor Roque Nunes para brindar a distinta plateia fubânica com o belo poema de Olavo Bilac.

LÍNGUA PORTUGUESA

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela…

Amo-te assim, desconhecida e obscura,
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela
E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

Em que da voz materna ouvi: “meu filho!”
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

Deixe uma resposta