CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Curiosidade

(Parlenda) Hoje é domingo, pede de cachimbo …

A campanha dos 100 da ABI. (Trouxe até vocês porque essa curvinha danadinha de charmosa, confesso sem o menor pudor, me dá baile até hoje. Será que só em mim?).

A VÍRGULA pode ser uma pausa … ou não:

Não, espere.
Não espere.

Pode sumir com seu dinheiro:

R$ 23,4.
R$ 2,34.

Pode criar heróis:

Isso só, ele resolve.
Isso, só ele resolve.

Ela pode ser a solução:

Vamos perder, nada foi resolvido!
Vamos perder nada, foi resolvido!

A vírgula (danadinha) muda uma opinião:

Não queremos saber.
Não, queremos saber.

A vírgula pode condenar ou salvar:

Não tenha clemência.
Não, tenha clemência.

UMA VÍRGULA MUDA TUDO !

Considerações adicionais : (esta é para o Sancho)

SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.

* Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER.

* Se você for homem, colocou a vírgula depois do TEM.

Moral da história:

A vida pode ser interpretada e vivida de diversas maneiras. Nós é que fazemos a pontuação. (Para o Berto ainda existe o ponto da ironia).

Pontue sua vida com o que realmente importa. Isso faz toda a diferença.

(Taquinho)

Cachimbo é de barro, bate no jarro … (saudades de minha mãe)

7 pensou em “SCHIRLEY – CURITIBA-PR

    • Ah, as vírgulas… como derrapamos em tais “danadinhas”. Impossível não copiar Beni: Taí uma curvinha danada de perigosa. Bobeou, derrapa. Ainda bem que de poucas vírgulas são feitas as rodovias do Brasil.

      Com o Quixote Véi di Guerra quebrado e estacionado sob árvores, com Sancho deitado na rede, que amarrei em árvore próxima, fico por aqui, domingueiramente à beira da rodovia e longe de casa, ouvindo, via youtube, Beethoven – Piano Concertos No.1,2,3,4,5, Variations + Presentation (ref. rec: Emil Gilels / Szell).

      Sempre, até sempre, com ou sem vírgulas…

  1. Tadinho do Quixote.
    Sancho em boa companhia. Rede, Beethoven, sombra.
    Tem uma vantagem. Longe de casa, longe da sogra.
    Podemos fazer alguma coisa pra ajudar Sancho ?

    • Fazer alguma coisa pra ajudar Sancho?

      Ah, as amigas, sempre dispostas a “dar uma forcinha”… Rede, Beethoven, sombra e água de coco fresca. O que falta não poderá você me dar (socorro mecânico), pois só está a faltar que Zé da Zana acorde da ressaca em algum lugar (o deixei em Taubaté para ver um cacho que por lá tem) e venha me socorrer com o Quixote Segundo aqui em Campos do Jordão.

      Sempre, até sempre, com ou sem Zé da Zana…

Deixe uma resposta