CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Vacinado hoje, não vacinado amanhã: a nova onda de negócios

Com bilhões de dólares em vacinas, a indústria farmacêutica e seus agentes financeiros descobriram um jeito de transformar pessoas em dinheiro

Quem correu na frente para tomar as duas doses das vacinas contra covid-19, temendo sofrer restrições, logo terá que tomar novas doses ou vacinas diante da “novidade” de novas ondas e variantes, o que já deu sinais de ser um processo interminável. Isso significa que os vacinados de ontem são, agora, os não vacinados de hoje. Eu diria para um vacinado: não zombe de quem não tomou vacina. Se acreditar na mídia, o não vacinado de amanhã pode ser você.

Um levantamento mostrou que as farmacêuticas lucraram mais de 200 bilhões de dólares em 2021 com a venda de suas vacinas. Mas quem iria suspeitar do interesse humanitário de gigantes farmacêuticas, não é mesmo? Testes custam caro. Por que não viabilizá-los por meio de uma pandemia? Todo médico sabe disso.

A nova variante Ômicron foi alardeada logo de início como “mais agressiva”. Mas, depois dos movimentos na bolsa de valores, do anúncio de que a Pfizer e a Moderna iriam criar novas vacinas para serem vendidas a governos, soube-se que não era bem assim. Até o momento, a informação que se tem é que a ômicron só teve sintomas leves. Mas as vacinas já foram apressadamente aprovadas em processos emergenciais, sem o devido processo de segurança. Assim virão as próximas. Lucro certo, responsabilidade zero. Que negócio poderia ser melhor que esse?

Dispensadas de exigências burocráticas, que na verdade são para a segurança das pessoas, as empresas farmacêuticas agora contam com uma imensa porteira aberta para a entrada e inoculação de produtos experimentais em grandes massas de seres humanos e com cláusulas contratuais que as isentam de responsabilidade pelos efeitos e mortes no processo. Essa vantagem seria impensável há alguns anos, mas com o surgimento da pandemia de 2020, tudo mudou. Já vivemos um imenso campo de concentração a céu aberto. E a água nem esquentou tão devagar assim. Mas topamos.

Em meio a tudo isso, uma onda invisível paira sobre a política e as empresas: a onda do fingimento de ingenuidade. Prefeitos e governadores defendem agressivamente os interesses de conglomerados farmacêuticos sem que jornais questionem os seus interesses. Empresas bancam a segregação de clientes apostando em um lucro vindo de uma suposta recuperação econômica a ser alcançada pela vacinação. Mas onde está essa recuperação, este lucro, quando, por exemplo, mais de 5 mil pessoas cancelaram suas reservas ao Natal Luz de Gramado, fazendo com que o governo do Rio Grande do Sul desistisse de cobrar a vacinação aos turistas.

A nova variante surge em um momento em que os grandes financistas começam a utilizar de maneira mais escancarada um mecanismo iniciado em 2020 e exportado ao mundo pela China: o controle econômico por meio do bloqueio comercial, do controle férreo sobre a atividade humana. Não é à toa que a tecnologia para impulsionar o controle começou a entrar no ocidente que antes era avesso às violações de privacidade.

Diante de tudo isso, ainda há quem finja entender tudo na clave de um processo natural em que a humanidade está lutando contra apenas um vírus que surgiu em um mercado de Wuhan. Na verdade, estamos lidando com uma elite financeira e sua voracidade por lucro e controle como nunca se viu.

A verdade é que ninguém parece disposto ou interessado a admitir que vivemos uma onda interminável de autoritarismo que não parece sofrer o mínimo abalo diante das denúncias de eventos adversos, ineficácia de vacinas, tratamento precoce etc. Tudo é negacionismo, ameaça ao regime, à narrativa e, portanto, perigoso para a humanidade imaginada pelos velhos deuses da nova era.

Recentemente, aprovou-se em vários lugares a vacinação para crianças de 5 a 11 anos. Pouco importam os eventos adversos e riscos observados nesse público. Multiplique a quantidade de crianças que existem pelo valor ganho por dose e verá o brilho nos olhos do prefeito e do governador por essa linda e humanitária facilitação em compra pública.

Para todo tipo de negociação é preciso provas, evidências. Mas em muitos casos a suspeita já bastaria para se parar tudo e investigar. Mas para isso seria necessária uma sensibilidade que foi perdida na pandemia. Como deixamos isso acontecer?

No futuro, talvez tenhamos milhares de pessoas recebendo indenizações por terem tomado vacinas ou simplesmente por não terem tomado vacinas sido segregados por isso. Eu vou aguardar esse dia

Se ao menos esses laboratórios proporcionassem uma razoável baixa nos medicamentos em troca do gigantesco lucro que estão tendo com as vacinas, não seria de todo mau.

Só que não, prevalecem a ambição e o oportunismo.

3 pensou em “SAMUEL GROSS – ATIBAIA-SP

  1. Quem ainda achava que na Austrália não existia uma ditadura , fique ciente que Queensland decretou que o não vacinado ou se vacina ou morrerá de fome ou sem atendimento médico . Eles estão proibidos de tudo que aqui já proibido para não vacinado acrescido de andar ao livre . E serão multados por não aceitarem a vacinação.

  2. PÔÔÔ….!!!

    MAS QUE MÁ NOTÍCIA PROS MASOQUISTAS RATOS-DE-LABORATÓRIO!!!

    E AGORA?

    JÁ TINHAM SE PREPARADO PRA DAR A BUNDA PROS NOVOS IMUNIZANTES(???) “50%” OU OS “CARA-OU-COROA” OU OS “SÓ-O-FUTURO-DIRÁ” OU OS “TEM-OTÁRIO-PRA-TUDO”…

    ANTEGOZANDO MAIS UMA “PICADINHA”, OS RATOS “MEU-CORPO”, DIGO, “MINHA-BUNDA-MINHAS-REGRAS” – JÁ QUE OS 2 BRAÇOS FORAM USADOS – ESTÃO, A HORAS, PREPARANDO AS POLPAS, ISTO É, AS NÁDEGAS, PARA FICAREM BEM SEDOSAS, MACIAS E PERFUMADAS PRO MOMENTO SUBLIME DA NOVA “PICADINHA”, POIS (PRA NOVA CEPA) JÁ NÃO SERVEM AS ATÉ AGORA ENFIADAS.

    QUANDO SOUBERAM QUE HÁ UMA NOVA CEPA, A TAL DE “ÓMICRON” – E NÃO DEMORA SE ESGOTA O ALFABETO GREGO – EXULTARAM.

    É QUE A PLEBE IGNARA – CEPA “PAULO-FREIRE” – IGNORA O QUÊ QUALQUER ALUNO DO MEU TEMPO (3ª SÉRIE DO GINÁSIO, CIÊNCIAS NATURAIS, INTRODUÇÃO À BIOLOGIA) SABE:

    “QUALQUER VÍRUS, APÓS UM DETERMINADO Nº DE BIPARTIÇÕES, ISTO É, DE MULTPILICAÇÕES, ADQUIRE NOVAS CARACTERÍSTICAS OU SEJA, É UMA NOVA CEPA”

    PORTANTO, FAZ-SE NECESSÁRIO UM NOVO IMUNIZANTE, OU SEJA, NOVA VACINA EFICAZ, COMO POR EXEMPLO A ANUAL DA GRIPE.

    O QUE NENHUMA, REPITO, NENHUMA DESSAS APELIDADAS DE VACINAS – CONTRA O COVID 19 – O É.

    TUDO É EXPERIMENTAL, OU SEJA, UM TIRO NO ESCURO, CUJOS RESULTADOS – EM UM FUTURO BEM PRÓXIMO – NINGUÉM SABE O QUE ACONTEERÁ.

    COMO AS QUE JÁ ESTÃO MATANDO – POR PROBLEMAS CARDÍACOS (A MAIORIA ESCONDIDOS PELA IMPRENSA PROSTITUÍDA) !!! – E OUTRAS SEQUELAS QUE SÓ O TEMPO MOSTRARÁ.

    ENQUANTO ISSO, OS VIGARISTAS LABORATORIAIS ESTÃO RINDO – DE ORELHA À ORELHA – COM OS BILHÕES DE $$$ QUE ESTÃO LUCRANDO IMPUNEMENTE.

    • Tchê !……….. ainda faltam nove letras , e as picadas foram no mesmo braço.
      Tu não imaginas a quantidade de pessoas que foram se vacinar.
      Tomei três doses e se tiver uma quarta lá estarei.
      Deves saber que qualquer remédio é testado antes em animais e depois de alguns humanos ,no restante da humanidade.
      Tenho parentes próximo na área da saúde que tomaram a vacina.
      Até quem criticou foi lá tomar , e os atendentes ainda perguntaram se queriam tomar .
      Veja a carteira de vacinação de uma criança , ela deve estar repleta.
      Tomaste ivermectina ?. também tomei .
      Tomaste cloroquina ?, eu não tomei
      : não havia nas farmácias .
      Tomaste bisacodil ? acabei de tomar . Vai fazer efeito durante a madrugada.
      Mas não é para isto.
      E não precisa ser um aluno muito esforçado para saber que estas
      máscaras que usamos não podem barrar um vírus , mas tu usas não é ?
      Enfim ,sabemos que muita coisa não dão a proteção total ou necessária ,
      mas podem ajudar no combate . Todos nós um dia morreremos , mas numa
      guerra deve-se usar a arma que tiver, mesmo que seja uma agulha.
      Entretanto vou dizer sem dó : cada um sabe de si !.
      É uma fase da vida , tem tanta gente até que viu um novembro azul cheio de estrelas , porque o medo da picadura ?

Deixe uma resposta para Adail Augusto Agostini Cancelar resposta