MARCELO BERTOLUCI - DANDO PITACOS

Saiu no editorial do Estadão:

“Milhões de cidadãos aceitaram um limite temporário a seu direito constitucional de ir e vir em nome da preservação de um precioso bem coletivo, isto é, a saúde pública. Essa é a essência da ideia de república, em que o desejo pessoal de cada indivíduo, por mais legítimo que seja, não pode se sobrepor ao interesse coletivo, expresso nas leis pactuadas por políticos democraticamente eleitos. Para que a república se realize plenamente, portanto, é preciso que seus cidadãos desenvolvam consciência cívica, isto é, tenham noção não somente de seus direitos, mas também, e sobretudo, de seus deveres (…). Para os bolsonaristas radicais e o próprio Bolsonaro, contudo, não existe bem comum a ser preservado. Só existem os interesses particulares de Bolsonaro e de seus fanáticos seguidores, incapazes de aceitar os limites republicanos para suas vontades.”

Este pitaqueiro acha que:

– Milhões de cidadãos não aceitaram, mas foram forçados a abrir mão de seu direito constitucional de ir e vir, além de alguns outros.

– Belo salto retórico, esse, onde de uma frase para outra o direito constitucional vira “desejo pessoal”. Que deve se subordinar ao tal “interesse coletivo”.

– Por esta linha de raciocínio, coisas como direito de expressão ou a própria liberdade também são “desejos pessoais” e devem se subordinar ao tal “interesse coletivo”?

– Mas afinal, quem determinaria o que é o tal interesse coletivo? Óbvio, nossos queridos políticos “democraticamente eleitos”.

– Explicando bem: Para o Estadão, os prefeitos, governadores e deputados estão acima da constituição. Afinal, ela só determina direitos, aliás desejos pessoais, mas os políticos determinam o interesse coletivo, que é mais importante.

– Para o Estadão, em uma república, as leis não precisam levar em conta a constituição e seus princípios. Se os deputados redigirem uma lei determinando que uma coisa é “interesse coletivo”, dane-se a constituição.

– E depois de tudo isso é o Bolsonaro que não aceita os limites republicanos?

Este pitaqueiro acha que a civilização ocidental conseguiu regredir 600 anos em apenas duas ou três semanas. Voltamos ao tempo em que reis, príncipes e duques tinham poderes absolutos, e questionar suas decisões era crime, punido com violência física. Voltamos ao tempo em que pessoas comuns servem apenas para trabalhar e pagar impostos, sem direito à liberdade de escolha ou de opinião. Voltamos ao tempo em que pessoas acreditam que devem abaixar a cabeça e concordar com tudo que o governo disser, porque “é assim que deve ser”.

15 pensou em “O ESTADO A QUE CHEGAMOS

  1. Uma vez escutei de uma querida amiga que ela nunca tinha perdido a paciência, pois não podia perder o que nunca teve.
    A mesma coisa é justiça, beleza e bondade. Nunca as tivemos, então, não as perdemos.
    E nunca avançamos, portanto, como regredimos?
    O fato que está acontecendo é que a tirania do estado está escancarada o que gera o caos na sociedade.
    O que podemos fazer nesse momento é resguardar a chama de civilidade, liberdade e verdade que tivermos.
    O caos gerado pela tirania levará todos a apatia e desespero.
    A partir deste ponto o que tivermos de bom e útil servirá.
    Quando se bate no fundo do poço a única alternativa é subir.

    • A começar, Saniasin, por alguns ministros do STF (Gilmar, Marco, Lawan, Alexandre de Morais e Dias T.); da Câmara (Rodrigo Botafogo); do Senado (Davi Alcolumbre), que NUNCA vão deixar o presidente trabalhar enquanto estiverem no comando dos respectivos puteiros.

      Ótimo “O ESTADO A QUE CHEGAMOS”, Marcelo! Parabéns!

  2. Bela análise, Marcelo.

    E pensar que o Estadão já foi um baluarte do conservadorismo e da defesa das liberdades individuais.

    “Para os bolsonaristas radicais e o próprio Bolsonaro, contudo, não existe bem comum a ser preservado.”

    O que é o “bolsonarismo radical”? Eu entendo como a defesa da liberdade.

    Hoje, a liberdade do cidadão é o principal bem a ser preservado. Mais até do que a própria vida, pois a liberdade é o que torna a vida humana viável.

  3. Deixaria uma pergunta ao Estadão . O Bolsonaro não foi legitimamente eleito ?
    Se ele for executar aquilo que os deputados escreverem , os governadores e os prefeitos não deveriam fazer o mesmo ?

    • Airton, parece que para uma certa turma, o “legitimamente eleito” só vale para eles mesmos.

      O PT que sempre gritou “fora Collor” e “fora FHC” está gritando “fora Bolsonaro”. Mas quando o país disse “fora Dilma”, aí era golpe.

  4. Quem pode falar com segurança sobre esta pandemia? OMS, China, EUA? Entende que ninguém tem elementos para dar segurança. Nem eu, nem Marcelo.
    Temos algumas indicações: O Estado de Nova York adotou a quarentena bem depois da Califórnia. NY – População 20 milhões, 200 mil infectados, 10mil mortos. CA – 40 milhões de habitantes, 25 mil infectados, 800 mortes.
    Um número conhecido e assustador: de 2 milhões de infectados no mundo (com registro), 621 mil já saíram, sendo 492 mil vivos e 129 mil mortos. A taxa de mortalidade nos casos encerrados é de 21%. Obviamente, existem dezenas, centenas (?) de milhões de casos não testados, não computados na estatística. Mas esses são desconhecidos.
    Não é o caso de proteger apenas a si mesmo, é o caso de preservar vidas. A economia já foi para o saco. Teremos um enorme trabalho de reconstrução e pagamento dessa dívida (impagável) gerada pelo isolamento, mas é inevitável.
    O Brasil com o Capitão Bolsonaro está dando uma péssima contribuição para a ciência e especialmente contra o entendimento e o combate ao coronavírus. Você confia nos números do Brasil? Você acredita que Bolsonaro foi negativo no teste? Desinformação não ajuda e atrapalha. As autoridades estão desinformando mais do que a imprensa tão combatida pelos bolsonaristas. Triste sina, substituímos os fanáticos lulistas pelos bolsonaristas. Ficamos na mesma merda.
    Estamos sob um governo que acabou moralmente e politicamente. Bolsonaro é uma praga tão incontrolavelmente danosa, que não deixa as boas plantações do seu governo prosperarem. Ele destrói seu governo para alimentar seu ego de imperador do mal.

    • Eduardo, ninguém pode falar com segurança, essa é a única certeza. O que está em jogo é justamente o fato de alguns, incluíndo o governo e a mídia, usarem a incerteza como certeza: “na dúvida, façam o que eu mando”. Abre uma brecha enorme. Estão disseminando como certa e inquestionável a idéia de que quanto mais isolamento e quanto antes começar, melhor.

      Daqui para a frente, cada vez que um político estiver em uma situação complicada, basta inventar um vírus qualquer vindo da China ou de Marte e decretar isolamento total e praticar todas as ilegalidades que estamos vendo agora. Se meses depois não aparecer vírus nenhum, o governo ainda posará de bacana dizendo “graças à nossa ação rápida e decidida, a catástrofe foi evitada”.

      Os números que você cita, para mim, não são nada assustadores. Como você mesmo diz, existem dezenas ou talvez centenas de casos não testados, o que significa que a taxa de mortalidade real é muito menor do que os 21% oficiais.

      Comparar números de locais diferentes dizendo “tal lugar adotou a quarentena depois” também é uma ilusão. A comparação só seria válida se a proporção de infectados fosse a mesma, mas isso é impossível saber. Só se tem idéia (e nunca exata) da quantidade de infectados a posteriori.

      Por último, saber se o teste do Bolsonaro deu positivo ou negativo é completamente irrelevante para mim. Mas compartilho sua opinião de que somos governados por gente pouco preparada, e isto inclui mas não se limita ao presidente. Aliás, não é de agora. Mas nosso povo não cansa de eleger heróis salvadores da pátria cuja única qualidade é ser inimigos do herói salvador da patria anterior.

        • A única relevância no possível teste positivo de Bolsonaro é a falta de transparência. Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Faça o que eu digo e não faça o que eu faço

          • C. Eduardo, deixa eu também dar um pitaco neste debate:

            Se JB testou positivo para o vírus e não relatou, então para ele foi menos do que uma gripezinha que passou batida.

            O cara seria um super humano e ele teria deixado sob risco de contaminação a própria família.

            Esquece esta hipótese e fique com João 8,23

      • “nosso povo não cansa de eleger heróis salvadores da pátria cuja única qualidade é ser inimigos do herói salvador da patria anterior.”

        Jairo Juruna curtiu isso.

    • “O Brasil com o Capitão Bolsonaro está dando uma péssima contribuição para a ciência e especialmente contra o entendimento e o combate ao coronavírus. Você confia nos números do Brasil? Você acredita que Bolsonaro foi negativo no teste? Desinformação não ajuda e atrapalha. As autoridades estão desinformando mais do que a imprensa tão combatida pelos bolsonaristas. Triste sina, substituímos os fanáticos lulistas pelos bolsonaristas. Ficamos na mesma merda.
      Estamos sob um governo que acabou moralmente e politicamente. Bolsonaro é uma praga tão incontrolavelmente danosa, que não deixa as boas plantações do seu governo prosperarem. Ele destrói seu governo para alimentar seu ego de imperador do mal.”

      Excelente comentário!

  5. Quando leio opiniões de GALINHA LULOPETISTAS que se infiltram por aqui, sei o porquê:

    1º – Como toda a GALINHA, têm um microcérebro;

    2º – Como toda GALINHA, adoram tomar no fiofó, para poderem – masoquistamente felizes – saírem a cantar cacarejos elogiosos ao seu estuprador-mor, o canalha LULADRÃO;

    3º – Infinitamente saudosos de um passado recente – que não volta mais, (e como não podem – ansiosamente desesperados – saciar as suas taras analmasoquistas), ficam a ciscar o seu galinheiro imundo e fedorento, na/à, também desesperada, procura de falsos e mentirosos dados e argumentos – para jogarem nos seus adversários (aliás tratados, sempre, como inimigos mortais!!!) de suas insaciáveis e doentias fantasias sexuais.

    CQD!!!

Deixe uma resposta