CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Caro Luiz Berto,

este meu soneto é inédito.

Que tal o amigo publicar no Blog da Besta Fubana?

Seria uma honra para este escriba menor!

Um forte abraço!

R. Grande Nonato, meu dileto amigo das conversas intermináveis nos botecos de Brasília, hoje radicado na pátria lusitana!

É um prazer receber você aqui nesta gazeta escrota.

Chega me bateu a saudade do nosso amigo comum Orlando Tejo, com o qual vivenciamos inúmeros presepadas e batemos muitos e muitos papos.

E para quem você dedica o inspirado soneto que está transcrito a seguir.

Apareça sempre e disponha deste nosso espaço.

Um grande abraço, meu estimado amigo!!!

* * *

O PESCADOR DE ESTRELAS – Nonato Freitas

Para Orlando Tejo

Na boemia, outrora, as mãos ungidas,
sob o afago da lua nas calçadas,
em vendavais de luz, nas despedidas,
pescava estrelas pelas madrugadas!

Um fantasma da noite; as namoradas!…
– Dionísio a sonhar em naus perdidas!
As auroras chegavam sempre aladas,
na boca rubra, acesa, das fingidas!

Mas o tempo cruel que tudo muda,
desfez as cores do seu doce vinho!
Porém seu verso, o canto, a sua escola,

hão de ficar num rico pergaminho,
como o repique nas cordas da viola,
como um cristal na voz de um passarinho!

2 pensou em “NONATO FREITAS – PORTO – PORTUGAL

Deixe uma resposta