CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Nobre Editor:

Após o “sucesso” estrondoso de Mariguella, estrelado pelo Seu Jorge no papel principal de um homem branco, o ator, diretor, bilheteiro, lanterninha e pipoqueiro de cinema Wagner Moura resolveu investir pesado na indústria cinematográfica, e inaugurou a Phoddewood, que vem a ser a Hollywood brasileira.

Seus próximos projetos já estão bem direcionados, e ele entrará no setor de remakes, já tendo conseguido autorização para produzir suas películas.

Dentre essas novas produções, e seguindo a linha “lógica” de Marighella, destacam-se:

“Uma Linda Mulher”, com Jandira Feghali

“Conan – O Bárbaro”, com Randolfe Rodrigues

“Mulheres Equilibradas” com GLeise Hoffman e Maria do Rosário

“Rambo”, com Jean Wyllis

‘Pinóchio” com Lula protagonizando

“Uma Mulher de Talento” com Dilma Roussef

“Legalmente Loira”, com a Benedita da Silva

“O Bebê de Rosemary” com Fátima Bernardes e Ex da Fátima Bernardes.

“Justiça Para Todos” com Alexandre de Morais e Gilmar Mendes

“Honestidade Acima de Tudo”, com Lula

“Os Mortos Nunca Morrem”, com a alma da Marielle,

“Babe – O Porquinho Atrapalhado”, com Omar Aziz

Até agora Wagner Moura já conseguiu arrecadar 4 empadas e duas coxinhas como patrocínio do boteco do Manoel, mas segundo o patrocinador, ele já se arrependeu em ter investido tanto nessa empreitada.

Desejamos sorte a tão “talentoso” diretor que com esses filmes eleva o cinema nacional a uma camada bem abaixo do manto terrestre, e já próxima do núcleo (se elevar mais, ele estreia no Japão).

NOTA: As produções citadas são independentes e não contam com o apoio da Lei Rouanet, porque o Bolsonaro é mau pra caramba e, diferentemente do governo anterior, que era uma mãe e dava até o toba para a “cultura’, ele não investe na “cultura” nacional.

5 pensou em “MAURO MATIAS – SÃO LUIZ-MA

  1. Já coloquei todos em minha lista de filmes que preciso ver antes de morrer. E bem que poderiam fazer suas estreias no próximo Halloween.

    Espero que o Mauro Matias nos mantenha informados sobre o andamento das filmagens e que use o JBF para divulgação dos trailers, além é claro, de divulgar as datas que irão aos cinemas brasileiros para igual (in)sucesso, como o foram o filme daquele ex-presidente e o recente Mar e goela.

Deixe uma resposta