CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

O APARTAMENTO DE CARAGUATATUBA

Na década de 1970 vários colegas da G.M. de São José dos Campos compraram apartamentos em Caraguatatuba, a cidade litorânea mais próxima.

Entre esses estava o Sr. J.B., Gerente da Auditoria, posição que, por natureza, fazia com que ele fosse uma pessoa bastante séria, obrigando sorrisos a permanecerem a quatro léguas e meia de sua boca.

O causo que se segue foi contado pelo seu cunhado, dono de personalidade diametralmente oposta, sempre pronto a desmontar qualquer indício de seriedade no comportamento de quem quer que seja e principalmente de seu antipático cunhado.

Pois bem, como apartamentos comprados na planta um dia são entregues, o mesmo aconteceu com o imóvel em questão. Um belo e ensolarado dia o Sr. J.B. recebeu as chaves de seu sonhado apartamento na praia e preparou-se para a posse. No sábado cedo encheu sua Caravan (vosmecê se lembra dela?) com lâmpadas, bombril, toalhas, pratos, talheres, sabonete e papel higiênico, além de ferramentas eventualmente necessárias: alicate, martelo, chave de fenda, fita isolante, etc. Botou a esposa no carro e se mandou, todo lampeiro, para Caraguatatuba, já sonhando com a morna água do mar acariciando os pés.

A posse transcorria sem incidentes até então. Tudo corria bem, mas um problema apareceu: a pia da cozinha estava entupida, provavelmente com restos de construção ou sabe-se lá com que. Nosso amigo, atendendo ao pedido da esposa, já que a pia da cozinha é uma necessidade primordial em qualquer casa, foi tentar arrumar o problema. Deixou de lado a roupa normal para não sujá-la, meteu uma bermudona marrom, tirou a camiseta e se enfiou embaixo da pia para buscar e eliminar a causa do transtorno. Logo percebeu que a formação profissional de um Gerente de Auditoria não lhe capacitaria a executar um serviço de encanador em tempo razoável, e pediu para a esposa dar um pulo na cidade e comprar algo como presunto, queijo, pão e um refrigerante para que pudessem comer e beber alguma coisa. E assim foi feito.

Ora, o Sr. J.B. logo chegou à conclusão de que o trabalho não poderia ser realizado com as ferramentas disponíveis e com seus parcos conhecimentos hidráulicos, pedindo então ajuda ao Síndico do condomínio, que prontamente atendeu ao seu pedido, tomando seu lugar embaixo da pia enquanto ele foi fazer outra coisa no quarto dos fundos. Por uma dessas coincidências da vida, o Síndico trajava também um bermudão marrom, mas certamente devido ao calor não estava com camiseta nem com roupa íntima, deixando ver as partes pudendas balouçando por dentro de tal bermudão.

Estava nessa situação, metido embaixo da pia, com o bundão de fora quando a esposa do Sr. J.B. chegou com uma sacola com pão, presunto e queijo em uma das mãos e uma garrafa grande de Coca-Cola bem gelada na outra. Quando teve a paradisíaca visão em sua frente certamente lhe veio à memória os idos tempos da lua de mel e resolveu fazer um carinho no suposto marido.

Aí veio a cagada.

Silenciosamente deixou as compras de lado e meteu a mão gelada por baixo do bermudão do Síndico, empalmando o receptáculo dos ovos, sacudindo-o carinhosamente e perguntando com voz dengosa:

– “De quem é esse saquinho maravilhoso?”

O Síndico deu um berro, levantou-se como um raio e levou o tampo da pia nas costas. O grito da esposa foi mais gritante ainda. Quando o Sr. J.B. escutou os brados vindos da cozinha, partiu correndo em direção ao palco dos acontecimentos. Achou que o Síndico estava atacando sua mulher. Só não o eletrocutou com as mãos ali mesmo porque a mulher interviu, tentando esclarecer o que houve.

Até hoje não consegui entender porque o Sr. J.B. vendeu o apartamento sem nunca lá ter passado um único final de semana.

7 pensou em “MAGNOVALDO SANTOS – PALM COAST – ESTADOS UNIDOS

  1. OS EXTRATERRESTRES E OS GRINGOS TAMBÉM “CURTEM” O JBF…

    Perguntou a esposa do JB: “De quem é esse saquinho maravilhoso?”

    Pergunta Sancho: existe outro jornal no Universo onde o cabra vem lá dos “isteitis” e nos manda de Caravan para Caraguatatuba “rir de montão” com um texto daqueles dígnos da série “O Avesso da Vida”?

    Parabéns ao talentosíssimo Magnovaldo. E que mande meu abraço ao Ronald Mc Trump, se cruzar com o “mister topete” aí pelas avenidas dos EEUU.

  2. Prezados Maurício, Elza e Sancho:
    Obrigado pela gentileza de seus comentários.
    Seguramente suas observações foram também motivadas pela grandeza de seus espiritos.

  3. Parabéns pelo excelente texto, prezado Magnovaldo!

    O equívoco da dona do apartamento foi hilário…kkkkkkkkkkkkk
    Só pode ter sido obra de Satanás! kkkkkkk

    Coitado do Sindico…

    Bom fim de semana!

Deixe uma resposta