CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

F.R.A.U.D.E. Berto:

(Formidável e Renomada Autoridade Universal das Diatribes Eleitorais) Berto:

A eleição presidencial americana está sendo uma grosseira fraude.

Quando na minha adolescência comecei a entender o que eram os valores americanos, logo me deparei com um maravilhoso conceito de integridade, civilidade, honestidade e valores cívicos. Esse pensamento me acompanhou os passos quando vim para cá, aqui me estabeleci e aqui resolvi viver. São, portanto, cerca de sessenta anos com esses valores guiando meu conceito do país que hoje eu chamo de minha casa.

Nessas eleições muito disso foi jogado na lata de lixo.

O que a esquerda americana está fazendo não é muito diferente do que acontece em Angola, Libéria, Somália, Coréia do Norte ou Venezuela, e isso está incendiando este país.

O sistema eleitoral americano foi criado com base na integridade dos eleitores. Quando me mudei para cá em 1999 em vários estados bastava comparecer a uma repartição dos Correios, assinar uma declaração dizendo seu nome, endereço e data de nascimento que se conseguia uma licença para votar. Tanto é que atualmente quando alguém se candidata à cidadania americana uma das perguntas é: “Você já votou em alguma eleição americana”? Se a resposta é “sim” significa que você violou a lei (estrangeiros são proibidos de votar, mesmo que residentes legais), e a cidadania é negada.

Aqui na Flórida o controle dos eleitores é bem mais rígido e as fraudes são mais difíceis de ocorrer (o que não significa que tal não ocorram, principalmente com os votos pelo Correio). Mas em alguns estados, particularmente os controlados pelos Democratas, os controles são frouxos e a possibilidade de fraude é enorme.

As notícias que vêm desses estados dão conta de fraudes tão grosseiras que nada ficam a dever das eleições nos grotões do Brasil nos anos 50.

Vídeos e testemunhas mostram claramente apuradores de votos lendo os votos que chegaram e trocando-os por outros já preparados. Houve a suspensão da apuração por toda a noite em determinado estado e, quando a manhã chegou, o Biden havia aumentado sua contagem em 138 mil votos, enquanto o galegão não teve nem um mísero voto adicional, algo estatisticamente impossível.

Em Washington, capital, um dos apuradores “se enganou” e colocou 100.000 votos a mais em Biden.

Em Michigan a junta apuradora fez um tapume nos vidros para que não fossem vistos do lado de fora e filmaram um funcionário chegando com um carrinho com quilos de votos “atrasados”.

Em Wisconsin houve mais eleitores que habitantes.

Na Geórgia houve o registro do eleitor mais velho do mundo – nasceu em 1829, mas ainda estava politicamente atuante.

As fraudes constituem uma vergonha para este País, a mais longeva e estável democracia do mundo. Os conceitos de integridade e confiança nas instituições foram nivelados aos de qualquer país de quarto mundo.

O ditador Kim Jong-un deve estar tendo orgasmos, uma vez que (diz-se na internet) “eleição com mais de um candidato sempre dá problemas”.

Talvez isso sirva um pouco de consolo para as safadezas que ocorrem no Brasil, mas é muito triste ver que os Estados Unidos não são o paraíso decantado em verso e prosa.

Se os esquerdistas queriam mostrar ao mundo que o exemplo da democracia é um fantoche, conseguiram.

É uma pena.

R. Meu caro, a quantidade de postagens que apareceram ontem na internet denunciando fraudes na apuração das eleições americanas, foi impressionante.

Tinha até vídeo mostrando apuradores alterando votos!

E mais um monte de provas.

Tudo documentado com imagens e dados.

Fiquei mais abestalhado do que já sou.

Um espetáculo lamentável sob todos os aspectos.

Bom, com o desmantelo que está estabelecido na apuração dos votos aí em cima, eu acho que nós iremos saber bem antes quem serão os prefeitos a serem eleitos aqui no Brasil no próximo dia 15, do que os americanos saberem quem ganhou essa eleição nos Zistados Zunidos.

É de lascar!!!

10 pensou em “MAGNOVALDO SANTOS – PALM COAST-ESTADOS UNIDOS

  1. É, meus caros Magno e Berto, eu vou dizer, estou mais angustiado do que o dia 24/04/2020, quando Moro deu a segunda facada no Bolsonaro (e ele sobreviveu).

    Desta vez eu não sei, se o Sistema colocou um poste abestado como o Biden, que tem menos neurônio que a Dilma (acreditem); em 2022 Dória ou o Tiro Gomes levam esta. Bolsonaro pode ter 90% dos votos, mas as urnas eletrônicas dirão o contrário.

  2. Os Republicanos já sabiam, todo mundo sabe como é a esquerda, então porque não fazem nada antes?
    Aí são roubados, perdem a eleição, fica esse mimimi e no final vão ter que enfiar a viola no saco e deixar a esquerdalha tomar conta.
    Eu não entendo essa letargia da direita. É como aqui no Brasil. Todo mundo de direita está aí cuidando de suas vidas, seus empregos, seus negócios e não estão nem aí para a política, enquanto os esquerdopatas estão trabalhando duro para roubar. Aliás, só trabalham para fazer trambique.
    Depois quando tomam conta a gente fica com cara de besta e eles quebrarão o país de vez.

  3. João Francisco,
    1) Biden é da política, não caiu de para-quedas como Dilma, não é poste de ninguém.
    2) Esse papo de que as eleições vão ser roubadas nós é que podemos alegar, porque quem está com as chaves na é Jair Messias Bolsonaro e toda a sua trupe.
    Marcos,
    1) Os esquerdopatas estão do lado de Deus e essa direita que está aí é diabólica.
    2) Vão arrajando desculpas para o caso de perderem as eleições, é, bebé? E mamar na gata?
    3) As esquerdas são construtivas e não destrutivas; queremos o poder para estabelecer (restabelecer) progresso e justiça social.

  4. Sr. Magnovaldo, dei a meus alunos uma tarefa de pesquisa sobre fraudes nas eleições norte-americanas de Trump e Biden e eles já me trouxeram o primeiro resultado:

    É #FAKE que vídeo mostre mesários fraudando urnas nas eleições dos EUA
    Imagens estão na internet desde 2018, quando foi feito um flagrante de fraude na eleição de Vladimir Putin, na Rússia.

    https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2020/11/06/e-fake-que-video-mostre-mesarios-fraudando-urnas-nas-eleicoes-dos-eua.ghtml

    Fica esperto aí.

  5. Dear Mr. Magnovaldo Santos, tem muita falsidade tipo fake news ou notícias falsas neste velho mundo sem porteiras, de modo que é preciso ficar esperto.
    Por exemplo, esse caso desse cidadão aí de 1823 que estaria votando nas atuais eleições norte-americanas é grupo.
    Tá tudo errado, Mister.
    Parece que o Dear Mr. não anda verificando as coisas e está tudo descendo pela garganta igual se tivessem passado toucinho nas falsidades das redes sociais para as pessoas engolirem sem verificarem nada, só repetindo baboseiras.
    Vejamos então a verdade que quando a conheceres estarás liberto!

    A imagem que mostra suposta fraude nas eleições em Detroit é real, mas trata-se de apuração feita no final de 2019.

    https://www.e-farsas.com/rede-de-tv-mostrou-fraude-nas-eleicoes-norte-americanas-de-2020-e-com-um-eleitor-nascido-em-1823.html

    Ah, tem mais, Detroit fica em Michigan, nada a ver com a Geórgia, ujm fica lá embaixo, ougtro lá em cima.

  6. Tem mais coisa errada na correspondência do Magnovaldo:

    “É #FAKE que em Wisconsin, nos EUA, houve mais votos nesta eleição do que o total registrado de eleitores
    Número de votos apurados na eleição para presidente está abaixo do número oficial de eleitores. Comissão eleitoral do estado teve de fazer um esclarecimento no Twitter para evitar que o boato continuasse a se propagar.”

    Eu penso assim: se nos Estados Unidos, onde a população é adiantadíssima, tem as pessoas espalham fake news e tem as que acreditam nelas sem piscar os olhos, o que será das nações menos desenvolvidas?!

    Será quer no Brasil há pessoas que espalham notícias falsas e também haverá quem acredite nelas sem desconfiar e sem procurar saber?

    Não acredito.

    Enfim, essa aí de mais eleitores do que habitantes foi furada:

    https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2020/11/05/e-fake-que-em-wisconsin-nos-eua-houve-mais-votos-nesta-eleicao-do-que-o-total-registrado-de-eleitores.ghtml

Deixe uma resposta