LAMENTO DE UM RIO (EU SÓ QUERIA PASSAR)

Nestes tempos de enchentes assustadoras que destroem as grandes metrópoles brasileiras devido à interferência do homem à Natureza, nada mais importante e reflexivo do que assisti a esse comovente vídeo, ouvindo a narrativa desse lindo texto escrito pela professora Scheilla Lobato, com a locução de Alan Fernandes.

* * *

Professora Scheilla Lobato

Me perdoe por toda essa bagunça
Eu só queria passar
Eu não fui feito para destruir…
Eu só queria passar
Já fui Esperança para os Navegantes…
Rede cheia para pescadores…
Refresco para banhistas nos dias de intenso calor
Hoje eu sou sinônimo de Medo e Dor…
Mas, eu só queria passar…
Me perdoe por suas casas
Por seus móveis e imóveis
Por seus animais
Por suas plantações…
Eu só queria passar
Não sou seu inimigo
Não sou um vilão
Não nasci pra destruição…
Eu só queria passar
Era meu curso natural
Só estava seguindo o meu destino
Mas, me violentaram,
Sufocaram minhas nascentes
Desmataram meu leito…
Quando eu só queria passar
Encontrei tanta coisa estranha pelo caminho…
Que me fizeram transbordar…
Muros
Casas
Entulhos
Garrafas
Lixo
Pondes
Pedras
Paus
Tentei desviar…
Porque eu só queria passar
Me perdoem por inundar a sua História,
Me perdoem por manchar esta história…
Eu só estava passando…
Seguindo o meu trajeto
Seguindo o meu destino:
Passar.

4 pensou em “LAMENTO DE UM RIO (EU SÓ QUERIA PASSAR)

  1. Caríssimo amigo Cícero.

    Vou confessar para o amigo quer fiquei muito emocionado
    com o seu texto de hoje.
    Belíssimo e muito atual, pois estão estrangulando os rios e
    córregos, causando as enchentes e destruição, por todo lado.
    Os Rios, córregos, lagoas e mares , embora pareça tolice
    da minha parte, são entidades criadas por Deus.
    E tudo que foi criado por Deus merece o nosso respeito
    e proteção. Destruindo os Rios e mares, estamos destruindo
    uma parte de nossas vidas. Depois clamam pelos desertos inóspitos
    e selvagens , impossíveis de serem revertidos em terras férteis
    propícios para a vida humana.
    Sou espirita Kardekiano e budista pelo amor da natureza e
    da armonia entre as criações de Deus e o homem e sinto que
    cada vez mais estamos destruindo tudo e negando cada vez
    mais a obra do criador.
    Que texto maravilhoso, realmente emocionante que me fez pensar
    o que será de nós daqui há uns 20 anos ? Isto é se até lá
    não tivermos destruido a nossa maravilhosa terra e a nós próprios, em consequência da ignorância cada vez mais atuante
    e soberbia que achamos com o direito de destruir tudo, uma vez
    que cada dia mais negamos a existência do nosso criador.

    Um grande abraço e obrigado pela postagem de hoje. Ganhei o dia.

    • Caríssimo amigo do coração D.matt:

      Atribui-se a seguinte frase ao maior cientista de todos os tempos, o genial Albert Einstein:

      “A Natureza, quando agredida – pelo homem! -, não se defende. Simplesmente se vinga!”

      É o que está acontecendo hoje com o Planeta: Clima às alturas, infernais temperaturas, procelas destruidoras… Tudo culpa do homem, cuja ganância fecha os olhos à Natureza!

      O nobre amigo tem razão e como tem!

      No bairro de Cajueiro onde moro aqui no Recife havia uma área imensa ocupada pela Rádio Beberibe, Jovem Pan. Uma construtora a comprou. Projetou quatro blocos de apartamento tipo “gaiola de presídio americano”. Gaiolas de Chernobyl!

      Havia um fonte de água que era a coisa mais linda do mundo!!! Nas árvores um bando de salguim que embelezava o ambiente dia e noite, dentre outras árvores raras do local.

      A “construtora” não satisfeita com apenas (!) quatro blocos de apartamento, solicitou autorização da CPRH, do IBAMA, e de outros órgãos públicos que “fiscalizam” a natureza, e recebeu a autorização para ampliar a ganância!

      Deram-lhe autorização e ampliou-se o projeto para a construção de mais dois blocos de apartamento e agora são DOZE!

      Adeus fonte de água! Adeus salguins! Adeus pássaros raros!, Adeus NATUREZA! E viva a ganância!

      Como profissional da área, me recusei a trabalhar! Estou mais laite!

      Obrigado, amigo do coração! Também sou espiritista!

    • Caríssimo colunista Carlos Ivan:

      Suas ponderações a respeito das besteiras que escrevo e publico aqui, são sempre confortáveis, pelo teor inteligente e sincero.

      A gente escreve para agradar os amigos. Isso é muito bom para a alma quando há o reconhecimento!

      Obrigado grande colunista do coração!

      “Lamento de um Rio (Eu só queria passar), é uma ode à Natureza pedindo clemência ao homem que todo dia a destrói barbaramente!

Deixe uma resposta