COMENTÁRIOS SELECIONADOS

Comentário sobre a postagem A FESTA CONTINUA NO CABARÉ DE MARIA BAGO MOLE

d.Matt:

Berto meu amigo, cheguei a conclusão de que você ganhou o premio Nobel da Comunicação.

Com essas colunas estupefacientes, cheias de assombrosos pensamentos, grávidos de ironias e insensatez, o Jornal da Besta Fubana, além de ser um grande sucesso, é também, por ironia, uma demonstração da loucura de um bando de leitores, redatores, comentaristas, que despejam diariamente, suas ideias no seu pinico (*) oficial e transbordante.

(*) Pinico: Vasos para mulheres distintas verterem água.

E haja pinico suficiente, pois nosotros como leitores e comentaristas, somos os principais motivadores de tanta exuberância cultural, poética, descritiva e tem até pornografia politica, pois melhor qualificação eu não poderia encontrar.

Peço licença de alguns dias, pois pretendo ir à Palmares, visitar o pretim Benedito na prisão e descobrir in loco, onde se originou tanta loucura.

Depois eu conto o que descobri.

Saudações fubânicas. (No bom sentido )

* * *

Nota do Editor:

Agradeço ao estimado leitor d.Matt a referência que fez a São Benedito, o santo que dá nome ao meu livro de crônicas “A Prisão de São Benedito“, publicado pela Editora Bagaço.

Prisão efetuada em Palmares, aquele recanto de mundo adonde acontece de tudo e mais alguma coisa.

E, já que o meu caro amigo pretende ir à minha terra de nascença, recomendo que procure Dona Gina, a maior catimbozeira de toda aquela região de Mata Sul de Pernambuco.

Acerte com ela pra fazer umas rezas pra um time de onze urubus que dão expediente lá em Brasília.

Veja no vídeo abaixo como Dona Gina é competente no seu serviço de benzedeira:

4 pensou em “GANHAMOS O NOBEL

  1. Caro d.Matt.,

    Desconfio que Dona Gina seja parenta de Vó Dinda, minha Avó materna descendente de escravos. Ela mesma uma escrava até os 22 aninhos, quando foi “torada” por um Senhor de Engenho fuderoso da Zona da Mata Sul, que “gamou” em suas ancas avantajadas.

    Ela vai estar no Cabaré de Maria Bago Mole. Lá vai provocar uma revolução de desejos com quebra-quebra, coices de jegue e mortes, sem prejuízo para cafetina que não deixa nada de graça.

    Talvez o Rio Pirangi de Palmares tenha sido o grande responsável por essa gama de gente talentosa e maluca que transforma tudo em cultura, até ramo de capim santo nas mãos da benzedeiras Dona Gina.

    A Coreia, o cabaré mais famoso de Palmares, onde o Pretim São Benedito perdeu o cabresto é um exemplo definitivo que o Rio Pirangi, antes de se encontrar com o Una, deixou às suas margens esses ancestrais de malucos por cultura.

    Quando for a Palmares não se esqueça de convidar o amigo para comer buchada no Bar to Tião.

  2. SOU UM CABRA BEM MANDADO, portanto me transplantei virtualmente
    até a zona da Mata em Pernambuco a procura de Dona Gina.
    Perguntei, indaguei, bisbilhotei para descobrir a toca em que se esconde a
    Dona Gina, pois tinha uma tarefa que me foi designada pelo seu conterrâneo Berto
    para fazer uma reza para botar fogo brabo no rabo dos onze abutres
    fedorentos de Brasilia.

    Perguntei a dona Gina, quanto teria que pagar pelo serviço, ela me disse
    que qualquer consulta custava somente 77,70 reais.
    porque de 77,70 reais ? , um numero um tanto estranho, mas ela me garantiu que
    o numero 7 é um número mágico e por isso tem que ser usado,
    Para quem é o selvício ?
    É para os 11 abutres malditos de Brasilia respondi.

    Neste caso o preço fica para 155,40. Perguntei o porque ?
    Ela respondeu porque 11 é igual a 1 + 1 = 2, Os números não mentem.

    Depois de acertados os entendimentos primários ela pediu-me que ficasse
    calado e não a interrompesse, pois iria entrar em transe,
    Pegou um galho de arruda, se benzeu ao contrário igual aos cristãos do oriente
    e entrou em transe. Após exatos 13 minutos de concentração ela começou
    a se agitar, com o galho de arruda na mão e como se estivesse defronte dos
    11 urubus sinistros , soltou as seguintes palavras, que saiam de sua boca como dejetos sólidos e escaldantes . Posso repeti-las, pois gravei tudo com o meu
    celular, que após a transcrição do texto, teve uma diarréia virtual e apagou-se
    de vez, sem conserto.
    As palavras misteriosas de Dona Gina :
    ” No céu e na terra, no buraco fedorento do cú, abrangendo os piolhos infestados
    na cloaca sebosa e fedorenta, viva o demo senhor das trevas, àqueles que
    comem carniça de poder, como urubus em banquete afrodisíaco, contendo
    a voragem de chupar o nosso sangue, agarrando-se em nossas gargantas,
    e tirando toda a nossa força, queira o maldito cão que os onze carniceiros
    sejam levados pras profundas, com as pregas rasgadas e sangrando sangue
    negro empesteado de ódio. Que os onze abutres não encontrem descanso e que
    demore o tempo em que eles passarão a vagar no limbo da escuridão
    eterna das putas que os pariu.
    Vão, vão para o fundo do poço sem fim e que não voltem jamais.
    Dona Gina abriu os olhos, soltou um suspiro e me pediu.
    Estou sêca, desidratada, poderia\ me arranjar uma dose de uisqui ?
    Claro, eu disse, e como também fiquei desidratado vou fazer-lhe companhia.
    Afinal de contas, médios e pacientes também são seres humanos, não é verdade ?

    Tarefa cumprida, como narrei acima, você pode ficar tranquilo caro Berto, que a reza da dona Gina
    vai fazer efeito e quem sabe ? teremos novidades em breve.

  3. Berto, Ciço e D.Matt,

    Como estou em Resende-RJ até amanhã, aproveitei a deixa e fui até a catimbozeira mais famosa do sul-fluminense, minha cunhada MacuMeire, que após duas badoradas de charuto cubano legítimo e uma talagada em pinga furtada de encruzilhada, olhou pra Sancho e vaticinou:
    – Mizifio arrede os pé dessa encrenca e vorta cum Quixote Véi di Guerra pra “Sumpaulo” que as catimbozeiras citadas estão acima de minha mandinga.
    Dito isto, silenciou, apagou o charuto, quebrou a garrada de pinga, fechou os olhos e ignorou completamente Sancho.

Deixe uma resposta