DEU NO JORNAL

Inexpressivo durante toda a campanha eleitoral e sem o apoio de petistas históricos em sua campanha, Jilmar Tatto tentou uma última cartada neste sábado, 14, para tentar trazer eleitores para seu lado.

Inventou uma “bicicletada” em homenagem à Marina Harkot, pesquisadora e cicloativista que morreu atropelada no último dia 8 de novembro na zona oeste da capital paulista.

A ideia de Tatto era reunir um grupo na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, e descer a Rua da Consolação até o centro histórico da cidade. E isso de fato ocorreu.

O problema é que menos de 30 pessoas acompanharam o candidato do PT pelas ruas de São Paulo.

O fracasso de público demonstra como o partido perdeu força na capital que, entre 2012 e 2016, foi governada pelo petista Fernando Haddad.

* * *

A exemplo do que já aconteceu no resto do país, a quadrilha de propriedade do ex-presidiário Lula também está extinta em São Paulo.

Encantou-se, escafedeu-se, danou-se, apagou-se, fudeu-se.

Sumiu nos ares feito peito de aviador.

Vamos torcer pra que o que sobrou do bando seja jogado na lata de lixo definitivamente hoje, após o resultado das eleições.

Completamente desolada, a cachorrinha Xupêta Vermêia ao lado de Tatto na bicicletada de ontem: “Se lesquemo-se-nos tudinho; tem menos de 30 idiotas aqui cum nóis”

2 pensou em “EXTINTOS TAMBÉM EM SÃO PAULO

    • Recorro à matemática da suposição: Suponho que dos 30, pelo menos uns 10 eram seguranças, outros 10 eram da equipe de apoio e possivelmente só 10 eram apoiadores.

Deixe uma resposta