DEU NO JORNAL

O presidente Bolsonaro editou na terça (30) uma medida provisória para abrir crédito extraordinário de R$ 5,3 bilhões para o Ministério da Saúde.

Dinheiro na veia de medidas de combate à covid.

* * *

Pergunto aos leitores fubânicos entendidos nestes assuntos de verbas e orçamentos:

Será que é o próprio Ministério da Saúde que vai aplicar essa carrada de bilhões na luta contra a pandemia ou vai repassar pros estados e municípios?

Hein?

Desconfio que o vírus tá torcendo pela segunda opção.

Dinheiro nas mãos de governadores e prefeitos só faz o covid deitar e rolar.

E a oposição ao governo sorrir e ficar feliz.

5 pensou em “DÚVIDA

  1. Como a administração do SUS é feita pelas três esferas, algo em torno de 80% dos recursos do MS são repassados para estados e municípios

  2. Como a verba é de emergência, dispensa licitação. Vai direto para os bolsos dos Governadores e prefeitos, que nunca tiveram tanto dinheiro para gastar.

    Agora tem folha de pagamento em dia, fornecedores recebendo na hora. Arrecadação? Quem liga para isso?

    Eles querem que a gripe chinesa, que segundo Lulla, foi uma benção, não vá embora nunca.

  3. Pergunta: O que adiantou acabar com o roubo no Governo?
    Pandemia, estado de emergência. São as palavras chaves para ficar tudo igual como era antes. Eles roubam com licitação, sem licitação então…

    A verdade é que essas verbas destinadas para a fraudemia já ultrapassaram e muito aquela “economia” da reforma da Previdência, que seria para os próximos dez anos. Que no início era 1,2 tri. Mas, que com a atuação magistral dos impolutos políticos patriotas. Ficou em um pouco mais de 800 bi.
    Conclusão: em um ano e pouquinho, essas verbas emergenciais para combater a fraudemia já custaram quase 15 anos de economia da sempre combalida Previdência.

    Ergamos estátuas para homenagearem aqueles trabalhadores que irão se aposentar com 80, 90, 100 anos…
    Verdadeiros heróis, que já estão dando seus suores para as causas fraudêmicas de governadores e prefeitos.
    Isso é Brasil!

Deixe uma resposta