DEU NO JORNAL

Jose Mauricio de Barcellos

Por vezes eu fico imaginando o quanto, na sua essência, é tacanho e despreparado o establishment brasileiro que, de um tempo para esta parte se encontra muito bem representado pelas entourages que sustentaram as quadrilhas de FHC a Temer nos últimos 35 anos, aqui inclusa uma gente desprezível que vai desde os poderosos da banca às celebridades oportunistas, sem esquecer, evidentemente, a abominável classe política com suas entidades partidárias do mal e do empresariado explorador e venal, que se acham encastelados em suas insensíveis e vorazes associações e confederações.

Não sei como conseguiram durante tanto tempo enganar tanta gente. Não sei como lograram roubar despudoradamente uma quantidade inimaginável de dinheiro do nosso povo, principalmente dos mais miseráveis para, ao final, não produzirem nada rigorosamente, em relação ao muito que poderiam ter construído e, o que é o pior, para ao cabo deterem uma soma de dinheiro e de poder que somente lhes serve para escancararem suas enormes desmoralizações ou falta de credibilidade, que os acompanharão ao túmulo.

Vamos a uns poucos exemplos e aos nomes de alguns bois daquela sinistra boiada. O que adianta para os tradicionais banqueiros e para suas famílias que há séculos sugam o suor de nossa gente vivendo como abutres dos sofridos e dos desesperados que acorrem às suas agências ou casas de agiotagem oficializadas? Garanto que se fossem reconhecidos a olho desarmado pela população no meio desta não circulariam dois quarteirões sem serem justiçados.

Para que serve aos Marinhos, os Barões das Comunicações, o tanto que roubaram e se locupletaram dos cofres públicos tudo desviando para o exterior, se o povão, de um modo geral, os contempla com desprezo e revolta e se a descomunal máquina de desinformação que criaram é hoje considerada um lixo? A única coisa que lhes resta é viverem longe do seu povo, como segregados viviam os leprosos referidos nas Santas Escrituras, ainda que homiziados em seus castelos suntuosos comprados em locais paradisíacos, mas longe de sua Pátria.

Para que serve aos Mandarins da Suprema Corte o poder que odiosamente usurpam, para além de fazer o mal e impor o medo e o desespero aos que se rebelam contra eles, se são considerados e acusados, por milhões e milhões de brasileiros honrados em praças públicas, como os “Vermes da República” que transformaram a outrora venerável Suprema Corte do País em uma “instituição marginal odiada pelo Brasil”, como disse e repete o grande e destemido jurista Modesto Carvalhosa? Tudo quanto lhes sobrou é a mesma vida dos proscritos ou dos procurados, idênticas à dos terríveis criminosos que, por dinheiro, libertaram da prisão.

De que adianta para o finório FHC suas polpudas e múltiplas aposentadorias e suas vergonhosas bolsas ditaduras se o mínimo de paz que consegue para viver como se fosse um respeitado cidadão homem comum é quando se esconde em seu apartamento de milhões de euros em Paris, que comprou ou ganhou de empresários corruptos, sabe-se lá de que forma? Chegar ao ocaso da vida nestas condições, mesmo podendo pagar, a peso de ouro, algumas fingidas homenagens ou enganadores aplausos de uma plateia escolhida a dedo, não deve permitir olhar sem remorso o espelho pela manhã (ou será que permite?), quem quis vender, em troca de poder e de muita grana, sua Pátria para um regime ateu e assassino.

Ainda que tenha comprado sua liberdade com o peso dos trilhões que roubou do Brasil e escondeu não se sabe onde, o “Ogro Duplamente Condenado”, cujos crimes não foram perdoados ou esquecidos por nossa gente do bem e conquanto agora esteja tentando colocar a cara fora da janela e tresloucadamente imaginando voltar ao poder, pergunta-se: de que adianta tudo que amealhou na sua triste trajetória se hoje não consegue ir sozinho à esquina mais próxima de sua casa para tomar um café com pão e voltar vivo?

De minha parte, meu caro leitor, eu entendo que para o petista ladrão o peso de seus mal feitos é ainda maior do que do daquela gente que o ajudou a desgraçar o Brasil. Realmente, penso que em bem pouco tempo, para Lula vai se tornar difícil até deixar do País, porque o Mundo por suas entidades e organismos policiais e de segurança contra a corrupção e o narcoterrorismo, já tem na mira aquele ladrão e corrupto de fama internacional. É difícil, leva tempo, mas não se deve esquecer que outros Chefes de Estado foram presos e condenados pela Justiça Internacional–TPI – de 1997 a 2011, tais como: C. Taylor (Nigéria); L. Gbagbo (Costa Marfim); S. Milosevic (Iugoslávia); M. Mileitinovic (Sérvia); O. Al-Bashir (Sudão) e K. Samphan (Kampucheia do regime do Khmer Vermelho).

Igualmente é bom lembrar o antigo caso do ditador do Panamá, Manuel Noriega, que foi condenado por envolvimento com o narcotráfico na América Latina e que, além de tráfico, também o foi por extorsão e por lavagem de dinheiro, tendo morrido em uma prisão nos USA, cumprindo pena de 40 anos.

Ainda em ralação ao Panamá é de se recordar que foram acusados e presos, nos Estados Unidos, o Presidente Panamenho (de 2009 a 2014), Ricardo Martinelli, e seus filhos Luiz Enrique Martinelli e Ricardo, por usar dinheiro público para se manterem no poder e por cobrarem mais de 20 milhões de euros de propina da nossa conhecida “Construtora Odebrecht”, entre 2010 e 2014, e mais de 59 milhões de suborno, em troca de contratos avaliados em cerca de 175 milhões de dólares, segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos da América. Isto é que se pode chamar de uma baita semelhança com o caso do larápio petista, que até o socialista Barak Obama já o reconheceu como um dos maiores ladrões da coisa pública do planeta.

Estou trazendo a lume tudo isso por conta das notícias que circulam pela mídia independente – e que a tradicional já escondeu – relativas à prisão, na Espanha, do ex-chefe de inteligência e contraespionagem militar de Maduro, na Venezuela, Hugo Carvajal, o “El Pollo”, que entregou, em juízo, farta documentação que prova o financiamento ilegal, pelo narcotráfico de movimentos e partidos políticos na América Latina e na Europa, chegando a afirmar que o governo da Venezuela financiou “Lula da Silva no Brasil”. Dizem e retransmitem vários veículos de informação, daqui e da Europa: “O governo venezuelano financiou ilegalmente movimentos políticos de esquerda pelo mundo durante pelo menos 15 anos, entre eles a criação do partido político espanhol Podemos. Enquanto fui diretor de inteligência e contra inteligência militar da Venezuela, recebi uma grande quantidade de relatórios mostrando que esse financiamento internacional estava ocorrendo. Exemplos concretos são: Néstor Kirchner, na Argentina, Evo Morales na Bolívia, Lula da Silva no Brasil, Fernando Lugo no Paraguai, Ollanta Humala no Peru, (Manuel) Zelaya em Honduras, Gustavo Petro na Colômbia, Movimento 5 Estrelas na Itália e Podemos na Espanha. Todos esses foram revisados como receptores de dinheiro enviado pelo governo venezuelano“, confessou “El Pollo”.

“El Pollo” é acusado pela Justiça dos EUA de envolvimento com o tráfico de drogas fornecidas pelas FARCS – Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, porque o dinheiro da ditadura venezuelana sempre proveio daquele grupo terrorista que, sua vez é que contribui, desde sempre, para o Foro de São Paulo, criado em 1990, por Lula, Fidel Castro, FHC, Ciro Gomes e outros marginais do mesmo naipe, com objetivo de implantar o regime comunista em toda a América do Sul.

Então é isso. Onde há a esquerda delinquente existe um crime que a sustenta e a ampara. Agora avaliem a inconsequente pretensão dos “Contras”, sempre incensada pela imbecil irresignação dos “terceirosviistas”. Querem eleger para presidente do Brasil e Comandante Supremo das Forças Armadas um petulante criminoso internacional que bem pode, no meio de seu mandato, ser preso ou condenado por uma Corte dos Estados Unidos ou por um Tribunal Penal Internacional por ter recebido dinheiro sujo de sangue das FARCS. Ora, me poupem e Deus nos guarde de uma vergonha dessa ordem!

4 pensou em “CRIMINOSO INTERNACIONAL

  1. Retrata fielmente como o “mecanismo” opera em desfavor do Povo Brasileiro.
    São canalhas traidores da pátria que só pensam em poder e dinheiro.

  2. Prezado José Maurício,

    Estou sem palavras para descrever o quanto estou satisfeito em poder ver alguém, extremamente inteligente e bem informado como o senhor, colocar estas questões bem claramente. Só não entende quem não quiser.

    Tudo o que posso dizer é: QUE ARTIGO DA PORRA!!!!! DEU INVEJA POR NÃO TÊ-LO ESCRITO.

    Ou esse STF de merda, os 11 e toda a sua claque de canalhas, nos prende todos, o que deverá ser um pouco difícil dada a quantidade de pessoas que já abriram os olhos, ou vão ter de levar na cara toda a vergonha de seus atos sebosos e nojentos.

  3. Caro Barcellos, seu artigo expressa fielmente o sentimento do Brasileiro de bem, que foi achacado nos últimos 35 anos em que o Establishment dá as cartas.

    Vou reproduzir um trecho de seu artigo:

    “Não sei como conseguiram durante tanto tempo enganar tanta gente. Não sei como lograram roubar despudoradamente uma quantidade inimaginável de dinheiro do nosso povo, principalmente dos mais miseráveis para, ao final, não produzirem nada rigorosamente, em relação ao muito que poderiam ter construído.”

    É difícil para alguém acostumado a lutar pelo seu sustento, a ter que se destacar para poder crescer, entender o que se passa entre estes personagens que foram citados.

    Todos eles foram criados para exercer o Poder pelo establishment. Não tinham capacidade, só ambição, por isso tiveram que vender a alma a v. sabe quem. Como não têm condições de sobrevivência, precisam de mais e mais dinheiro para manter sua falsa condição. Pensa num viciado qualquer. o Poder é o pior dos vícios para quem é medíocre.

    Abraço

  4. Amigos, porque as grandes mídias encontram-se na pindaíba? Quantos dos brasileiros esses vagabundos poderosos não surrupiaram pagando a jornalecos, blogosferas, fortunas, agora que que abrimos nossos olhos para os pulhas que sempre estiveram roubando de uma maneira ou de outra, estão desesperados a ponto de exporem vergonhosamente, só veem quem não quer. Capitão 2022 outra vez.

Deixe uma resposta