DEU NO JORNAL

O “furacão Ludhmila Hajjar” deixou marcas em Brasília e várias perguntas sem resposta.

Citada para o cargo de ministra da Saúde, ela denunciou tentativas de forçar a entrada em sua suíte, no Hotel B, um dos mais cuidadosos quanto à segurança dos hóspedes. Mas o exame das câmeras de vigilância não confirma a alegação.

Apesar de sentir-se ameaçada, não se queixou à direção ou à recepção, tampouco registrou boletim de ocorrência na 5ª Delegacia de Polícia, a 150 metros do hotel.

Outro fato constrangedor foi o ministro das Comunicações, Fabio Faria, negar o convite para ser ministra e que ela tenha divergido de Bolsonaro.

Fábio Faria tentou ser elegante, elogiando a médica e a defendendo de acusações, mas “não pode ter havido recusa a convite que não foi feito”.

Após deixar Brasília, a médica disse estar protegida por seguranças e carro blindado por ter recebido “ameaças de morte”, sem as especificar.

* * *

A nota aí de cima acertou em cheio ao dizer que a mentirosa dotôra doidinha foi “citada”.

E não “convidada”.

Citada pelos jornalisteiros da grande mídia funerária, ainda aturdida e desnorteada com o tremendo sucesso que foram as manifestações de domingo passado pelo país inteiro.

Perguntem pro explicacionista fubânico Detalhador Explicante que ele explicará tudo pra vocês.

Segundo apurou o Departamento Psiquiátrico do JBF, a dotôra Hajjar Haja Saco se ofereceu ao presidente Bolsonaro pra assumir o Ministério da Saúde.

O objetivo dela era reforçar a Diretoria de Insanidade daquele órgão, a fim de dar uma melhor assistência aos seus colegas doidinhos.

Além do abestalhamento mental, o inxirimento da doutora foi refutado de imediato pelo Presidente Bolsonaro tendo em vista as pessoas que ela estava pensando em convidar para assessorá-la, caso fosse nomeada ministra.

Vejam:

5 pensou em “A DOTÔRA DOIDA

  1. Como a picaretagem não tem limite, já descobri um documento de duas páginas, referente a essa mitômana, de que não só já trabalhou no Sírio-Libanês (hospital muito benquisto pelo chorume político de alta toxicidade) como também fora desligada de lá por APROPRIAÇÃO INDÉBITA!

    Quem tiver Facebook, é só procurar pela página “Fernando Reborn” que tá lá tudo direitinho.

    A vida dessa embusteira é igual merda: quanto mais revira, mais fede.

  2. Eu não sei porque Bolsonaro foi tão gentil com ela ao chamá-la para conversar e depois permitir a ela dizer que foi convidada para o MS e recusou.

    Saiu e atirou na mão que lhe acolheu. Totalmente deselegante.

    Tem que ser tratada como a Maria da Novena ou a Anta, pois é o que merece.

  3. Essa “dotôra” não passa de uma picareta mitonta. Ao ver sus fotos e vídeos me veio a cabeça o velho ditado “diga-me com quem tu andas que te direi quem és”.

  4. Parece que foi indicação do Presidente da Câmara.
    Se for verdade. Teremos mais pulgas atrás das orelhas.

    Que pressa foi essa que não fizeram um pente fino para que o Presidente fosse preservado de qualquer situação vexatória.

    Tem umas coisas que a gente não consegue entender, meu caro João Francisco.

Deixe uma resposta