CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Pediram-me uma manifestação sobre a morte de Tarcísio Pereira.

Foi ele o responsável pelo maior celeiro cultural que se tem notícias aqui no Recife.

Uma livraria imensa frequentada por toda a comunidade cultural pernambucana, nos anos 70 e por mais de 15 anos.

A LIVRO 7 (porque localizada na rua 7 de Setembro) foi o reduto preferido de estudantes, jornalistas, escritores e amantes da literatura.

A COVID não respeitou Tarcisio e levou-o embora. Fará falta.

Sobre o mesmo escrevi um pequeno comentário, publicado no Jornal do Commercio daqui de Recife.

Minha modesta homenagem ao grande Tarcisio.

R. Comovente, tocante esta sua homenagem, meu caro colunista Xico Bizerra.

Só mesmo um poeta do seu calibre pra resumir tudo nesta genial mensagem publicada na seção de cartas do Jornal do Commercio.

Tarcísio, um potiguar adotado por Pernambuco, foi uma figura ímpar.

Um ícone da cultura recifense e nordestina.

Um promotor cultural que muito dignificou a história literária deste recanto de mundo, comandando a sua mitológica Livro 7, uma livraria que era um dos símbolos marcantes da cidade do Recife.

Sou muito grato a Tarcísio pelo evento que ele promoveu nos anos 80 para o lançamento, aqui no Recife, do meu livro O Romance da Besta Fubana.

Como você bem disse, ele fará falta.

Seu encantamento foi lamentado em notas emitidas pelo Governador Paulo Câmara e pelo Prefeito João Campos.

Descanse em paz.

Tarcísio Pereira (1948-2021)

3 pensou em “XICO BIZERRA – JABOATÃO DOS GUARARAPES-PE

  1. Emocionante. Tarcísio editou meu livro de matemática financeira pela livro rápido. Eu vivia na livro 7. Ia estudar. Sentava num banquinho, pegava um livro de cálculo, de álgebra, e ficava lendo…. estudando.

  2. Parabéns, Xico, pelas belas palavras homenageando esse grande baluarte da Literatura Brasileira.

    Tarcísio nasceu 7. Livro 7. Um homem que amava aquilo que fazia. Era sua vida, seu lazer, sua liberdade. Os livros ganharam vido no seu reinado porque o amavam.

    Com Tarcísio os livros ganharam vida, multiplicaram-se os conhecimentos, a cultura da leitura se fez presente.

    Não haverá outro Tarcísio porque outro 7 não há.

Deixe uma resposta