PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

Essa mulher, de face escaveirada,
Que vês tremendo em ânsias de fadiga,
Estendendo a quem passa a mão mirrada,
Foi meretriz antes de ser mendiga.

Fugiu-lhe breve, desta vida airada,
A mocidade, a doce e quadra amiga,
E chegou a ser velha e desgraçada,
Antes do tempo, a quanto o vício obriga!

Ontem, de gozo e de volúpia ardente
Fosse a quem fosse, dava a qualquer hora
O seio branco e o lábio sorridente

Hoje – triste sina! – embalde chora,
Pedindo esmola àquela mesma gente
Que de seus beijos se fartara outrora.

Padre Antônio Tomás de Sales, Acaraú-CE (1868-1941)

Deixe uma resposta