DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

Xilo de Cicero Lourenço

Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei

Mote de Dalinha Catunda

Periquito bem cuidado?
Eu tenho e não nego, não,
Mas vive numa prisão,
E por isso é revoltado,
Porém é muito assanhado…
E prender é contra a lei.
Fui lá no mato e soltei,
Dele tive caridade:
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Dalinha Catunda

Duplo sentido? – Talvez!
Vi o verso explicativo,
E – também – convidativo,
Não perdendo minha vez;
Nunca gostei de escassez
Sobre o dom que cultivei
De libertar, porque sei
Que voar mostra a verdade:
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Professor Weslem

Meu periquito assanhado,
Teima em não se aquietar,
Todo instante quer trepar,
Em um alçapão armado,
Um fogo descontrolado,
Desde quando ele, ganhei,
Até quando vai, não sei,
Sua libidinosidade,
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Joabnascimento

Parecia um papagaio
Era fora da bitola
Mas vivia na gaiola
E dizia daqui eu saio
Vou dar o prazo até maio
E gritava ei ei ei
Vou descobrir o que sei
E vou mentir na verdade
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Rivamoura Teixeira

Tô glosando aqui e agora
Com mote do periquito
Um macho muito bonito
Que comigo não mais mora
Pedia para ir embora
Com pena nunca deixei
Enfim, o bicho mandei
Procurar felicidade
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Vânia Freitas

Há tempos, na minha casa
Um periquito vivia
Numa gaiola sombria
Cantando e batendo asa
Soltei-o, dizendo: vaza
Nesse momento, notei
Outros chegando, pasmei
E ali, ficaram à vontade
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Creusa Meira

Não quis prender o bichinho
Pra viver numa prisão
Deu – me muita compaixão
Abri tudo ligeirinho
Libertei meu passarinho
A melhor coisa, pois, sei
Vê-lo livre eu adorei
Fiz sua felicidade
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Dulce Esteves

Faça como eu e liberte
Também o seu Passarinho,
Gaiola não é o ninho
Mais ideal que se oferte,
Me imite, não fique inerte
Siga o exemplo que dei
Viva de acordo com a lei
Prender é pura maldade:
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Bastinha Job

Já tá quase em extinção
Este querido” bichim”
Que mora em um cupim
Faz sua alimentação
De frutinhos de pinhão
Certo dia lhe tranquei
Mas por pena liberei
E desfiz toda maldade
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Araquém Vasconcelos

Quando peguei pra criar
O periquito era novo
Mas aprendeu com o povo
Chamar nome pra danar
Antes do Ibama chegar
Vou soltar o que achei
Se no Brasil tem a lei
Vou cumprir sem falsidade
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Jerismar Batista

Meu periquito vivia
Muito triste, acabrunhado
Mas ficou todo animado
Cantando de alegria
A partir daquele dia
Quando a rola lhe mostrei
Ninguém sabe nem eu sei
No que deu tal amizade
Pra viver em liberdade
Meu periquito soltei.

Giovanni Arruda

8 pensou em “UMA RODA DE GLOSAS

  1. Excelente roda de glosa: Parabéns à colunista e seu timaço de glosadores!
    Também sou a favor dos periquitos soltos, voando livres.
    Vou com eles: Aquela nuvem que passa lá em cima sou eu.

  2. Mostrei a rola à vizinha
    Ela falou: que bonita
    Pegou, alisou a dita
    Ficou toda animadinha
    Perguntou se outra eu tinha
    Não tinha e lhe falei:
    Minha rola já soltei
    Disse ela, em irmandade:
    Pra viver em liberdade
    Meu periquito soltei.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *