CARLOS EDUARDO SANTOS - CRÔNICAS CHEIAS DE GRAÇA

Luiz Antônio Soares de Melo, curador do Memorial do Náutico

Felizes dos clubes do Recife que possuem seu Memorial. O Náutico, o Sport, o Barroso e a AABB têm esse privilégio. Guardam suas relíquias para comprovar a história de suas glórias.

Mas, para mantê-los é necessário que abnegados associados se dediquem diariamente um trabalho de ourives, a fim de ir reunindo peças, pedindo a antigos associados as doações, para ir compondo o acervo e isto não é fácil, porque dependem das administrações dos seus clubes.

Há poucos dias estive na sede social do Náutico, acompanhando o Presidente da AABB-Recife, Euler Araújo de Souza, e o Vice-presidente Cultural, Luiz Carlos Bezerra Cavalcanti – responsável pela reorganização do Memorial AABB-Recife – visitando o Memorial Alvirrubro, onde fomos recebidos pelo Curador Luiz Antônio Soares de Melo, a fim de apreciar as instalações e o acervo.

Dá gosto verificar como a coleção de troféus está cuidadosamente guardada e permite visão histórica do Salão Nobre, porque quase todas as 1.700 peças estão legendadas e facilita-se a visão porque se encontram em vitrinas.

João Santos, neto deste colunista, apreciando a taça do Hexa Campeonato do Náutico. Um luxo!

No piso térreo, no acesso ao Memorial, temos um local de destaque para o futebol, com vários times aparecendo em fotos identificadas e bem emolduradas, em espaço que se salienta, atapetado e iluminado, dando a entender que além do remo – modalidade que motivou a fundação do clube – o futebol é a mola mestra da permanente projeção junto ao público.

Todavia, o acervo de troféus, por se tratar e grande quantidade de peças – está localizado no 1º pavimento, onde a homenagem maior está na entrada do Salão Nobre. Ali está o busto do grande Benemérito, Eládio de Barros Carvalho, de quem fui Diretor durante seis anos.

O Presidente da AABB, Euler, e este colunista ostentando a taça do Hexa

Teve a importante visita o objeto de troca de tecnologias. Vimos que os 100 anos do Náutico estão bem preservados. A coleção de troféus oferece aos visitantes a visão detalhada do acervo, que está guardado em elevado de granito e protegido por vitrinas onde se pode apreciar a trajetória do alvirrubro através de suas vitórias.

Daqui há alguns dias Luiz Antônio visitará a Vice-presidência Cultural da AABB, a fim de trocar informações sobre várias maneiras de guardar documentos e troféus, melhorando assim os métodos e processos dos dois centros de cultura.

Os visitantes fortaleceram os laços entre as duas agremiações e na oportunidade foi rememorada a primeira e única vitória da AABB-Recife, numa competição de remo, em 1948, cujo barco foi cedido pelo Náutico.

Memorial Alvirrubro. O centenário Clube Náutico Capibaribe tem sua sede social tombada pelo IPHAN. Mantém relicário guardando o acervo de glórias

Deixe uma resposta