TÁ TUDO EXPLICADO: BANDIDO TEM MESMO DIREITO A PASSAGEM GRÁTIS EM FORTALEZA

Comentário sobre a postagem LÓGICA ESQUERDOPATA

Goiano:

Embora o convênio realmente tenha sido firmado e seu objeto seja a concessão da gratuidade de passagens de ônibus em Fortaleza para condenados que estejam em regime aberto, semiaberto ou em liberdade condicional, existe uma série de condições bem delimitantes.

A quantidade de apenados beneficiados é delimitada e só vale para uma parte daqueles que integram um programa local de ressocialização chamado “Um Novo Tempo”. Atualmente, o programa conta com 250 apenados, mas desse conjunto tão somente 30 pessoas serão beneficiadas (ao menos por enquanto).

Além disso, o transporte gratuito será fornecido somente para o deslocamento da residência para o local onde ocorrem as atividades educacionais de reabilitação promovidas pelo programa.

Constitui uma forma de facilitar a participação no programa educacional de reabilitação, dentre outros objetivos.

* * *

Lula e Zé Dirceu: dois exemplos claros de condenados que se ressocializaram e que tem direito a transporte grátis em Fortaleza

3 pensou em “TÁ TUDO EXPLICADO: BANDIDO TEM MESMO DIREITO A PASSAGEM GRÁTIS EM FORTALEZA

  1. A sociedade é convidada somente pra pagar a conta. Nesse país, ser bandido é infinitamente melhor do que ser honesto. Fortaleza tem sido palco de violentos ataques ao transporte público. Diversos ônibus incendiados por ações do PCC e líderes dessa facção sendo assassinados por lá em cenas cinematográficas como foi o caso de Gegê do Mangue, que foi transportado de helicóptero para uma mata e lá foi assassinado com diversos tiros no rosto. Eu tenho tenho que dizer o seguinte:
    1) até que ponto isso não passa de um “cala a boca”, um acordo de cavalheiros com as organizações criminosas? Digo isso porque vi uns dados sobre fiança quebrada e pelos números eu, como, gestor fecharia um olho à violência. Vou pesquisar e publicar;
    2) um amigo fez um comentário interessante num texto que publiquei no Facebook. Ele dizia que o goleiro Bruno cumpriu pena pelo assassinato de Eliza Samúdio, teve progressão de pena e arranjou um emprego. Um cara passa 5 anos na faculdade e quando sai está desempregado. Ele conclui dizendo que falta nos currículos, um assassinato.
    Se o objetivo fosse reintegração à sociedade, a forma mais equilibrada seria colocar estas pessoas em empregos, algo que provavelmente nunca tiveram na vida. Manter dentro de casa a noite e exigir formação acadêmica, algo que poderia ser feito, inclusive por EAD. Mas, não. Obrigam a sociedade a arcar com um ônus que ela já pagou quando estes bandidos, mataram, roubaram, traficaram, etc

Deixe uma resposta