PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

Dos lábios que me beijaram,
Dos braços que me abraçaram
Já não me lembro, nem sei…
São tantas as que me amaram!
São tantas as que eu amei!
Mas tu – que rude contraste!
Tu, que jamais me beijaste,
Tu, que jamais abracei,
Só tu, nesta alma, ficaste,
De todas as que eu amei.

Paulo de Oliveira Leite Setúbal, Tatuí-SP, (1893- 1937)

Deixe uma resposta