CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Acabei de ler no JCO e vou transcrever uma fala do deputado Otoni de Paula que achei a mais pura verdade que parece que ninguém quer enxergar.

Tem a matéria completa.

Segue a frase:

“A extrema imprensa comprou a ideia de Michel Temer pacificador, como se houvesse por parte dele e de seus pares, ou do próprio monstro que ele criou no STF, alguma intenção de paz”.

Nunca existiu nenhuma intenção de paz.

Abraços

4 pensou em “SCHIRLEY – CURITIBA-PR

  1. Cara Schirley, o acordo que está sendo feito não é pela paz e sim pela sobrevivência.

    Aí cada um que faça a própria interpretação: sobrevivência de quem?

    • “Elementar meu caro Watson/João Francisco”. A palavra paz foi usada pelo deputado. Sabemos quem precisa sobreviver: “o dragão”. E para tal não vão abrir mão de tudo que já investiram por nossas bandas (incluindo compra de “políticos” que não estão nem um pouco preocupados com democracia, liberdade, povo, etc. Caso o “acordo” não fosse aceito, aí quem pergunta sou eu, que tipo de retaliações sofreríamos ? Se Bolsonaro optou por proteger o povo deixou com isso o território brasileiro a descoberto. Você confia no STF com relação ao marco temporal ? Bolsonaro ontem chegou a rogar a Deus com relação a esta votação.
      Abraços

  2. Modus operandi by TEMER:
    Aberratio Causae!!!
    Imagine a situação:
    Um criminoso deseja dar fim ao seu desafeto e, para tanto, desfere-lhe um golpe certeiro na cabeça, que o faz desmaiar. Certo da morte da vítima, atira-a de cima de um elevado, para ocultar o cadáver, em direção ao córrego que ali passa. Posteriormente, a vítima é localizada e, após o exame necroscópico, constata-se que a causa da morte foi asfixia por afogamento: o criminoso deverá ser responsabilizado por homicídio, da mesma forma.
    É tudo muito claro… está no nome…
    TEMER. Há de TE-MER! Temerário. faz jus.

    • Voltei. Pretendia ficar calada mas … o João Francisco disse: aí cada um faça a própria interpretação. Deixei uma das interpretações logo acima.
      Só que … a questão da “sobrevivência”, antes de mais nada foi do Bolsonaro. É doloroso falar isso. As intenções todas eram aplaudíveis. O arrojo também. Contou com o “exército” que arregimentou. O apoio popular incluindo aí os motoqueiros, os evangélicos e o povo comum. Não foi suficiente para enfrentar o SISTEMA. Vai terminar seu mandato com autorização dos que fazem parte do sistema. Caso não aceitasse o “acordo” certamente sofreria o impeachment ou pior, poderia até ser preso. Acalmada a fera vamos aguardar …
      Estou rindo até agora do que comentou o Spock Lee. “Modus operandi by Temer”. Muito bom.

Deixe uma resposta