CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Puro atrevimento ou um atrevimento puro.

Não vou aqui falar em prêmios, entrevistas, convites, EUA …

Não me atreveria a tanto pois não possuo credenciais para qualquer tipo de crítica literária.

Vou apenas falar do que senti.

Acabei de ler O Romance da Besta Fubana (autografado pelo autor) que recebi de presente.

Já no início me deparei com um personagem deveras VIRIL e safado.

Pensei: “será que o livro inteiro vai ter sacanagem?” Assustei e pra minha surpresa … teve, até o final (hehe).

Mas tudo fazendo parte da narrativa com a maior singeleza .

A cada dia lendo um pouco (absoluta falta de tempo) mais surpresas eu encontrava.

O Romance nos envolve de tal maneira que os personagens ganham vida e ficam circulando dentro de nossa casa como se a ela pertencessem de longa data.

Ao parar de ler ficava tentando imaginar o cada que um faria a seguir e não via a hora de ter o livro nas mãos novamente.

Se ainda hoje Berto gosta de “sacanagens” imagine pelos idos de 1983/84 quando era jovem e escreveu o romance. Um ano para terminar sentando diariamente em um bar, perdido em seus pensamentos (nem quero saber o que passava pela cabeça dele enquanto escrevia) e pesquisas.

Já estou com saudades de todos os personagens e do enredo louco e delicioso e super bem escrito do Romance. Palavras que tive que buscar o significado. Coisas de outro mundo saíram da cabeça de Berto “na sua maneira larga de pensar”.

E no meio de tantas e tantas euforias e loucuras e coisas místicas um personagem rabisca:

“Minha rica e encantada vida! Meu agradável e apaixonado viver! Sinto que meus passos são miúdos diante da extensão do caminho que se abre a minha frente”.

Lindo demais para um homem (o personagem Natanael) que chegou com tanta galhardia e depois se meteu em um uniforme tão pomposo. Ah fosse eu Amara Brotinho …

QUEM LEU o Romance sabe do que falo.

QUEM NÃO LEU deveria ler, recomendo essa encantada viagem a Palmares chão enaltecido por Luiz Berto. Chão onde ele nasceu.

Obrigada Berto por ter me apresentado você escritor.

Agora vou ler os demais livros de sua autoria. Mas não esquecerei a “Besta Fubana” nunca. Fica gravada a ferro dentro da gente.

Parabéns, um abraço e um xêro de sua leitora e amiga para todo o sempre,

R. Minha querida amiga e leitora, num sei nem o que diga.

Se engasguei-se-me todinho com a generosidade dessa sua apreciação.

Foi uma dose muito alta para o coração desse pobre contador de histórias palmarenses.

Gratíssimo mesmo, bem do fundo do meu coração.

A grande alegria de qualquer ficcionista é ganhar o reconhecimento de quem lê seus livros.

Você fez o meu dia muito feliz, acredite.

Vou aproveitar a oportunidade e fazer um comercial:

Para adquirir não apenas O Romance da Besta Fubana, mas também todos os outros livros da minha autoria, basta entrar na página da Editor Bagaço, clicando aqui.

A compra é feita com toda segurança e os volumes serão entregues pelos correios.

Um xêro nordestino bem carinhoso, enviado pelos ares nas asas da Besta Fubana, desde aqui da minha querida Recife até essa linda e acolhedora Curitiba!!!

O Romance da Besta Fubana - Luiz Berto

6 pensou em “SCHIRLEY – CURITIBA-PR

  1. Schirley,

    Li já faz algum tempo um livro intitulado Pequenas Histórias Pequenas, de Juareiz Correya. Uma das “pequenas histórias” era sobre Luiz Berto e o Romance da Besta Fubana. Trecho: “O
    ROMANCE DA BESTA FUBANA só prestava mesmo por causa dele. Ele, personagem inesgotável que era, dava alma ao livro do torto Berto. quem lesse ou não lesse, quem visse ou não visse o livro sabia disso.”

    Como achei interessante, copei em papel o tal trecho para depois consultar Berto sobre o assunto. O tempo passou e tal fato caiu no esquecimento. Volto ao tema e pergunto a Berto: Você conhece o autor e o livro?

  2. De que personagem Juareiz fala ? De Natanael ?
    A impressão que eu era que quando eu parava de ler o livro ouvia todos os personagens me perguntando “qdo vc volta ?”.
    Você leu o Romance ?
    Vamos aguardar a resposta do perto sobre sua pergunta.

    • Schirley,
      Como diria Jack, “por partes”, caríssima:
      1) Qual persona? Não fica claro, pois são pequenas histórias e na tal história o Romance da Besta é só elemeno de citação, não tecendo o autor nenhum outro comentário;
      2) Qdo vc volta… Tive a mesma impressão quando li pela primeira vez, o que me fez voltar a ler várias outras vezes, sempre com igual resultado;
      3) Quanto a ler Luiz Berto, fã de carteirinha que sou, li toda a obra bertiana e recomendo tudo que seja da lavra de Papa Berto; e
      4) Por fim (sempre há um), fica Berto devedor de “dar à luz” uma nova obra, pois está a dever “papel escrito com cheiro de novidade”, para alegria do gigantesco fã clube.

      • Li : Trecho: o romance … Só prestava por causa dele. Ele, personagem inesgotável que era, dava alma ao livro do torto Berto.
        Entendi errado então.

        Concordo plenamente, ele que largue de preguiça e comece um novo livro.

        • Schirley,

          Não, você não entendeu errado e possivelmente está certa com relação ao personagem. É que em decorrência do Juareiz apenas ter citado um pequeno trecho, não dá para afirmar nada com relação à persona a que se refere, pois já faz algum tempo que li o tal livro Pequenas Histórias Pequenas e minha memória pode ter me traido e detesto fazer afirmações sem ter certeza.

          • Oi,
            Que lambança fiz eu às 10:41. Nem eu entendi.
            Bom, já não importa mais.
            Berto não respondeu se conhece o autor ou o livro. Acho que não se tocou.
            O dia hoje foi de muito calor por aqui. Curitibano não aguenta isso não.
            Pensei que Berto poderia escrever “Berto por ele mesmo”. Tipo novela. Contar o início do JBF. Usar seus colunistas como personagens. Já fiquei imaginando como ele retraria você (hehe).
            Natanael existiu mesmo. Amara Brotinho também.
            Já se encantaram como diz Berto. Recebi no zap uma foto dos dois já com certa idade. Berto conseguiu juntar os dois para tirar a foto. Muito legal.

            Tenha uma noite serena e de bons sonhos.

            Abraços

Deixe uma resposta