CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Como a palavra “Democracia” foi jogada na lama pela esquerda

Ontem saímos para jantar no nosso bar preferido, próximo do antigo prédio em que moramos, local esse que já foi ponto de agradáveis encontros deste grupo.

De repente, vimos adentrar no recinto, o Pró-Reitor de Assuntos Ex-Querdistas da Universidade Federal da Pá Virada, também conhecida pela sigla UFPA.

Não foi surpresa, pois havíamos acabado de falar sobre essa possibilidade, já que este é um lugar que sabíamos também ser da sua preferência, além de outros esquerdistas conhecidos da cidade.

Ele nos viu, seguramente, mas não cumprimentou, passando direto, ao lado da nossa mesa, dirigindo-se ao outro salão, contiguo ao que nos encontrávamos.

Na saída, para nossa surpresa, ele resolveu percorrer o caminho de volta, dentro do restaurante, para sair pela porta por onde entrou. Ou seja, no salão onde nos encontrávamos, já que ele poderia, facilmente, ter saído pela porta do outro salão onde estava sentado.

O propósito foi, ao passar, novamente, ao lado da nossa mesa, agora sim, nos cumprimentar, recitando nossos nomes, um a um, e dizer, em volume elevado da sua voz:

– “Viram lá o resultado?”, com o polegar em riste.

E quando já havia aberto a porta, praticamente com o corpo todo para fora, complementou, falando ainda mais alto:

– “A democracia venceu”, curvando-se, ligeiramente, na nossa direção.

E a porta se fechou, sem a possibilidade de ouvir a minha resposta:

– “É….., pena que a lista tríplice foi fraudada”.

E assim é o conceito de democracia para essa gente maligna e farsante. Depois de manipular todo o processo, enfiar dois laranjas na lista tríplice que não participaram do processo eleitoral prévio e de mentir descaradamente para a sociedade, ainda ter a coragem de falar em democracia.

Não é curioso, como justamente os que mais assassinam a democracia, são os que mais precisam falar dela, incessantemente, com uma necessidade doentia de afirmar que são democratas?

Já pararam para pensar, que o nome da antiga Alemanha Oriental (DDR, Deutsche Demokratische Republik), significa República Democrática da Alemanha; e que o nome oficial da Coreia do Norte, é República Popular Democrática da Coreia ?

11 pensou em “RÔMULO SIMÕES ANGÉLICA – SANTA MARIA DE BELÉM DO GRÃO PARÁ

  1. Pois é Rômulo. Entendo perfeitamente o que é isso. Queria aproveitar para lhe convidar a participar das reuniões fubânicas do cabaré de Berto, que é aberto, o cabaré, ele não, que ocorre às quintas feiras. Tem um link, basta clicar. Toda quinta 19h30 às 2030h. Sua presença é importante.

    • Prezado Assuero,
      Muito obrigado pela mensagem e a lembrança desses encontros da 5af. Já havia escrito para o Berto da minha impossibilidade neste horário, em função das aulas, agora remotas, mas não vejo a hora de em algum momento poder participar.
      estive muito envolvido nesse processo eleitoral da minha universidade, de tal modo a conhecer um pouco dos bastidores imundos de Brasília, completamente desconhecido para a maioria dos mortais.
      Pensei muito se escreveria alguns relatos do que aconteceu – a semelhança dos mesmos esquemas fraudulentos que estão acontecendo em várias IFES brasileiras, neste momento – mas sempre acabo recuando, com medo das retaliações, que a partir de agora, inevitavelmente, começarão a acontecer.
      Escrevi um pequeno resumo apenas para o Berto, mas vou fazer alguns ajustes, para divulgar para todos.
      A estória acima, aconteceu de fato, comigo e com minha esposa e acabei não conseguindo me controlar.
      Estou muito desesperançoso com o futuro da universidade pública brasileira. Ela foi aparelhada de tal maneira, pela pior escória da sociedade, que acho muito difícil ter jeito. Como já escrevi várias vezes: o estrago foi muito grande.

  2. Caro Sr. Rômulo.
    Esse pessoal é doente. Sua natureza é avessa a tudo que represente a normalidade e a legalidade. O que é certo e o que direito.

    Eles não tem pudor, vergonha na cara e nem sequer caráter.

    Apoderam-se de coisas sãs e justas. Invertem suas essências, Mas, mantém os significados das palavras. Para fazerem o que eles mais sabem: mentir, enganar, trair, roubar, destruir, desagregar, invadir, caluniar; difamar, formar quadrilhas e até matar.

    Demoramos muito tempo para podermos nos livrar dessa escória. Levaremos alguns anos.
    Mas, conseguiremos.
    Deus, Pátria e Família.

    • Prezado Luiz Carlos, obrigado pelo retorno.
      Hoje tenho um entendimento de que essa gente maldita não é maioria nas IFES, porém são organizados e barulhentos.
      Pelo Princípio de Pareto, dos 80/20, eu diria que eles nem chegam aos 20%, talvez 10%, no caso dos docentes.
      O problema é que dentre os 90% restantes, daqueles que poderíamos chamar de “pessoas do bem”, a grande maioria, definitivamente, não quer se envolver na “política” universitária, ou muito menos, assumir qualquer cargo de gestão.
      Por motivos diversos.
      Eu arriscaria dividir esses 90% em dois grupos principais:
      1) o grupo daqueles que “dá a sua aulinha” – quando dá! – e “vai simbora”, correndo, cuidar dos seus outros empregos, prioritários;
      2) e o grupo daqueles que, de fato, carregam a universidade. São, em geral doutores, DE (Dedicação Exclusiva), apesar de que no grupo anterior também há muitos DE, e principalmente, que tem envolvimento na pesquisa e na pós-graduação.
      Como escrevi na resposta anterior, estou profundamente decepcionado com o estado atual das IFES brasileiras, e em especial, nos processos eleitorais recentes que acompanhei, além daquele da minha universidade, de como pessoas que batem no peito se dizendo democratas, “intelectuais”, utilizaram todos os recursos possíveis para fraudar, manipular, mentir descaradamente, para não largar o poder.
      Não consigo ver qualquer luz no fim do túnel para a educação brasileira, e em especial, para as universidades, que é de onde vão sair os futuros professores das nossas crianças, que não terão nada para ensinar a não ser repetir chavões e ideologias nefastas, em um verdadeiro círculo vicioso medíocre, em que fingem ensinam, e os alunos fazem de conta que aprendem.

  3. FECHA ESSAS MERDAS TODAS!!!!!

    BOTA ESSE BANDO DE FELAS DA PUTA PARA MAMAR NA PICA DE UM JUMENTO,

    Quem quiser faculdade, que pague, O governo não pariu ninguém, para querer agora ficar sustentando maconheiro e militante comunista.

    Que melhorar o nível intelectual da nossa combalida nação? Dá um voucher para os melhores alunos das nossas escolas irem estudar em Harvard e no MIT.

    • Grande, Adonis.

      Hoje, aos 55 anos, sendo 37, quase ininterruptos, dentro da universidade pública brasileira: 5 de graduação, 3 de mestrado, 4 de doutorado, e desde 1998 (22 anos) como professor;

      Depois de acompanhar de perto, um processo eleitoral vergonhosamente manipulado, do início ao fim, com direito a saber de alguns “segredos de alcova”, dos bastidores imundos da capital federal;

      De ver notícias falaciosas plantadas nos jornais locais, de Belém do Pará, e em primeira página!, como por exemplo:
      – “O MEC não quer acatar a lista tríplice enviada pela UFPA”, sem dizer que na lista havia dois laranjas enfiados goela abaixo, e que não participaram da eleição prévia; ao completo arrepio da lei federal, dentre várias outras notícias mentirosas e canalhas;

      Depois de ver o silêncio dos bons, ou até mesmo, e que foi pior para mim, de colegas, que tinha como amigos, professores e pesquisadores, até com um certo reconhecimento e prestígio no meio acadêmico, que apoiaram toda essa fraude ocorrida na UFPA, em troca de migalhas, de “carguinhos”, de favores, como o de conseguir a sua transferência do interior para a capital, apenas para citar alguns poucos exemplos….

      Depois de tudo isso, meu caro Adonis, que um dia ainda espero conhecer, aqui ou lá em Portugal, juntamente com o Berto e outros fubânicos – gente do bem!!!! – que tanto aprendi a admirar, justamente pelas posturas aqui expressas…

      Por tudo isso, meu caro, é que tenho que, pesarosamente, admitir e reconhecer, que infelizmente você está certo.

      As IFES foram aparelhadas – e destruídas – de tal maneira, que não tem mais serventia para a sociedade.

      Não acredito mais na universidade pública brasileira e lamento muito pelo seu futuro, incerto, cuja culpa pelo seu estado de podridão moral e intelectual é única e exclusivamente dessa corja esquerdista-sindicalista maldita que se apoderou dela.

      Requiesce in pace

      • Prezado amigo Rômulo,

        Muito obrigado pelas atenciosas considerações. Você, sem a mínima dúvida, será ‘Persona Gratíssima” em meu modesto veleiro, tão logo eu consiga arrecadar fundos suficientes para adquirir um.

        Quanto às nossas universidades, minha trajetória de vida é bastante parecida com a sua. Cheguei a cursar 6 mestrados, cada um em uma área de conhecimento diferente: Administração, economia, engenharia, psicologia, comércio exterior, administração pública voltada para o desenvolvimento regional… fora outros de menor valor acadêmico.
        Minha vida foi estudar, ensinar e trabalhar.
        Deus sabe a tristeza que me dá tomar conhecimento dessa invasão de vermes nas nossas universidades.

        Grande abraço, meu caro amigo. Precisamos, urgentemente, compartilhar uma garrafa de um bom vinho no deck de meu futuro barco. Você e essa cambada de pessoas simplesmente geniais do JBF.

    • Depois eu conto, em detalhes, como o grupo de oposição, na UFPA, tentou, de TODAS AS MANEIRAS, LEGAIS !!!!!!!!!!!, colocar o inquilino para fora e, no final, por mais incrível que possa parecer, quando já estava tudo certo, no MEC, para nomear, pelo menos o 2o laranja (3o lugar da lista)……
      Acho melhor não contar aqui.
      Mande um email para mim e eu lhe repasso o que já escrevi para o Berto.
      rsangelica@gmail.com

  4. Nobre Professor Rômulo Simões Angélica.
    Antes de mais nada, sinto-me honrado pela sua atenção e gentileza em interagir ao meu simples. Mas, indignado comentário.

    Confesso, que não sei por onde recomeçar. Depois de ter lido seus comentários direcionados aos senhores Maurício Assuero e Adônis Oliveira. À mim também.

    São realidades nuas e cruas. Que se escondem no manto invisível dessa república de banânia. Tão acertadamente propalada pelo nosso estimado editor Berto.

    Relatos como o seu, deveras esclarecedores, reveladores, verdadeiros, constatadores, corajosos, patrióticos…
    Nos dão a certeza de que, fatos como esses, que naturalmente, estão presentes em todos setores da dita e tida República. E se por acaso, o manto “profanus” for retirado.
    Não teremos mais República. Ela irá ruir como um castelo de areia. Expondo suas entranhas de alicerces corroídos desde sua origem.

    Acredito, na minha humilde opinião. Que os quase trinta anos de experiência política, absorvidos íntima e visceralmente pelo Sr. Presidente. Impedem, que ele escancare as mazelas de todo tipo e ordem produzidas no País.

    Agradeço-lhe, por fortalecer nossa
    compreensão, pelo que acompanhamos da realidade atual. Com seu entendimento, também, sobre os 90% dos docentes, que o senhor tão consciente e generosamente dividiu em dois grupos.

    Tenho filho universitário e procuro sempre inteirar-me do seu dia à dia de estudante. Mesmo na virtualidade compulsória atual.
    Por várias vêzes, ele já mencionou sôbre situações ocorridas tanto no grupo 1 como no grupo 2, exemplificados pelo senhor.

    Bem, não vou estender-me mais do que o necessário. Temas, pautas e assuntos para o bem estar dessa Nação é o que não faltam.

    Decerto, temos a total convicção que precisamos, cada vez mais, de pessoas como o senhor.
    Que contribuem valorosa e denodadamente para o engrandecimento do Ensino, da Educação, da Cultura, do Respeito, da Ordem, do Progresso e a Justiça no nosso Brasil.

    Meus sinceros cumprimentos e parabéns pela sua dedicação, competência e coragem.
    Que Deus continue iluminando suas ações e seus caminhos.

Deixe uma resposta