CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Prezado senhor Luiz Berto

Terminei de ler a sua obra ‘A prisão de São Benedito’. Desculpe a demora: eu estava às voltas com a ‘A lanterna na popa‘, de Roberto Campos (a qual, aliás, recomendo vivamente) que ganhei meses atrás e estava sem coragem de enfrentar.

Mas gostei imensamente do seu livro. Creio que as reminiscências — mesmo que alheias — nos trazem sempre preciosas lições de vida, ainda mais quando temperadas pelo bom humor que lhe é característico.

Até mesmo a linguagem, seguindo a tal “norma culta” hoje aparentemente em desuso, agrada demais a um paladar como o meu.

Enfim, como já ‘curtia’ o seu Jornal da Besta Fubana, agora tornei-me fã incondicional; logo entrarei em contato com a “Bagaço” para adquirir mais algumas de suas obras.

Tenho feito muita propaganda do JBF por entre o meu restrito-porém-seleto grupo de amigos: tem sido o maior sucesso.

O que tem de gente que curte besteira é uma coisa excepcional!…

Um forte (embora heterossexual) abraço e novamente grato por sua atenção.

R. Meu caro, numa época em que a baitolagem e a xibunguia infestam os quatro cantos do mundo, é muito boa esta ressalva do “abraço heterossexual”.

Gostei e vou passar a usar esta advertência como sinal de alerta, antes de dar um amplexo em outro macho.

Começo dizendo que achei ótimo o fato de você dizer que leu o excelente livro “A Lanterna na Popa“, do genial Roberto Campos, um sujeito cujas tiradas certeiras e ferinas estão fazendo uma falta danada nos dias de hoje.

Os dois volumes desta obra magnífica são destaques aqui na minha estante. 

Quanto à apreciação que você faz da minha modesta obra, A Prisão de São Benedito, saiba que fiquei ancho que só a peste.

Já comecei a semana se rindo-me todinho!

Quem escreve gosta de saber que agradou aos seus leitores.

Este livreto de crônicas, memórias da minha infância em Palmares, já vai na sexta edição, lançada no mês passado.

Capas da terceira e da quinta edição de A Prisão de São Benedito

Para adquirir todos os meus títulos é só acessar a página da Editora Bagaço, uma das maiores do Brasil e a maior do norte e nordeste brasileiro, sob a competente direção do meu querido amigo e conterrâneo Arnaldo.

Fácil e rápido, tudo pela internet, com a entrega dos volumes pelos correios.

Quem quiser ajudar um pobre autor brasileiro, é só entrar na página da editora e fazer o pedido.

Agora, veja só uma coisa, meu caro leitor Roberto Baptista:

Por uma dessas coincidências da vida, quando eu estava editando esta sua mensagem aqui na seção de cartas, recebi uma outra mensagem de um conterrâneo, um amigo muito querido, o compositor e cantor Ozi dos Palmares, atualmente radicado em São Paulo.

Ozi gravou um vídeo, em março de 2013, que já não estava mais aqui nos meus arquivos, lendo alguns trechos da crônica de abertura deste meu livro que você citou na sua mensagem, A Prisão de São Benedito.

Um texto intitulado Nós, Os Meninos de Palmares.

Gravou e editou, botando no vídeo uma foto que escancara todo minha beleza heterossexual!!!

O vídeo é este que está a seguir.

Brigadão pela força e pela divulgação que tem feito desta gazeta escrota.

Abraços e uma excelente primeira semana de setembro!!!

Deixe uma resposta